Homens-bomba islâmicos matam nove em hotel de luxo na Líbia

Forças de segurança líbias cercam hotel invadido por jihadistas

Da Agência Brasil

Pelo menos nove pessoas, incluindo cinco estrangeiros, foram mortas hoje (27) em ataque de homens armados contra o Hotel Corinthia, em Trípoli, na Líbia. Em seguida, eles entraram no hotel e se explodiram, de acordo com informações do porta-voz da segurança líbia, Issam Al Naas.

Al Naas desconhecia a nacionalidade dos cinco estrangeiros, mortos a tiro pelos autores do ataque, reivindicado pelo movimento jihadista Estado Islâmico (EI).

Uma sexta pessoa, feita refém pelos atacantes e de nacionalidade ainda desconhecida, morreu quando os homens armados detonaram os cintos com explosivos que transportavam, acrescentou o porta-voz. Segundo ele, eram três os jihadistas.

Três integrantes da segurança do hotel também morreram. Um na explosão de um carro-bomba, em frente ao estabelecimento e antes do ataque, e dois vítimas dos tiros.

“Perseguidos e cercados no 24º andar do hotel, os jihadistas detonaram os cintos com explosivos que transportavam”, disse Al Naas. Outra fonte dos serviços de segurança líbio confirmou a informação.

O 24º andar do hotel normalmente é reservado para a missão diplomática do Qatar, mas, de acordo com fontes da segurança, nenhum responsável ou diplomata estava no local no momento do ataque.

O chefe do governo autoproclamado da Líbia, Omar Al Hassim, estava no interior do hotel quando ocorreu o ataque. Conforme o porta-voz, ele foi retirado sem problema.

Cinco pessoas ficaram feridas, três a tiros e duas funcionárias filipinas por estilhaços de vidro.

Nas mãos das milícias de ex-rebeldes, que disputam território e a riqueza petrolífera, o país é dirigido por dois parlamentos e dois governos rivais, um próximo da coligação de milícias Fajr Líbia e outro reconhecido pela comunidade internacional.

One thought on “Homens-bomba islâmicos matam nove em hotel de luxo na Líbia

  1. A ” Primavera Árabe” foi um sopro de esperança para o povo do Oriente Médio. No entanto, as potências europeias e os EUA, preocupadas com os poços de petróleo, interviram no processo de mudanças democráticas exigidas pelo povo muçulmano.

    Começaram com o envio de armas para os insurgentes, depois treinaram aqueles jovens, com táticas de guerrilha e de destruição da infraestrutura para enfraquecer o coronel ditador Muamar Kaddafi. Como não obtiveram sucesso na empreitada, utilizaram o Plano B. Aviões ultra modernos entraram no espaço da Líbia, os famosos e danosos DRONES despejaram milhares de bombas, em aeroportos, pontes, viadutos, escolas, hospitais, enfim, condenaram o povo líbio as condições da Idade Média, tudo para desestabilizar e derrubar Kaddafi.

    O presidente da Líbia captulou e ao fugir foi capturado e morto em condições sub-humanas no deserto, junto com seu filho mais velho.

    A vontade das super potências foi satisfeita. Ocorre, que a Líbia é hoje um país quebrado, sem governo e perdido com as diferentes tribos lutando pelo poder. Em síntese: Destruíram um país moderno, um verdadeiro oásis de Bem Estar Social, numa região conflagrada por disputas internas e os povos sofrendo barbaridades. Tinham que acabar com o exemplo da Líbia para que não fosse seguido pelos governos que fazem fronteira ao norte e a sul. Parece, que a sina daquelas populações e viver sob o obscurantismo mais perverso, a condenação do nada a ter, apenas ver sua maior riqueza (petróleo) sendo exportada para a Europa e EUA.

    Os campos petrolíferos estão preservados, enquanto a capital Trípoli vive a beira de uma guerra civil. Mas, agora, os atores internacionais dão de ombros, como se eles não tivessem nenhuma participação no drama da população líbia. Que mundo cruel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *