Investidores decidem pagar para ver até onde vai o compromisso de Bolsonaro com Guedes

Guedes perde exclusividade como conselheiro econômico de Bolsonaro |  Brasilagro

Como se diz no futebol, Guedes está muito “prestigiado”…

Vicente Nunes
Correio Braziliense

A sexta-feira (18/09) marcou o início de uma queda de braço dos investidores com o governo. Os donos do dinheiro querem saber até onde vai o compromisso do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e, sobretudo, com o ajuste fiscal. Teme-se que o descontrole das contas públicas continue depois de passada a pandemia do novo coronavírus.

A pressão dos investidores por uma postura mais clara de Bolsonaro veio por meio de uma forte queda da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) e da disparada do dólar e dos juros futuros.

DÉFICIT E DÍVIDA – É grande a desconfiança quanto à capacidade do governo de conter o deficit público e evitar uma explosão da dívida pública. O nervosismo é tamanho que o Tesouro Nacional já enfrenta dificuldades para colocar títulos da dívida no mercado.

O dólar encerrou a sexta-feira cotado a R$ 5,378 para venda, com alta de 2,83%. O Ibovespa, índice que mede a lucratividade das ações mais negociadas no pregão paulista, desabou 1,81%, para os 98.290 pontos. A taxa de juros do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 subiu de 2,82% para 2,97% ano. Nos contratos de janeiro de 2023, saltou de 4,14% para 4,38% anuais e, naqueles com vencimento em janeiro de 2025, passaram de 6,02% para 6,31%.

CONTAS PÚBLICAS E INFLAÇÃO – Também começa a incomodar o mercado uma postura um tanto leniente do Banco Central com as contas públicas e a inflação, que começou a se assanhar. Os investidores consideraram o comunicado pós-reunião do Comitê de Politica Monetária (Copom), na quarta-feira (16/09), muito suave diante da gravidade das finanças federais. A taxa básica de juros (Selic) foi mantida em 2% ao ano.

Para os investidores, a percepção que se tem é a de que Bolsonaro, de olho apenas na reeleição, está testando todos os limites de Guedes ao fritá-lo em praça pública e ao exigir demissões na equipe econômica.

Publicamente, o presidente diz que o ministro da Economia continua prestigiado. Nos bastidores, porém, afirma que Guedes não está entregando nada do que prometeu e ainda cria constrangimentos ao governo com suas propostas.

APOSENTADORIA E PENSÃO – O mais recente entrevero de Bolsonaro com Guedes foi a proposta do secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, de congelar aposentadorias e pensões para bancar o Renda Brasil, substituto do Bolsa Família. O presidente sabia das propostas, mas, diante da reação negativa, sobretudo entre as camadas mais pobres da população, que vêm sustentando a popularidade do governo, ele decidiu jogar para a plateia.

Os donos do dinheiro, contudo, não estão mais dispostos a embarcar nas aventuras de Bolsonaro nem endossar a manipulação que ele faz dos fatos. O nível do estresse começou a subir. E tal movimento só está no começo.

3 thoughts on “Investidores decidem pagar para ver até onde vai o compromisso de Bolsonaro com Guedes

  1. Os dois são irresponsáveis porque vivem na brincadeira, e nao tem inteligência para conduzirem uma economia.
    Bolsonaro, quando em campanha, declarou que não entendia nada de economia, falou a verdade, mas abriu a guarda para o aventureiro Guedes.
    Ambos são despreparados para conduzir o Brasil a bom termo, basta olharmos que durante todo esse tempo de crise, nada falaram sobre o aumento da dibida pública, algo que quamquer pessoa responsável estaria tendo todo o cuidado, e tomando providências concretas para o seu controle. Mas nada foi feito e parece que ainda não será, até perceberem que já passaram dos limites da irresponsabilidade.
    O povo, em sua maioria, vai sendo enganado pelas peripécias de um e de outro que se contentam com factóides diários e com comentários vazios, e quase sempre para se defenderem das acusaçoes que lhes são feitas por omissões e ppr corrupções. Sobretudo, Bolsonaro que tem todo tipo de acusações, fora as que também são feitas aos seus famigerados filhos.
    Assim o Brasil não sairá da encrenca que se meteu, e quando Moro provar tudo sobtr a questão da intromissão na Polícia Federal, aí aa coisas vão piorar, e não vai ter general que queira segurar as encrencas de Bolsonaro.
    O mais certo de tudo é que com Bolsonro não dá, pois não tem altura moral, experiência e vontade de conduzir nosso país, pois suas brincadeiras patéticas são provas disso.

  2. Guedes está se apequenando, se ainda há meio de encurtar. Qualquer dia vai se juntar á turma da Branca de Neve para cantar com os anôes:

    Heigh-ho, Heigh-ho, Heigh-ho
    Heigh-ho, Heigh-ho
    It’s home from work we go
    (Whistle) Heigh-ho, Heigh-ho
    Heigh-ho, Heigh-ho…

  3. O Brasil é igual a uma S.A.
    Se Guedes for seu Diretor Financeiro, o mercado comprará suas ações. Se o Diretor for o Bolsonaro, nem o Pipoqueiro comprará as suas ações.
    Você compraria ações de uma Empresa gerenciada por Bolsonaro???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *