Há uma primavera prometida para a Igreja, diz Leonardo Boff

Do site da UOL

O teólogo, escritor e professor Leonardo Boff, 74, deixou de lado o pessimismo com os rumos da Igreja Católica que marcaram suas análises durante os pontificados de João Paulo II e Bento XVI. Desde a ascensão de Francisco, o teólogo, que foi membro da Ordem dos Frades Menores, os franciscanos, passou a cultivar esperança com o futuro da Igreja.

Boff, que nos próximos dias lançará o livro “Francisco de Assis e Francisco de Roma”, acredita que o novo pontífice colocará a Igreja ao lado dos pobres, aproximando-se do dos preceitos da Teologia da Libertação, movimento que reformulou a atuação da Igreja na América Latina e do qual Boff é um dos maiores expoentes.

Em entrevista, o teólogo afirmou que Francisco irá, durante a Jornada Mundial da Juventude do Rio de Janeiro, que começa esta segunda-feira, “conclamar os governos a escutar as ruas” e indicará “as linhas básicas que darão a tônica de seu pontificado”. Ele também revelou que o pontífice tem ligações estreitas com a tendência argentina da Teologia da Libertação.

VISÃO MAIS ABERTA

Disse Boff: A intenção originária, de João Paulo II e Bento XVI, era dar visibilidade à Igreja Católica. Com o processo de secularização, o sagrado na Igreja ficou restrito às imagens. A outra dimensão é de dar mais visibilidade à Igreja e ao cristianismo. O papa Francisco vai ter uma visão mais aberta. Ele coloca o acento não na Igreja, mas nos povos do mundo. Ele enfatiza que Deus é de todos, não só dos católicos.

O papa admite que a Igreja e todos nós estamos confusos sobre o caminho da humanidade, mas temos que cuidar da terra, de um dos outros, caso contrário vamos ao encontro de uma grande catástrofe. Ele procura descobrir como o cristianismo pode ajudar a evitar essa catástrofe.

Houve mudanças muito profundas. Ele não ora mais no palácio pontífice, ele dispensou todos os aparatos do poder, a começar pelo papamóvel. No Rio, ele rejeitou suíte. Quis um quarto onde todos vão se hospedar. Dispensou a cruz de ouro e joias e manteve a cruz de prata. Ele faz a reforma do pontificado. Essa transformação está desmontando os argumentos que estavam minando a Igreja, que viam a Igreja como um castelo cercado de inimigos, em ruínas. Ele não entende a Igreja assim. A entende como um diálogo aberto, franco, com o mundo. Há uma primavera prometida para a Igreja, depois de um inverno rigoroso.”

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 thoughts on “Há uma primavera prometida para a Igreja, diz Leonardo Boff

  1. Então o papa Francisco aceita a tese de que Jesus de Nazaré foi o fundador do socialismo. No mínimo, que Jesus era um socialista militante, de acordo com as liturgias alternativas da “teologia da libertação”.
    Certamente o papa Francisco, se tivesse sido ocupante do pontificado no lugar do papa Pio XII, teria agido de modo contrário ao do fascista Eugênio Pacelli,secretário de Estado do papa Pio XI, tendo este último exibido sua profunda apreensão quanto ao sistema nazista de Hitler. Pio XII, no entanto, costumava, logo após sua eleição pelo Colégio de Cardeais, cumprimentar Herr Adolf Hitler por ocasião de seu aniversário.
    Espero que Sua Santidade o papa Francisco não se olvide de enviar suas calorosas saudações, com a ajuda e fruição de Deus, no aniversário do genial Fidel Castro. Pelo que está escrito por Leonardo Boff, o papado não mais considera os clérigos das “comunidades de base” como hereges.
    Eis uma prova de que Fidel Castro é um verdadeiro luminar na História da Civilização.

  2. Papa Paulo VI, em Populorum Progressio (1967):
    “A questão social agora abrange o mundo inteiro”.
    “Os povos da fome dirigem-se hoje, de modo dramático, aos povos da opulência. A Igreja estremece perante este grito de angústia e convida a cada um a responder com amor ao apelo do seu irmão”.
    Creio firmemente que Francisco abordará, com toda a veemência, as tão criminosas desigualdades sociais provocadas pelos povos da opulência.
    O sociólogo suíço, ex-relator das Nações Unidas para o Direito à Alimentação, JEAN ZIEGLER, afirmou que 10 (dez) empresas controlam 85% (oitenta e cinco) dos alimentos do mundo. Afirma ainda este senhor, que a fome é o fator que mais leva à morte, causando “pelo menos” o óbito de 18 milhões de pessoas, anualmente.
    Chegamos a este ponto. Franciscooo!!!
    Grite contra ISSO!!!
    (número desgraçadamente conservador, o do senhor Ziegler …)

  3. Agora temos um papa gente boa, esqueceremos todas as maldades causadas pela igreja católica ao longo dos séculos.
    as perseguições,os escândalos e etc…
    A Igreja Católica é uma verdadeira afronta ao evangelho de cristo deixado ao apóstolos, para salvação da humanidade!

  4. Sr. Paulo Bosta, aquele que escreve acima:
    O Sr. não só é cínico, como é patético, ignorante, um merda.
    Não existe qualquer relação entre o cristianismo e o marxismo. O cristianismo é transcendência, o marxismo é materialista. Em nenhuma parte dos Evangelhos se prega luta de classes, ódio, ressentimento. Karl Marx desprezou as religiões, e todo programa socialista é ateu.
    Os comunistas, et caterva, buscam capitalizar, obter resultados, mentindo, tentando relacionar Cristo a Marx, faz parte do programa pilantra dos comunistas, mas não se sustenta. NÃO PASSA DE MENTIRAS, FALCATRUAS, USUAIS, PRATICADAS PELOS COMUNISTAS.
    O cristianismo perdoa, os marxistas matam. 100 MILHÕES DE PESSOAS FORAM EXTERMINADOS EM NOME DAS EMPULHAÇÕES MARXISTAS. Em nome de “um novo mundo”, as piores misérias foram perpetradas.
    Fidel Castro foi um filho da puta, encarcerou a população cubana, e é o “VAMPIRO DO CARIBE”, executou pessoalmente aqueles que discordaram dele, é um escroque.O que dia em um Papa citar o nome deste salafrário, deve ser expulso a pontapés do Vaticano, e voce sabe disso, cínico.
    E mais, Paulo Bosta, a teologia da libertação, não passa de vulgar tentativa de inocular o comunismo na doutrina cristã, lixo, merda.

  5. Como sempre, o Sr. Paulo Bosta, fará ouvido mouco, e ficará calado, pelo cinismo, pela baixeza das suas palavras, pelas mentiras e afrontas ao Cristianismo, pela falsidade, baixeza das suas declarações.
    Sou civil, nunca recebi ordens, e todo milico, todos, são covardes, frouxos. Ninguém aponta o dedo no meu nariz, a única hierarquia que respeito é a hierarquia dos argumentos.
    O dia que um homem apontar o dedo na minha cara, disparo 6 tiros na cara deste homem, e o mando para o inferno.

Deixe uma resposta para Mário Leme Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *