“Já tive mulheres de todas as cores, de várias idades de muitos amores”, diz o sambista

Portela recebe Toninho Geraes na feijoada do próximo sábado ...

Toninho Geraes, grande sambista mineiro

Paulo Peres
Poemas & Canções

O cantor e compositor mineiro Antônio Eustáquio Trindade Ribeiro, conhecido como Toninho Geraes, revela na letra de “Mulheres” que, após ter vários tipos de mulheres, sem encontrar a felicidade em nenhuma delas, finalmente, encontrou a pessoa certa que um dia sonhou ter para si. Este samba foi gravado por Martinho da Vila no CD “3.0 Turbinado ao vivo”, em 1999, pela Sony Music.

MULHERES
Toninho Geraes

Já tive mulheres de todas as cores
De varias idades de muitos amores
Com umas até certo ponto fiquei,
Com outras apenas um pouco me dei.

Já tive mulheres do tipo atrevida
Do tipo acanhada, do tipo vivida,
Casada, carente, solteira e feliz
Já tive donzela e até meretriz.

Mulheres cabeças e desequilibradas
Mulheres confusas, de guerra e de paz
Mas nenhuma delas, me fez tão feliz
Como você me faz.

Procurei, em todas as mulheres a felicidade
Mas eu não encontrei fiquei na saudade
Foi começando bem mas tudo teve um fim.

Você é, o sol da minha vida, a minha vontade
Você não é mentira, você é verdade
É tudo que um dia eu sonhei pra mim!

11 thoughts on ““Já tive mulheres de todas as cores, de várias idades de muitos amores”, diz o sambista

  1. PROFANAÇÃO A SANTO ANTÓNIO
    (Dedicada a uma mulher casada):

    A flor tem pétalas mas não voa
    Como se fosse o galho sua morada eterna
    Estática, majestosa renega o colibri
    Que em busca do aroma rodeia a relva
    Quando forem murchas tuas pétalas, flor
    O teu galho te descartará enfim
    No vento embarcarás sem paradeiro
    Como a procurar desesperadamente
    O colibri outrora renegado
    Agora que não tens mais cheiro
    O colibri zomba de ti ao vento!

  2. OBRA: SONETO
    TÍTULO: COROAS COROADAS
    AUTOR: MySelf

    Não sei por que vocês, mulheres
    Quando chegam aos quarenta
    Reacendem as suas velas
    Dando um brilho mais intenso

    Vejo vocês mães, sinto-as mulheres
    Na dita faixa da razão
    Sou filho, amante, como quiserem
    Adoro vocês ternas, desejo-as…paixão

    Do aleitamento ao leito
    Há quatro décadas nuas
    Retorno pelas tetas maternas

    Luas em eclipse todo mês
    Numa menopausa serei suas
    Maiores pausas, enfim, eternas….

  3. Uns versinhos singelos que fiz para expressar meus sentimentos juvenis pela vizinha do lado:

    Queria…
    ————

    Queria ver-te nua, nua, inteiramente nua,
    Não por erotismo, embora assim pareça,
    Mas para que em teu corpo não exista
    Um só milímetro que eu não conheça.

    Queria em teus seios macios tocar,
    E no teu corpo o meu aquecer;
    Queria ter-te, sôfrega, a exsudar
    O suor quente do lascivo prazer.

    Queria ser louco por ti, te amar,
    Ser parte do teu próprio ser;
    Queria, enfim, de todo me dar,
    Morrer em mim, em ti renascer!

  4. Só sei que páo, chão, sabão… etc… rimam Nasci prá ser platéia e bater palmas

    Não me resta mais muito tempo para aplausos, mas os faço com sinceridade e admiração. Parabens a Paulo III e a Rue des Sablons

    O poeta nasce, o orador se faz
    (provérbio português)

    • No seu próprio sobrenome, já consta o SENSO que, sem ele, a vida seria apenas uma estátua ao vento. E o belo, ou aliás, o Bello, não seria aquilatado pelos parâmetros da Estesia, mas pelo torpor da anestesia de um corpo que tombou na Bellum (guerra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *