Há bons candidatos, não podemos chegar às eleições cabisbaixos, diz o juiz Moro

Resultado de imagem para moro no roda viva

Moro se saiu bem, na primeira entrevista ao vivo

Altamiro Silva Junior
Estadão

“Nós, brasileiros, não podemos chegar às eleições cabisbaixos”, afirmou o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato na primeira instância, em entrevista ao ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira, 26. O magistrado afirmou, ao falar da corrida presidencial, que não se pode generalizar quando se fala de políticos, mas que há “bons candidatos”. Ao mesmo tempo, segundo ele, “há outros não tão bons” e ainda existem outros ainda que “merecem juízo maior de censura”.

Ao comentar as manifestações de 2015 e 2016, Moro disse que as pessoas que saíram às ruas “fizeram uma grande diferença”. O juiz ressaltou que havia várias bandeiras, incluindo a insatisfação com a economia e com o governo anterior, mas ponderou que houve uma coisa em comum, que foi a insatisfação com a corrupção.

ESCOLHER BEM – Para o juiz, há outras maneiras de as pessoas defenderem a causa, escolhendo bem seu candidato nas eleições. “Não adianta um candidato nas eleições chegar e dizer: ‘Ah, eu sou contra a corrupção’. Não, ele tem que dizer o que ele pensa para combater a corrupção.”

Moro também defendeu a prisão após o julgamento em segunda instância. “Seria ótimo esperar o julgamento final, mas isso, aliado a nosso sistema judicial, que é extremamente generoso em recursos, você tem um processo sem fim”, disse o magistrado. Ele afirmou ainda que os litígios chegam a durar mais de dez anos e alguns acabam por prescrever. “Isso na prática é impunidade.”

RECURSOS E FORO – A “generosidade de recursos”, disse Moro, é aproveitada pelos “poderosos”, que têm condições financeiras de contratar os melhores advogados. “Se alguém cometeu um crime, a regra é que tem ser punido.”

Ainda na primeira parte de perguntas do programa, o juiz defendeu a redução do alcance do foro privilegiado. Alguns ministros do Supremo Tribunal, ressaltou o juiz, já declararam que o foro privilegiado não funciona muito bem. “O STF não é preparado para julgar esses benefícios.”

A COISA CERTA – “Posso não ter acertado sempre, mas sempre agi com a pretensão de fazer a coisa certa”, disse Moro, ao falar de suas decisões para os condenados da Lava Jato. Com o tempo, declarou, as pessoas vão entender as suas decisões. “A Operação Lava Jato revela que havia um quadro de corrupção sistêmica.”

Moro disse que “a fama é passageira” e que o sucesso da Operação Lava Jato se deve a outros nomes, entre eles o juiz Marcelo Bretas, responsável pela operação no Rio. “A Operação Lava Jato não é uma operação de uma pessoa só.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Assediado por feras do jornalismo, o juiz Moro deu uma aula de equilíbrio e democracia. E ele tem toda razão. As pessoas precisam  ter mais responsabilidade ao votar, porque é pelo voto que iremos mudar este país. (C.N.)

17 thoughts on “Há bons candidatos, não podemos chegar às eleições cabisbaixos, diz o juiz Moro

  1. Em uma das partes da entrevista, perguntam para o juiz Moro o que ele achava da série da Netflix, O Mecanismo, onde ele é uma das figuras centrais.

    A resposta foi equilibrada, dizendo que se trata de uma obra de ficção, com pitadas de verdade sobre a Lava Jato, e que não percebia a necessidade de criticas porque bem feita.

    Logo, recomendo essa séria pela Netflix, O Mecanismo, pois altamente esclarecedor sobre a forma como surgiu a Lava Jato, e o envolvimento criminoso do Planalto e congresso!

    • O Moro não era nem nascido ainda, e tudo isso já existia ai bem diante das nossas narinas fedendo à beça, e continua existindo. Eu não quero saber de ficção coisa nenhuma, não tenho mais tempo a perder com bobagens, quero, isto sim, e até vivo pedindo a Deus, a exemplo da Escola de samba Beija-Flor, que nos liberte dessa infeliz realidade criminosa terrível que nos escraviza, cercados de urubus todos todos os lados que nos fazem a carniça predileta delle$ e que nos devoram vivos sem dó e sem piedade. Quero é Solução, ou seja, Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, porque quem apoia o continuísmo do $istema podrão e pede ou manda votar no dito cujo não é gente boa não, é ruim da cabeça, é doente do pé, é mané, ou tb é chegado no capilé.

  2. ” Há candidatos que merecem juízo maior de censura “.

    Nossa, o que vai ter de gente fazendo cara de paisagem, depois dessa…

    Mas o recado foi claríssimo, não foi extrema direita?

    • Que raio de juízo de julgamento é esse, no qual o corrupto do pedro é melhor do que o corrupto do paulo ? Os corruptos do pedro podem tudo, os corruptos do paulo não podem nada. Que raio de brincadeira de criança é essa, a esta altura do campeonato. Discordo do Moro, na moral, na boa, o fato é que sob a égide do $istema político apodrecido, não temos em quem votar, a menos que o dito cujo nos apresente um Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, que indique um novo caminho para um novo Brasil de verdade, o que nunca farão porque o negócio que sustenta o dito cujo é mesmo a podridão, a falácia, farsa, a alienação mental, a mentira, as bravatas, os sofismas e os 171, partidário eleitoral ou golpista ditatorial, que perfazem os trens da alegria dos seus tentáculos, velhaco$, dissimulado$, camaleônico$.

  3. Moro, um juiz contra a lei

    Insuspeita de “esquerdismos”, a colunista Vera Magalhães, do Estadão, foi precisa ao comentar a “performance” de Sérgio Moro no Roda Viva, com o seu companheir de ocaso Augusto Nunes.

    “Seu verdadeiro intento (de Moro) ali era fazer aquilo que disse na primeira resposta que não faria: ser censor do STF, pressionar a corte a não rever sua jurisprudência que autoriza prisão após condenação em segunda instância nem conceder habeas corpus para Lula.”

    Ponto.

    Em um momento, Moro escorregou e confessou que prega uma decisão judicial que desrespeita a Constituição.

    Foi quando sugeriu que “o próximo presidente da República proponha uma emenda constitucional para colocar na Carta Magna do país a prisão após condenação em segunda instância“.

    Ora, se é preciso uma emenda para colocar na Constituição, é porque não está lá. E se não está, não pode ser feita.

    Essencial e argumento demolidor contra a prisão antes do trânsito em julgado de sentenças é sua confissão de que isso precisa ser incluído na Constituição que hoje o proíbe.

    O que o torna, a ele e aos juízes que a legitimarem, contrários à lei maior do país.

    https://goo.gl/6ksuok

    • Sua cegueira é de dar pena.

      “Foi quando sugeriu que “o próximo presidente da República proponha uma emenda constitucional para colocar na Carta Magna do país a prisão após condenação em segunda instância“.”

      Pra quem viu a entrevista, o juiz usou estes termos considerando que, caso o STF mude o seu entendimento, o eleitor questione seu candidato sobre qual sua posição com relação ao tema e que essa é uma forma de mudar o próprio entendimento do STF (lembre-se que o STF já votou a favor do cumprimento da pena após 2ª instância, modalidade vigente atualmente, e não inventada por Moro).

      Esquerdismo não tem cura…

  4. “A Operação Lava Jato revela que havia um quadro de corrupção sistêmica.” Havia ? “As pessoas precisam ter mais responsabilidade ao votar, porque é pelo voto que iremos mudar este país. (C.N.)” Então tá. Apontem-nos então em quem votar. Diga-nos quem apoias e te diremos quem és. Depois da Lava Jato, não há mais em quem votar senão num possível Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, sob pena de sermos todos enquadrados por conivência com a corrupção sistêmica. A bem da verdade, até agora, nada mudou de verdade. A política, o estado, o mercado e a população continuam capturados, dominados e manipulados por bandidos mancomunados, e seus esquemas pessoais e mafiosos, perfazendo uma relação muito parecida com a da merda e as lombrigas, na qual estas não conseguem sobreviver sem aquela. A operação Lava Jato agora tem que ir até o fim, à moda ajoelhou tem que rezar, ou seja, até a mudança efetiva do $istema político apodrecido, o podrão que continua dando as cartas e jogando de mão.

  5. “Não confio em parte do Judiciário”, diz desembargador aposentado Lédio Rosa de Andrade

    Nascido em Tubarão, aposentado no mês passado após 35 anos de magistratura, o ex-desembargador Lédio Rosa de Andrade, que ingressou sábado no PT, começou a vida partidária com discurso forte: criticou o juiz Sergio Moro, não escondeu os erros do PT e diz que a prioridade em Santa Catarina tem que ser a ética.

    desde o suicídio do meu amigo reitor Luiz Carlos Cancellier eu venho fazendo uma discussão profunda dos absurdos que vêm ocorrendo dentro do Judiciário. No Judiciário existe gente muito boa, mas existem juízes que estão destruindo o estado democrático de direito e usando politicamente o Judiciário em benefício próprio, em benefício de causas que a gente nem sabe quais são. Hoje, vejo muita gente falar. O Brasil está radicalizado, contra Lula e a favor de Lula, nesse maniqueísmo. Sobre a condenação do Lula, vejo pouca gente ler o processo e ver se tem prova suficiente para condená-lo daquilo que estão acusando ele. A leitura que eu faço é que esse processo está nesse rolo compressor dessa ala do Judiciário e MP e polícia que não respeita os princípios constitucionais. E todos nós, que hoje aplaudimos uma condenação apressada, muito cedo iremos nos arrepender. Não há nada pior do que um país em que o direito não respeita as pessoas. Eu ponderei muito, decidi aceitar. Porque se eu não fizer política, alguém vai fazer. Então eu tenho que fazer junto, não posso me omitir.

    https://goo.gl/4d2xzc

  6. ACREDITE SE QUISER. Lula é a expressão popular mais bem-sucedida do $istema político podre, forjado e protagonizado pelo partidarismo eleitoral, o golpismo ditatorial e seus tentáculos, velhaco$, que perfazem a plutocracia republicana putrefata que aí está e sempre esteve, há 128 anos, com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia fantasiada de democracia, importada dos EUA, fomentada pelo capital velhaco e o establishment financeiro bandido, que mantém a política, o estado, o mercado e a população, capturados, dominados e manipulados por bandidos mancomunados, que nos fazem a todos vítimas, reféns, súditos e escravos, dos quais urge nos libertarmos, e o único instrumento de libertação que temos contra o domínio absoluto e o continuísmo dos me$mo$, abaixo de Deus, é apenas a RPL-PNBC-DD-ME, ou seja, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, o único Fato Político Novo no front, no Brasil e no mundo, valendo lembrar que os tiros no ônibus da caravana de um dos candidatos do $istema podre e do continuísmo da mesmice mostram, claramente, o baixo nível que que chegou a guerra tribal, primitiva, permanente e insana dos me$mo$, por poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limite$, sob a égide do $istema político podre, com prazo de validade vencido há muito tempo, que, não obstante tudo, continua dando as cartas e jogando de mão, fatos esses que reforçam a necessidade, inevitável e inadiável, da Revolução Pacífica Redentora do Leão, urgente, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, porque não temos mais a quem recorrer senão a Deus no Céu e à RPL-PNBC-DD-ME aqui nesta Terra que espero seja realmente de Deus Nosso Senhor e não dos capeta$ dos quais urge nos libertarmos. ” Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós.” Basta de guerra tribal primitiva. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Já. https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/348964/Atentado-a-caravana-de-Lula-repercute-no-exterior.htm

    • Se fosse só ” a farsa da eletrônicas” seria fácil de resolver, o diabo é a farsa $istêmica, essa nós pobres mortais sem a intervenção de Deus morreremos de velhos, ou interceptados pelos bandidos, ou outras doenças sociais e humanas, e nunca conseguiremos resolver.

  7. Tanto na Ação 470, o processo do famigerado “mensalão”, quando na Lava Jato, o grande mérito do judiciário foi fazer a constatação oficial, chapa-branca, de que realmente o $istema político encontra-se irremediavelmente podre. No mais, quanto aos auxílios-moradias, etc. e tal, resta demonstrado que cada poder faz o pega financeiro e se desaperta do seu próprio jeito, e às favas a Constituição. E o resto da população, que se vire nos trinta, como diz o popular Faustão, ou que faça das tripas coração pra sobreviver, reinvente-se, vire faquir, faça os diabos e pague o preço na forma da lei.

  8. Moro-Globo que ganha salário acima do teto estabelecido por lei ensina como burlar a lei e ter aumento salarial. Basta criar um auxilio moradia residindo na mesma comarca em que trabalha. Fala dos políticos e age igual.

  9. Flashes:

    Recomendo a série da Netflix, O Mecanismo;

    Faz mais de 15 dias e não se sabe nada sobre o assassinato de Marielle;

    Temer cada vez mais enroscado na sua própria corrupção;

    Lula após ter sido rechaçado na Região Sul, repelido, cuja reação contrária impressionou as demais cidades que visitaria com o seu bando de ladrões, aumentando o repúdio pela sua presença, deve estar fazendo cálculos sobre levar esta eleição de barbada;

    A esquerda está atordoada, e constata que se não manter pelo menos os parlamentares que com esta tendência se identificam, ela se autoextingue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *