Ibope: Dilma se recupera e hoje venceria no primeiro turno

Pedro do Coutto
 

Pesquisa do Ibope encomendada pelo Jornal O Estado de São Paulo e publicada na edição de sexta-feira também pelo O Globo e Folha de São Paulo, revela a recuperação da presidente Dilma Rousseff em matéria de intenções de voto para as eleições de 2014. Ela subiu de 30% em julho, para 38 pontos em setembro, enquanto Marina Silva desceu de 22 para 16%. No mesmo período, Aécio neves recuou de 13 para 11 pontos. Eduardo campos passou do quinto para o quarto lugar. Trinta e um por cento é a faixa de eleitores indecisos (16%) e  dos que se dispõem a votar em branco ou anular o voto, na escala de 15%.
Logo, se a sucessão presidencial fosse agora, Dilma Rousseff estaria reeleita. Retirados do cálculo aqueles 31%, 69 passam a ser  iguais a 100. Trinta e oito pontos são mais do que a metade de 69%. Ou, como acentuou a reportagem de O Globo, Rousseff tem mais intenções de voto que as dos demais candidatos, no subtotal de também 31%. O Ibope fez uma segunda rodada, substituindo Aécio por José Serra. Em vez de 11, Serra alcançaria 12 pontos. O cenário permanece quase o mesmo,  portanto.

O Instituto presidido por Carlos Augusto Montenegro colocou em prática alternativas simuladas para um segundo turno. Contra Marina, Dilma venceria por 43 a 26. Tanto contra Aécio ou Serra, a margem a favor da atual presidente seria de 45 a 21%. Finalmente, se o adversário fosse Eduardo campos, Dilma venceria por 46 pontos contra apenas 14%. O aspecto mais importante da pesquisa, a meu ver, está na identificação das tendências.


A tendência de Dilma Rousseff voltou a ser  para cima, enquanto a de sua principal adversária, Marina Silva, é para baixo. A estagnação assinala as posições de Aécio Neves (ou José Serra) e de Eduardo Campos. Faltou apenas, ao Ibope, pesquisar um universo reunindo Dilma, (pelo PT-PMDB), Aécio Neves (pelo PSDB), José Serra (pelo PPS) e Eduardo Campos (pelo seu partido o PSB). Assim poder-se-ia avaliar as forças de Aécio e de Serra num cenário conjunto. Mas em tal hipótese Marina Silva estaria excluída, já que o PPS pode oferecer a ela, e não a Serra, sua legenda para disputar a presidência da República.

Os leitores hão de ter notado em todas as alternativas um percentual superior a 30% permanece indefinido. Mas nunca tal quadro se matem no final da campanha. Nada disso. À medida em que as engrenagens das candidaturas se acumulam, cai a taxa de indecisão. Nos últimos pleitos presidenciais vem se restringindo a 7 ou 8%. Isso porque o desenvolvimento da campanha, como não pode deixar de ser, vai envolvendo o eleitorado motivando-o para o momento das urnas. A publicidade é intensa, os pronunciamentos e posicionamentos políticos também. Assim aconteceu na sucessão de 2010, quando Dilma venceu Serra por 56 a 44 pontos dos sufrágios úteis, que passaram da escala de 90%.

Dois fatores somam para Dilma Rousseff: o programa Bolsa Família, especialmente no Nordeste, e a política salarial. Os trabalhadores, servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS vêm sendo reajustados anualmente, não perdendo para a inflação do IBGE. O salário mínimo até um passo acima. Quadro frontalmente diferente do que acontecia no governo FHC e do que acontece hoje no governo Sergio Cabral, no Rio de Janeiro.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

13 thoughts on “Ibope: Dilma se recupera e hoje venceria no primeiro turno

  1. É muita ingenuidade achar que, baseado em “pesquisas” feitas hoje com 2.000 pessoas, o PT venceria no primeiro turno. Nas 3 eleições que o PT venceu sempre conseguiu no primeiro turno, apenas pouco mais de um terço dos votos do TOTAL de eleitores inscritos. Nesta eleição é altamente improvável (para não dizer impossível) alguém ganhar no primeiro turno, pois ventos e tsunamis se aproximam de forma surpreendente da nossa debilitada economia.

  2. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO analisa o quadro, e por enquanto é isso mesmo. Queiramos ou não, com as informações do último parágrafo, e desde que o DESEMPREGO permaneça baixo como está, atualmente em +- 6,5% da Força de Trabalho, e a INFLAÇÃO sob controle também em +- 6,5%aa, a posição da Presidenta DILMA é quase imbatível. Abrs.

  3. Pedro,
    A D. Dilma se reelege mesmo, mantidas as circunstâncias atuais.
    Não há outo politico com prestígio nacional em oposição a ela.
    Partidos políticos, nem pensar. Atualmente, todos dominados por anões.
    Nenhum partido tem alguma proposta de Nação.
    Vivemos o deserto de políticos, ideias e propostas sérias. Aliás, atualmente politico detesta que pensa um pouco ou possa ter alguma ideia!
    Vivemos sim, a glória da BOCA Política.
    Poder e mamar,nos três poderes, que alegria viver!
    SDS
    Vitor.

  4. O PT nunca venceu no primeiro turno. NUNCA! Nem quando a classe média estava encantada com as falácias do “Lulalá”.
    Hoje em dia, com o desgoverno petista, a inflação crescente, o analfabetismo voltando, seria muito, mais muito difícil mesmo que isso acontecesse.
    No segundo talvez, com a manipulação sendo bem possível…

  5. primeiro as pesquisas indicando dilma vencedora
    segundo as urnas eletronicas sem comprovante de votacao
    como posso acreditar nas pesquisas com gente morrendo nos hospitais, geracoes sem educacao. dinheiro jorrando para a copa e olimpiadas. policia agredindo o cidadao, para proteger o governante. para proteger o povo dos bandidos, nem pensar. o que tem de bom para dilma estar com com esta aprovacao. tem muita coisa estranha.

  6. Hummmm, matéria interessante mas que reflete apenas o momento – como afirmam especialistas em pesquisas. Mas, andando pelo interior da Brasil, a serviço do Programa Minha Casa Minha Vida, percebo que o povo nada tem contra a Dilma. A mim fica claro que política no Brasil continua sendo para poucos, para a elite – econômica e intelectual. O povão tá mais preocupado é com seu bem estar imediato. Como sugestão para um eventual novo governo PT/DILMA, sugiro que haja 500 novas escolas públicas de medicina para formar médicos saídos das famílias de trabalhadores. Assim, estudando com dinheiro público, após formados, cada novo médico ou médica, daria meio expediente nos hospitais e postos de saúde públicos gratuitamente como forma de compensar a sociedade pelo investimento na sua formação. Assim, o PT sabe muito bem, não haveria porque importar médicos e médicas para atender o povo trabalhador do nosso imenso, rico mas desigual BRASIL. Dilma, vá em frente. Nós precisamos da guerreira que há em você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *