Indústria e serviços puxam o PIB com alta de 7,7%, mas continua a incerteza com a economia

Alta do PIB de 2021 pode chegar a 4%, diz presidente do Banco Central

Ilustração reproduzida do Portal Terra

Míriam Leitão
O Globo

O PIB do terceiro trimestre cresceu fortemente como se previa, mas menos do que o governo esperava. Foi 7,7%, e o governo estava projetando 8,3%. Depois de dois trimestres encolhendo, esse crescimento não deixa de ser boa notícia, mas o fato é que não voltamos ao nível pré-crise, a queda no acumulado do ano ainda é de 5%. O país diminuiu 1,5% no primeiro trimestre, 9,6% no segundo, e agora tem uma alta de 7,7%.

A primeira impressão dos economistas, que voltaram todos para os seus cálculos, é que o número é menor do que se esperava. E o quarto trimestre se tornou mais imprevisível pelo avanço do coronavírus. Mas o PIB do terceiro trimestre é sempre o que foge das projeções, por causa dessa revisão para trás feita pelo IBGE, que mexe na base de cálculo.

O QUE SUBIU – A indústria teve uma alta de 14,8% e todos os segmentos dos servidos cresceram, com alta de 6,3%. O comércio subiu bastante, 15,9%. A surpresa negativa foi a agricultura, que recuou 0,5%. A base era fraca, o segundo trimestre havia sido muito ruim. No ano, o desempenho ainda é negativo. O acumulado em 2020 é de queda de 5%.

Esse crescimento de 7,7% não recompõe as perdas. O Brasil ainda não voltou ao nível pré-crise. O governo tem dito que a recuperação acontece em “V”, mas os dados do mercado de trabalho, com desemprego recorde, mostram que ainda é cedo para dizer que a crise ficou para trás.

###
NOTA DE REDAÇÃO DO BLOG
O mais decepcionante é o comportamento do IBGE, com suas constantes correções de seus índices. O Instituto, que já foi um dos órgãos de estatística mais respeitados do mundo, vem caindo verdadeiramente num buraco negro. As correções de PIB, podem conferir, são sempre para aumentar, jamais para diminuir. Ou seja, o IBGE quer nos convencer de que só erra para menos, nunca para mais.

São essas coisas que confirmam minha definição preferida de Estatística: “É a arte de torturar os números até que eles confessem o total que desejamos”.  E digo isso com conhecimento de causa, pois trabalhei durante quatro anos no IBGE, antes de iniciar essa longa e tumultuada carreira jornalística. (C.N.)  

5 thoughts on “Indústria e serviços puxam o PIB com alta de 7,7%, mas continua a incerteza com a economia

  1. O Brasil necessita de Investimento Interno e externo para voltar a crescer forte. Os Investimentos serão da Iniciativa Privada já que o Governo está esgotado.

    A Iniciativa Privada, Interna e especialmente a Externa, para se decidir, olham para a SOLVÊNCIA do Governo
    em pagar suas Contas no futuro sem INFLAÇÃO muito fora da Meta de 4%aa, e uma Taxa de Câmbio +- estável de 1 US $ = R$ 5,50.

    As incertezas estão em uma série de REFORMAS e PEC 186 /2019 e PEC 188 /2019, que fixam as Medidas de Tempos de Crise Fiscal, entre outras coisas permitindo que a Jornada e o Salário do Funcionalismo Federal, Estadual e Municipal, de forma Universal e Linear, sejam REDUZIDOS em até 25% até se sair da Crise.

    Tem também a importante decisão sobre a nova CPMF 0,20% ( Chamada Digital) que Arrecadaria +- R$ 150 Bi/Ano aliviando o Deficit Fiscal Federal.

    Com o Governo BOLSONARO/MOURÃO minoritário no CONGRESSO, tudo fica em compasso de espera até o CONGRESSO, agora parece que sob as mesmas Presidências, decidam logo estas importantíssimas Questões.
    Quanto mais rápido melhor para voltar o Investimento Privado e acelerar o crescimento.

    • Mestre, permita mais uma vez o leigo enfiar sua colher, logo após agradecer sensibilizado sua atenção para com meu comentário à sua aula de ontem.
      Entendo eu, que a ineficiência e impropriedade na formulação e implementação do Orçamento, Investimentos Públicos e Privados, e as políticas fiscal, monetária , cambial e demais elementos da política económica do país não são os motivos fundamentais da nossa situação pré-falimentar, já que é inconcebível que ministros e técnicos afins do governo, sejam necessariamente mais incompetentes do que seus críticos.
      Eu, alertando que não é dogma, mas uma firme convicção, entendo que a causa mater seria a total e absoluta falta de espirito público por parte de governantes, parlamentares, juízes, empresários, fiscais da Lei, jornalistas e até intelectuais, o que possibilita que as ações económicas e financeiras do Poder Público, em todos seu níveis, tenham como prioridade o interesse de grupos dominantes, o interesse pessoal e por último, o interesse nacional.
      Até Quando?

  2. Prezado Sr. F. MORENO,

    Sua abalizada opinião sobre a ineficiência na aprovação do Orçamento Federal/2020 e atraso do Congresso em Votar uma série de REFORMAS importantes para reduzir as INCERTEZAS Econômicas para os Investidores, tem muito de Verdade.

    Mas ainda acho que a causa principal é a disputa entre as ideias Neo-Liberais do Ministro da Fazenda Sr. PAULO GUEDES, e as ideias Nacional-Desenvolvimentistas da Maioria do Congresso e boa parte das FFAA.

    A Suprema Corte está agora decidindo para que lado vai pender a balança.

    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *