Janot quer continuar na Procuradoria, mas há controvérsias…

André Richter
Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, formalizou na segunda-feira sua candidatura à recondução ao cargo. A eleição é conduzida pela Associação Nacional dos Procuradores da República, responsável pelo processo de formação de lista tríplice para a disputa. O procurador da República Carlos Frederico também já formalizou candidatura.

O prazo para inscrição de candidatos termina hoje, a campanha começa amanhã (16) e vai até 4 de agosto, um dia antes da escolha da lista tríplice, que será definida por meio de consulta entre os membros do Ministério Público Federal em todo o país..

O mandato de Janot termina em 17 de setembro, mas ele pode ser reconduzido pela presidenta Dilma Rousseff por mais dois anos. Mesmo com essa possibilidade, a eleição interna entre 1,2 mil membros da Procuradoria-Geral da República tem de ser feita para a formação da lista. A apresentação da lista não é obrigatória, mas é feita pela associação dos procuradores desde 2001. A entidade entende que esta é a maneira mais democrática para indicar seu representante.

A presidenta não é obrigada a nomear o candidato mais votado. Porém, o critério é observado desde o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para tomar posse, o procurador precisa ter o nome aprovado pela Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) e pelo plenário do Senado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como perguntava o genial Garrincha, será que Janot combinou sua recondução com os adversários no Senado, tipo Renan Calheiros e Fernando Collor? Com se sabe, o Senado terá de aprovar sua recondução. O assunto é interessantíssimo e vai pegar fogo, podem apostar. (C.N.)

2 thoughts on “Janot quer continuar na Procuradoria, mas há controvérsias…

  1. PODER JUDICIÁRIO NAS PÁGINAS POLICIAIS:

    PF faz operação em Fortaleza para prender envolvidos no escândalo da venda de habeas corpus a bandidos em plantões do Tribunal de Justiça do Estado

    Desembargador Carlos Feitosa foi conduzido pela PF para depor
    A Polícia Federal desencadeou no começo da manhã desta segunda-feira (15), uma operação sigilosa em Fortaleza para dar cumprimento a cerca de 30 mandados judiciais de prisao, busca e apreensão e de condução coercitiva. O objetivo é o aprofundamento nas investigações sobre as denúncias de venda de habeas corpus pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará a grandes criminosos, como traficantes de drogas e sequestradores.
    Neste momento, um desembargador do Estado do Ceará, Carlos Rodrigues Feitosa, está sendo conduzido de sua residência por agentes da PF para a sede da Justiça Federal no Ceará para ser ouvido dentro das investigações em torno do escândalo. Não há notícias confirmadas ainda se contra ele foi despachado algum mandado de prisão ou de condução coercitiva por parte do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já que somente aquele órgão tem a competência para decretar a prisão de magistrados. Feitosa seria um dos investigados sobre o escândalo.
    BOATOS
    Sem informações oficiais sobre o caso, as especulações e boatos já começaram a circular no meio jurídico. Há boatos sobre prisões de, pelo menos, três desembargadores, além de advogados. Nada confirmado, ainda, pela PF.
    ESCÂNDALO
    A venda de habeas corpus durante os plantões de feriados e fins de semana no Tribunal de Justiça do Ceará vieram á tona em julho de 2013, quando, em matéria exclusiva, o então editor de Polícia do Diário do Nordeste, jornalista Fernando Ribeiro, revelou que traficantes de drogas haviam sido soltos através de habeas corpus em um fim de semana, fato que causou revolta e, ao mesmo tempo, estranheza, às autoridades da Segurança Pública.
    Segundo as investigações, cada habeas corpus teria sido “vendido” por R$ 150 mil.

    FONTE:
    http://www.blogdofernandoribeiro.com.br/index.php/9-categorias/888-pf-faz-operacao-em-fortaleza-para-prender-envolvidos-no-escandalo-da-venda-de-habeas-corpus-a-bandidos-em-plantoes-do-tribunal-de-justica-do-estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *