Herança maldita

Blacks em São Paulo

Alan Gripp (Folha)

 O roteiro é manjado. O protesto, seja lá contra o que for, começa pacífico até que um grupo mascarado, como se atendesse a um comando único, toma a frente da marcha e começa a quebrar tudo o que surge pela frente.

“Chegaram os black blocs'”, costuma-se ouvir entre os manifestantes, num tom que mistura medo e um certo glamour da violência.

O “black bloc”, na verdade, não é um movimento, e sim uma estratégia de protesto anarquista. Seus adeptos cobrem o rosto e se vestem de preto para dificultar a identificação e a fim de parecer uma massa única, criando uma aura revolucionária.

Esse método apareceu nos protestos antiglobalização no fim da década de 1990. Símbolos capitalistas são os alvos preferidos, mas a versão tupiniquim tem especial atração por semáforos, radares, cabines da PM e outros equipamentos públicos.

Por aqui, seus adeptos deram as caras nos primeiros atos pela redução da tarifa de ônibus, em São Paulo. De lá para cá, entretanto, muita coisa mudou. Os “black blocs”, especialmente paulistas e cariocas, crescem em progressão geométrica, estão sempre preparados para a guerra e já organizam as suas pró- prias manifestações.

Anteontem, na avenida Rebouças, portavam martelos e marretas, usados para quebrar agências bancárias e carros de luxo de uma loja.

Há três semanas, num ato contra a TV Globo, usaram laptops e projetores para exibir mensagens gigantes nas fachadas de prédios.

Nesse mesmo dia, em “assembleia” assistida pela Folha, discutiram táticas para escapar da polícia, entre elas hospedar sites em servidores da Rússia ou de Taiwan, “impossíveis de derrubar”.

As “vozes das ruas” produziram conquistas inegáveis. A principal delas foi dar à classe política a sensação de estar sendo constantemente vigiada. Nesse balanço, porém, pode-se dizer que os “black blocs” são a herança maldita dos protestos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 thoughts on “Herança maldita

  1. Muito estranho

    Os protestos, súbitos e inexplicáveis, dado à sua intensidade e quadro geral econômico, aparecem por todas as partes, constituídos de jovens da classe média, despolitizados, bem nutridos, longe da real noção do caos do desemprego (no Brasil, um dos mais baixos desempregos do mundo) e sobre custo de vida (já em plena queda).

    Como por encanto, as manifestações apareceram por todas as capitais do Brasil, pacificamente, obedecendo a misterioso comando. Junto e sempre, aparecem os grupos de baderneiros, vândalos, e saqueadores de lojas, especializados em depredações de bancos e de concessionárias de veículos. A polícia, super equipada, apresenta-se apalermada, confusa e despreparada. Prossegue sem capacidade de por um rápido fim nessa inexplicável baderna. Para maior espanto de tudo, a grande “mídia livre”, estranhamente condescendente com todo esse grande vandalismo e pilhagens. Manifestação pacífica é da democracia. Badernas e pilhagens, não.

  2. Estão dando muita importância pra esses grupo de vagabundos, os Black bloc.
    Na mídia vê-se, perfeitamente, que o motivo das manifestações, mesmo com apelos múltiplos de uma população, não interessa.
    Ai surge a dúvida: a quem interessa a baderna?!
    Ontem, no Rio, houve uma amostra disso.
    A policia, fora da rua onde mora outro safardana, deixou o campo ou melhor, o bairro exposto à sanha desses vagabundos padrão bloc. Porque isso?
    E a policia não caracterizada, estava aonde?
    A impressão que se deixa é que esses vagabundos são um contra-ação visando desmobilizar, desmoralizar e acovardar as pessoas que realmente desejam melhoras nas instituições brasileiras e só tem a rua para mostrar sua indignação.
    Vitor.

  3. Pq “herança maldita”? seria mais convencional aceitar a “herança maldita” de políticos corruptos, alianças espúrias e jornalistas “chapa-branca”? os black blocks (como o próprio texto citou) existem em todas as partes do mundo onde a população protesta… aliás, os protestos no brasil foram muito mais tranquilos do que os que se verificam em outros países e mesmo nos EUA e na EUROPA. A citação de “horror” pelos protestos e quebra de bancos é desproporcional se comparado ao número de mortes nas estradas mal conservadas ou nos hospitais públicos.Talvez seja melhor deixar que as massas fiquem apenas discutindo futebol enquanto o mundo vai se degradando de maneira espantosa? incrível como esse “blog” está se tornando cada dia mais reacionário… não vale mais a pena passar os olhos por aqui.

  4. OS BLACK BLOC SAO UMA DAS MELHORES COISAS QUE JA ACONTECEU NO BRASIL. QUEBRA A PORRA TODA, TACA FOGO, DEPREDA, SAQUEIA. NAO VEJO A HORA DA SELVAGERIA ABSOLUTA. A MESMA APLICADA PELAS POLICIAS MILITARES DOS ESTADO BRASILEIROS. SELVAGERIA VOLTADA CONTRA POLITICO CORRUPTO, EMPRESARIOS E BANQUEIROS QUE ACUMULAM RIQUEZA EM DETRIMENTO DO RESTO DO PAIS, JUIZES E PROCURADORES SAFADOS(INCLUSIVE OS DO SUPREMO QUE ADORAM TIRAR BANQUEIRO BANDIDO DA CADEIA). EU QUERO UM ESTADO DE SELVAGERIA ABSOLUTO. OS POLITICOS E A ELITE BRASILEIRA NAO TEM O MENOR RESPEITO PELA GRANDE MAIORIA DOS BRASILEIROS. NA VERDADE, PARECEM ODIAR O POBRE. CHEGA DE HOMENS DE BEM ALHEIO, VAGABUNDOS, GANGSTERS EXIGEREM RESPEITO. RESPEITO E O CARALHO. VAMOS ENFORCAR ESSES PUTOS TODOS EM PRACA PUBLICA, DAI MINHA GENTE, ESSE PAIS MUDA!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *