Infelizmente, o juiz Moro não quer ser político, ninguém o venceria numa eleição

Charge do Paixão, reproduzida da Gazeta do Povo

Francisco Bendl

O entusiasmo com relação ao juiz Sérgio Moro, em nível nacional, demonstra a necessidade de haver líderes positivos, decentes, honestos, que demonstrem interesse pelo Brasil. Moro vem fazendo um trabalho até então inédito, que é condenar os ladrões de colarinho branco e expor a máfia reinante no Legislativo e Executivo, assim como os empresários criminosos que se associaram às quadrilhas que atuam travestidas de partidos políticos.

Por seu incessante trabalho patriótico, Moro obtém a admiração do povo e merece os aplausos que recebe por onde vai, sempre que é encontrado em algum local público. Surpreendentemente, não acontece o mesmo com o Supremo Tribunal Federal, que deveria apoiar plena e irrestritamente o juiz paranaense, ao invés de repreendê-lo e tirar parte de sua autoridade, em demonstração evidente de preservação de interesses e conveniências de autoridades, empresários e políticos.

FAMA E SUCESSO – Moro consegue ter mais fama e sucesso do que o ministro Joaquim Barbosa por ocasião do mensalão, quando o então presidente do Supremo também era ovacionado em todo canto, mas virou as costas ao povo quando decidiu renunciar ao apelo popular para se candidatar, se não à presidência da República, pelo menos a senador. Preferiu se aposentar precocemente.

O juiz Moro ainda é jovem, tem muito tempo de carreira pela frente e, certamente, não renunciaria à sua profissão para enveredar por esta política nojenta, da qual ele tem sido o necessário verdugo, e isso significa que ainda continuaremos carentes, sem ter um líder político em que possamos confiar, seguindo eternamente representados por corruptos e ladrões.

A DECISÃO DE TOFFOLI – A opinião pública tem todo o direito de ficar decepcionada e indignada com o procedimento do Supremo Tribunal Federal quando julga criminosos políticos, porque a impunidade nos decepciona, nos frustra, nos faz ver que a Justiça no Brasil é posta de lado e dá lugar aos interesses e conveniências pessoais.

A decisão de Toffoli significa uma agressão frontal aos servidores, aposentados e pensionistas que foram lesados pela quadrilha montada na pasta do Planejamento pelo ministro petista Paulo Bernardo .

Desse jeito, de pouco adiantarão os extenuantes trabalhos do Ministério Público, da Polícia Federal e da Justiça de primeira instância, se no Supremo há ministros que acobertam esses crimes contra o povo e libertam um político flagrantemente corrupto, com provas abundantes contra ele. Fica demonstrado que o STF está disposto a defender o sistema que Executivo e Legislativo implantaram para sangrar o Brasil e beber o sangue do povo até a última gota, atuando como vampiros da economia popular.

11 thoughts on “Infelizmente, o juiz Moro não quer ser político, ninguém o venceria numa eleição

    • Pedro,
      De certa forma tens razão.
      Ser um parlamentar atualmente é sinônimo de ladrão, corrupto, desonesto, antiético e imoral.
      Assim que Moro fosse eleito estaria contaminado por este vírus político.
      Grato pelo comentário.
      Um abraço.
      Saúde e Paz!

  1. Toffoli vc possui um irmão excepcional?
    Este excepcional irá para o céu, você reze, reze, reze.
    E que cena ao levá-lo para sabatina, para falar que você é bonzinho… Coitados dos que pensam assim.

    • Meu caro Jacob,

      Grato pelo elogio e participação.

      A crise que vivemos, de ausência de homens públicos confiáveis, certamente é a maior desde que o Brasil foi descoberto!
      Os poderes, Legislativo e Executivo, apodreceram, o STF se encaminha célere à mesma condição de descrédito, restando uma pessoa que combate a corrupção e tem nos mostrado as entranhas das negociatas envolvendo as instituições, Moro.

      Se se candidatasse, a sua eleição seria absoluta, no entanto, o ônus seria em demasia à sua carreira como magistrado e pessoalmente, em razão do atual estágio da política nacional, um desastre ético e moral!

      Um forte abraço, meu amigo Jacob.
      Saúde e Paz!

  2. Detalhe:

    Na operação Lava Jato o STF determinou 5 prisões preventivas e até agora não condenou ninguém.

    Enquanto isso, as Primeiras Instâncias (destaque para Curitiba, Rio, São Paulo e Brasília) já prenderam em flagrante 6 pessoas, preventivamente 73 pessoas, temporariamente 87 pessoas e condenaram 105 pessoas contabilizando 1140 anos 9 meses e 11 dias de pena.

    • Froes, meu amigo,

      Por onde andas?

      E este sumiço?

      Deves estar lendo as minhas críticas com relação à atuação do STF sobre os grandes criminosos, no sentido de preservá-los, protegê-los, deixá-los impunes!

      Toffoli me liberta o ladrão Paulo Bernardo, com base em detalhe sem qualquer importância, mas bastou para alegar a prisão do malfeitor desnecessária, devolvendo-o às suas atividades criminosas, portanto, se no Primeiro Grau a Justiça se faz presente, na Alta Corte impera a INJUSTIÇA, a diferença de tratamento entre cidadãos comuns e os grandes bandidos, aqueles que roubaram o Brasil e o povo, e que encontram na Suprema Corte a guarita que precisam para se proteger da chuva de acusações que lhes vergam a coluna!

      Obrigado pelo comentário e participação, meu caro.
      Um forte abraço.
      Saúde e Paz!

  3. O meu também Mestre Sr. FRANCISCO BENDL neste bom Artigo, lamenta que o Juiz Dr. SÉRGIO MORO não quer ser Político, se dedicar a “Administração Pública”.

    Desconfio que não somente o Dr. SÉRGIO MORO, mas também muitos COMPETENTES E EXPERIENTES Cidadãos, também não querem, devido a nosso caríssimo e desorganizado SISTEMA POLÍTICO.
    Durante a Campanha já seriam reféns do seu Partido Político do qual “não seriam CHEFE”, e na Administração seriam reféns da multidão de Partidos que formam o Congresso Nacional.

    Temos que antes mudar nosso SISTEMA POLÍTICO para melhor; Tipo, Cláusula de Barreira RIGOROSA, proibição de re-Eleição dos Cargos Executivos voltando Mandatos de 5 anos, Voto Facultativo, permissão de Candidatos INDEPENDENTES sob certas Condições, Recall de maus Eleitos, preenchimento de todos os Cargos de Tribunais de Contas via CONCURSO PÚBLICO, etc,etc.

    A meu ver, sem fazer uma REFORMA POLÍTICA para melhor, não tem jeito.
    A alternativa Clássica seria uma DITADURA ( Militar ou Civil ). Civil tivemos a do Presidente GETÚLIO VARGAS de ( 1937 – 1945 ) e Militar tivemos o Regime Autoritário de 1964 que durou de 1968 ( AI-5 do Presidente COSTA E SILVA ao fim do AI-5 pelo Presidente GEISEL em 1978), que se resolveram certos problemas, por outro lado criaram outros bem maiores.

    • Caro mestre Bortolotto,

      Tem sido uma honra sempre que tu participas de um artigo meu, graças à generosidade do Newton, que transforma nossos comentários em artigos, eventualmente.

      Obrigado, portanto, pelo registro da tua opinião a respeito.

      E concordo com o que escreveste, que uma reforma política é impossível com este Congresso atual, corrupto e desonesto, imoral e antiético!

      Tenho defendido o fechamento do Congresso, quando as alterações serão feitas e, após um certo período, quatro, seis meses, a sua reabertura com novas regras existentes.

      Não podemos mais ficar constatando passivamente o desfilar de escândalos diários, relatando as quantias roubadas do povo, um escárnio, deboche, tanto porque não foram presos os ladrões como ainda continuam em suas atividades criminosas!

      De fato, vivemos um período de exceção, que se não diz respeito à ditadura, significa o poder nas mãos de meliantes, bandidos, que se aproveitam de suas funções para enriquecer, roubando o patrimônio nacional e explorando o povo inculto e incauto!

      Grato pelo comentário, mestre Bortolotto.
      Um forte e caloroso abraço.
      Saúde e Paz!

  4. Pingback: Ninguém venceria Sérgio Moro em uma eleição – Debates Culturais

  5. Caro Bendl ótimo artigo,e demais comentários, assino em baixo.
    O JUIZ DR. SERGIO MORO, NO MOMENTO ATUAL, COMO JUIZ, QUE HONRA A JUSTIÇA, É EXEMPLO, E A EQUIPE QUE O ASSESSORA – MPF E PF. CREIO QUE SERVE MAIS AO BRASIL, DO QUE SE MISTURAR NESSA POLÍTICA NOJENTA, E A ESPERANÇA, É QUE ESTE EXEMPLO SE MULTIPLIQUE PARA SANEAR O BRASIL TORNANDO-O JUSTO PARA SEU POVO ROUBADO PELA CORJA DA GOVERNANÇA.
    31 DE JULHO, PASSEATA PACIFICA PROTESTANDO E PANELAÇO, E NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, NÃO REELEGER, OU NÃO TENDO EM QUEM CONFIAR “ANULAR O VOTO OBRIGATÓRIO”
    Roguemos a DEUS pelo BRASIL,mas…façamos nossa parte, para termos um BRASIL justo para seu povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *