“Japonês da federal” é condenado à perda do cargo e multa de R$ 200 mil por facilitação de contrabando

MP diz que Ishii participava de quadrilha composta por agentes da PF

Deu no O Globo

O agente da Polícia Federal Newton Hinedori Ishii — conhecido na Lava-Jato como o “japonês da federal” — foi condenado em primeira instância à perda do cargo e pagamento de multa de R$ 200 mil por facilitação de contrabando.

De acordo com o Ministério Público, Ishii participava de quadrilha composta por 22 agentes da PF, quatro servidores da Receita Federal e dois policiais rodoviários federais, que atuava em um esquema de facilitação de contrabando na fronteira entre Brasil e Paraguai. Newton Ishii nega o crime e pode recorrer da sentença.

PROPINA – “Há que se ressaltar que o réu Newton Hinedori Ishii é determinado, quando o assunto é cobrar propina para facilitar o contrabando/descaminho. No caso, Newton Japonês escolheu o tipo de mercadoria que aceitaria facilitar e, ainda, fixou o preço da propina a ser cobrada pela omissão na atribuição de combater o crime que lhe foi conferida pelo Estado”, disse o juiz Sérgio Luis Ruivo Marques, da 1ª Vara da Justiça Federal de Foz do Iguaçu.

Na sentença, o magistrado cita também um telefonema interceptado com autorização judicial em que o Newton Ishii informa a placa de um veículo para que um policial corrupto deixe de fiscalizar ou simule a fiscalização, beneficiando a quadrilha de contrabando.

AUTORIZAÇÃO – “Fica claro pelas interceptações telefônicas, autorizadas judicialmente, que os contrabandistas carregavam os veículos com as mercadorias contrabandeadas/descaminhadas, passavam o número da placa e aguardavam a autorização do APF Newton para livre passagem na Aduana da Ponte Internacional da Amizade”, escreveu o juiz.

Ainda de acordo com o magistrado, o agente da PF também orientava os contrabandistas a dividir a carga para diminuir os riscos de serem pegos na fiscalização na fronteira. “Ademais, colocavam “laranjas” (proprietários fictícios das mercadorias) para permitir que houvesse uma distribuição das mercadorias em “cotas” de menor valor”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGMais um ídolo com pés de barro, como se dizia antigamente. E esse elemento ainda teve a ousadia de se candidatar a deputado federal, achando que iria se tornar um segundo Tiririca... (C.N.)

8 thoughts on ““Japonês da federal” é condenado à perda do cargo e multa de R$ 200 mil por facilitação de contrabando

  1. Recordar é viver:

    Moro: “Sr. Lula, o triplex é seu?”
    LULA: “Não.”
    Moro: “Mas o Sr. tinha interesse em adquirir?”
    LULA: “Não.”
    Moro: “Mas o Sr. visitou?”
    LULA: “Sim.”
    Moro: “Por quê?”
    LULA: “Porque queriam me vender.”
    Moro: “Mas o Sr. comprou?”
    LULA: “Não.”
    Moro: “Mas o triplex é seu?”
    LULA: “Não.”
    Moro: “Mas porque visitou?”
    LULA: “Porque queriam me vender.”
    Moro: “Mas o Sr. não comprou?”
    LULA: “Não.”
    Moro: “Mas.. o documento tem uma rasura.”
    LULA: “Quem rasurou?”
    Moro: “Não sei….”
    LULA: “Então como eu vou saber também?”
    Moro: “Tem um documento aqui que fala do triplex….”
    LULA: “Tá assinado por quem?”
    Moro: “Humm… A assinatura tá em branco…”
    LULA: “Então o senhor pode guardar por gentileza!”
    Moro: “O sr. Não sabia dos desvios da Petrobrás?”
    LULA: “Ninguém sabia dos desvios da Petrobrás. Nem eu, nem a imprensa, nem o senhor, nem o Ministério Público e nem a polícia federal. Só ficamos sabendo quando grampearam o Youssef.”
    Moro: “Mas eu não tinha que saber. Não tenho nada com isso.”
    LULA: “Tem sim. Foi o sr. quem soltou o Youssef.”
    Moro: “Saíram denúncias na folha de São Paulo, e no jornal O Globo de que…”
    LULA: “Doutor, não me julgue por notícias, mas por provas.”
    Moro: “Senhor ex-presidente, você não sabia que Renato Duque roubava a Petrobrás?”
    LULA: “Doutor, o filho quando tira nota vermelha, ele não chega em casa e fala: ‘Pai, tirei nota vermelha’.”
    Moro: “Os meus filhos falam.”
    LULA: “Doutor Moro, o Renato Duque não é seu filho.”

  2. AS POLÍCIAS BRASILEIRAS TORNARAM-SE QUADRILHAS PANDEMÔNICAS ! Na maioria dos estados, essas facções já ameaçam as autoridades constituídas e a Ordem Jurídica. Elas viraram também academias para formação de milicianos. As três Forças Armadas já não lhes fazem mais recuar: pois, sob o pretexto de combater a criminalidade, que é real, o arsenal dessas milícias do mal aproxima-se cada vez mais das FFAA.
    Para você que acredita serem as polícias, verdadeiros santuários, lembre: quem constitui o braço armado (staff) do crime organizado são policiais. E sem staff, não existiria crime organizado ou desorganizado.
    Alguém recorda o número de agentes de segurança, estaduais e federais, que custodiavam Carlinhos Cachoeira?

  3. NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Mais um ídolo com pés de barro, como se dizia antigamente. E esse elemento ainda teve a ousadia de se candidatar a deputado federal, achando que iria se tornar um segundo Tiririca… (C.N.)

    De que cartola vc tirou isso c.n.,” ÍDOLO” a ficha corrida do caboclo já era conhecida a muito tempo nenhuma novidade, e só porque ele aparecia na foto virou ídolo? que eu saiba era só um meme, mas se pra vc isso basta ara ser ídolo, estou realmente no lugar errado.

  4. Se fosse no Japão esse japa já teria feito o harakiri, mas no Br ele já tá é peticionando, no supremo, o foro privilegiado pra não perder o cargo nem pagar a multa.

    O quê, ele não tem foro privilegiado?
    O Queiróz e a esposa também não têm, mas nem por isso…
    Quem sabe muito, nunca fica abandonado!

    Vade retro, ‘nunsei’!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *