Indignação da professora Janaína Paschoal é procedente, não há dúvidas

Janaína tem o direito à preservação de sua imagem

Jorge Béja

O uso indevido do nome de uma pessoa já constitui ofensa ao Direito da Personalidade, ao Direito à Privacidade. Procede a indignação da advogada Janaína Paschoal, professora da Universidade de São Paulo (USP), em relação à nota publicada sábado em o Globo por Jorge Bastos Moreno. O fato citado pelo jornalista não ocorreu. Não é do interesse público e nem diz respeito ao processo em que a advogada atua. A notícia contém forte potencial para desequilibrar a paz pessoal da advogada e sua harmonia familiar.

A advogada foi, pública e nacionalmente, apontada como sendo vítima de assédio que não ocorreu. A advogada é casada, tem dois filhos, duas irmãs e toda a sua família é unida. Só as pessoas de bem e de elevada reputação moral e profissional ficam magoadas e atingidas quando deparam com seu precioso nome como alvo de numa notícia desairosa e inverídica.

Pela causa que abraçou e pelo seu desempenho que a todos encanta e faz renascer a esperança de um Brasil limpo, a advogada deve receber o respeito de todos os brasileiros. O direito de informar tem como fundamento a divulgação de fato verdadeiro. Seu limite é a verdade. Quando ultrapassado e penetra na mentira, aí deixa de ser “o direito de informar inerente à profissão de jornalista”.

6 thoughts on “Indignação da professora Janaína Paschoal é procedente, não há dúvidas

  1. Jorge Moreno é daqueles jornalistas fofoqueiros que vivem à custa de denegrir a imagem das pessoas. Como não tem escrúpulos, Moreno ataca a torto e a direito pessoas de bem somente para produzir sensacionalismo para causar impacto e virar manchete de jornais. É esse tipinho que adora dar furo de reportagem, mesmo com notícias falsas. O pior é ele não cria vergonha na cara e não procura uma função no jornalismo para produzir algo de bom. Só produz porcaria. o Globo não deveria contratar esse tipo de profissional fofoqueiro que ataca a honra alheia. Vá se catar Moreno…

  2. Este pseudo-jornalista, leviano e sem caráter, é o típico representante da imprensa marrom ou morena. Tipo asqueroso, se fazia passar por íntimo de figuras petistas com as quais se nivela, por baixo.
    A Dra. Janaína, que não conheço, mas sei quem é, sabe que as inverdades deste crápula não a atingem e se perderão no tempo, como tantas outras.
    Realmente, o jornal merece coisa melhor do que gente deste tipo e deste baixo nível moral.

  3. Esse tal de Moreno jamais me enganou. Nunca li a coluna que ele comete no Globo, mas vejo uns falando bem dela e centenas falando mal. Não perco o meu precioso tempo.

  4. Vai botar culpa na fonte, o famoso anônimo. Que é a famosa Conceição, ninguém sabe ninguém viu. Coloque um processo ele vai logo dizer que foi um mal entendido, se fosse ao contrário iria pedir uma indenização milionária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *