Imprensa internacional aposta em Dom Odilo Scherer como próximo Papa

Renata Giraldi (Agência Brasil)

A missa celebrada pelo arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, de 63 anos, indicou hoje (10) que, para a imprensa estrangeira, ele está entre os mais cotados para suceder o papa Bento XVI. Repórteres, fotógrafos e cinegrafistas italianos, espanhóis, portugueses, norte-americanos e canadenses lotaram neste domingo a Igreja de Sant’Andrea (Santo André, em português), no centro de Roma, para assistir à cerimônia.

D. Odilo tem 63 anos

Dom Odilo nasceu em uma família de 13 filhos, de pais descendentes de alemães radicados no interior do Rio Grande do Sul. Desde cedo, demonstrou vocacão para o sacerdócio, estudando no Seminário São José, em Toledo, no Paraná, no Seminário Menor São José, em Curitiba, e na Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul.

O cardeal é formado em Teologia, no Studium Theologicum da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, é mestre em Filosofia e doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Dom Odilo domina vários idiomas, entre eles alemão, italiano e latim.

Às vésperas do início do conclave (reunião de cardeais para eleição do papa), a imprensa italiana e internacional intensifica as apostas sobre quem será o sucessor de Bento XVI. Com o voto secreto, garantido por juramento dos cardeais e pela cédula queimada, as especulações em torno do nome aumentam.

Na relação dos cardeais com chance de suceder Bento XVI, há brasileiros, argentinos, colombianos, asiáticos, africanos, europeus, canadenses e norte-americanos. O nome de dom Odilo passou a ser citado com mais frequência, embora ainda ocorram menções a outros candidatos.

OUTROS CANDIDATOS

Eis a lista de cardeais citados com mais frequência entre os que têm possibilidade de vencer no conclave:

Peter Turkson, de 64 anos, ganense, chefe da Comissão de Justiça e Paz do Vaticano; Laurent Monsengwo Pasinya, de 74 anos, congalês, arcebispo de Kinshasa; Luis Antonio Tagle, de 57 anos, filipino, arcebispo de Manila e membro do Colégio de Cardeais; Jorge Bergolio, de 76 anos, argentino, arcebispo de Buenos Aires; Leonardo Sandri, de 69 anos, ex-núncio na Venezuela e no México; Óscar  Maradiaga, de 70 anos, hondurenho, arcebispo de Tegucigalpa, preside a Cáritas Internacional; Grianfanco Ravasi, de 70 anos, presidente do Conselho da Pontifícia de Cultura; Angelo Scola, de 71 anos, arcebispo de Milão, na Itália, defende o diálogo entre muçulmanos e católicos; Péter Erdo, de 60 anos, húngaro, arcepisto de Budapeste; Marc Ouellet, de 67 anos, canadense, ex-arcebispo de Quebec e prefeito da Congregação dos Bispos;
Carlo Maria Virgano, de 72 anos, norte-americano, núncio apostólico nos Estados Unidos; Charles Chaput, de 68 anos, norte-americano, arcebispo da Filadélfia; Timothy Dolan, de 63 anos, norte-americano, arcebispo de Nova York.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *