Informação ao IBGE e a Guedes: preços nos supermercados estão subindo em abril

Acidente de Harrison Ford e inflação nas charges deste sábado ...

Charge do Tacho (Jornal NH)

Pedro do Coutto

O título desta matéria, a meu ver, significa um sinal de alarme para o governo Jair Bolsonaro e também para a população de modo geral. A partir do início deste mês aumentou a velocidade das remarcações dos preços de alimentos nos supermercados do Rio de janeiro e seguramente em todos os supermercados do país. Citei o IBGE porque ele é o órgão responsável pelo cálculo da inflação que até fevereiro estava contida com oscilações mínimas mensais. Mas agora o panorama mudou de figura.

Essa mudança começou na segunda quinzena de março e agora em abril ganha velocidade. Enquanto os preços sobem os salários descem, uma vez que não acompanham a elevação do custo de vida.

CONSUMO E RECEITA – Em decorrência inevitável diminui o consumo e com essa redução os impostos públicos. Falei em consumo e por isso acentuei a necessidade do Ministro Paulo Guedes não ignorar a compressão que está se fazendo sentir na renda do trabalho e também paralelamente na queda dos investimentos. Isso ocorre tanto nos investimentos públicos quanto nos da iniciativa privada, além das aplicações por parte da classe média no mercado financeiro.

Portanto, além do coronavírus, esta é uma ´preocupação a mais que pressiona a opinião pública brasileira. Sobretudo no momento em que o próprio Paulo Guedes defendeu o congelamento salarial dos funcionários públicos e dos servidores das estatais regidos pela CLT. Por falar em renda do trabalho a seguir coloco um tema, o qual creio bastante oportuno.

REDUÇÃO DE SALÁRIOS – O Ministro Ricardo Lewandowsky, do STF, concedeu liminar a um recurso do Partido Rede, levantando uma dúvida quanto a redução de salário juntamente com a diminuição da jornada de trabalho. O tema foi focalizado na reportagem de Mateus Teixeira, Folha de São Paulo de ontem.

Sustenta a Rede que a aceitação de salário menor na proporção percentual da jornada de trabalho só poderá ser válida se referendada pelo sindicato da categoria. Melhor dizendo: pelos sindicatos que congregam todos os trabalhadores brasileiros. Dessa forma o ministro Lewandovsky suspendeu qualquer efeito da medida provisória do presidente Jair Bolsonaro a qual permite acordos individuais.

SEM DESTAQUE – Esta matéria deveria ter sido publicada com mais destaque pela FSP e também não compreendo porque outros jornais não publicaram. A liminar em vigor terá de ser apreciada pelo Pleno do STF composto como se sabe por 11 ministros. Um complicador a mais para observação do próprio governo.

Outra curiosidade: o eficiente ministro da Saúde, Henrique Mandetta, quase foi demitido, enquanto o ineficiente ministro da Educação, Abraham Weintraub, até agora continua no cargo, como se fosse imexível. Coisas da política.

7 thoughts on “Informação ao IBGE e a Guedes: preços nos supermercados estão subindo em abril

  1. Avisa o Pedro do Coutto: lei da oferta e procura. Mas o importante segundo os “eficientes” tais quais Witzel, Doria e Mandetta não é “salvar vidas”, a economia que se ferre?

    • Avisa ao Fiedler, que é a lei do mais forte se aproveitando da crise do corona. O aumento dos preços nós supermercados, seu robô, nada tem a ver com governadores. Trata-se de especulação, pois a demanda/procura está baixa e a oferta é a mesma.
      Que coisa, não escreve nada e crítica de maneira vazia, quem escreve todo dia, como o mestre Pedro do Couto.
      Se liga irmão.

      • Caro Roberto Nascimento,
        Você e Pedro do Coutto tem toda a razão, se a procura diminuiu e muito, qual a razão dos preços subirem. É a ganância do capitalismo selvagem.

        • Nélio Jacob, concordamos com o pensamento de Pedro do Couto, mestre de todos nós.
          Setores do governo resistem ao vale social, que chamam de voucher, na ordem de R$ 600,00, quando o guru do governo, presidente Donald Trump direitista fanático, até ele deu para os americanos pobres, um voucher de três mil dólares por seis meses.
          Enquanto isso, o auxílio emergencial, depois de idas e vindas, começa a ser pago amanhã.

          O presidente do Banco do Brasil deu declarações contrárias à medida e o Zero 2 também, ambos dizem que isso é Socialismo. lógico que em público o Guedes é a favor da medida, mas, em particular é contra, pois um neoliberal, nunca deixa de sê-lo, em qualquer situação, inclusive nessa emergencial.

          Para as médias e grandes empresas, rapidinho deram dinheiro. A desigualdade no país só faz aumentar. Estão esticando a corda, até ela arrebentar.

          Tristes trópicos. Só nos resta assistir hoje no Telecine Cult, o Filme Boas Vidas de Fellini, às 20:00h. Boas Vidas, os preguiçosos, que caminham nas praias e bosques, enquanto o povo trabalha ou vive na informalidade, sem direito a Plano Médico, FGTS, Férias ou Décimo Terceiro.

    • Mestre Pedro.
      Os sindicatos perderem a força de negociação depois da Reforma Trabalhista do Temer.
      Não tenho dúvidas, de que as medidas emergenciais no campo das relações trabalhistss vão permanecer quando debelarem a crise do corona. A pedido dos empresários e por desejo do Guedes, a PEC que mandaram para o Congresso terá efeitos ao longo do tempo.
      Os tempos atuais são de trevas.

      • Até agora, o tão propalado auxílio emergencial, de R$ 600,00 ainda não saiu do papel, após 25 dias do seu anúncio. Isso é rapidez e eficiência. Tartaruga tem mais agilidade frente aos economistas neoliberais

  2. Os preços nos Hortifruti também dispararam. Os ovos, a laranja, banana, alho, cebola, manga, caqui.
    E o Guedes ainda propõe o congelamento de salários por dois anos.
    Assim, a economia vai dar um cavalo de pau de recessão. Salários congelados igual a menos consumo, menor s arrecadação, aumento da dívida interna , resultado : estagflacao. Olha o FMI aí gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *