JBS fez ‘dossiê’ sobre o coronel amigo de Temer que recebeu R$ 1 milhão

Resultado de imagem para renuncia de temer charges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Marcelo Godoy e Ricardo Brandt
Estadão

Em meio aos documentos entregues pela JBS ao Ministério Público Federal (MPF), 20 páginas que foram registradas com os números de 185 a 2104 no apenso 14 da delação mostram que os irmãos Joesley e Wesley Batista produziram um dossiê sobre as atividades do coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo João Baptista Lima Filho. Amigo do presidente Michel Temer, Lima é apontado pelos delatores da JBS como um dos destinatários de repasses ilícitos.

O Estado procurou Lima Filho em sua empresa, a Argeplan – cuja sede na Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, foi vasculhada pelos agentes federais durante a Operação Patmos –, mas ali foi informado pela segurança que o coronel não havia ido trabalhar. Temer nega o recebimento de propina por meio do amigo e contesta a delação dos irmãos Batista.

VELHOS AMIGOS – Lima conheceu Temer nos anos 1980, quando o presidente ocupou pela primeira vez o cargo de secretário da Segurança Pública de São Paulo, durante o governo de Franco Montoro (1983-1987), então no PMDB. Aspirante a oficial na turma de 1966 da Academia da PM, Lima trabalhava na Assistência Militar da pasta.

Depois que Temer deixou a Secretaria, Lima foi trabalhar na área responsável por obras na corporação – foi o tempo em que se construiu o Hospital da PM, na zona norte, e o centro administrativo. Em 1992, quando Temer voltou à pasta após o massacre do Carandiru, Lima voltou a trabalhar com o amigo. Já coronel e formado em arquitetura, ficou em um cargo na Secretaria de Segurança Pública.

NA LAVA JATO – Suspeitas envolvendo o nome de Lima surgiram na Lava Jato em 2016. Segundo as investigações, de 2011 a 2016, durante o período em que Temer ocupou a Vice-Presidência, a Argeplan do coronel recebeu R$ 1,1 milhão por serviços em uma ferrovia e uma estrada federal, além de obter contratos na Secretaria de Aviação Civil e na usina nuclear de Angra 3.

No dossiê da JBS há documento que diz que Lima e a Argeplan são proprietários de uma fazenda em Duartina, no interior de São Paulo, que foi invadida duas vezes pelo Movimento dos Sem-Terra (MST). Intitulado Relatório Argeplan, a JBS entregou o documento ao MPF. Nele afirma que a empresa foi aberta em 1976. Era então “um pequeno escritório de arquitetura em nome de Carlos Alberto Costa”. Em 2011, Lima teria sido admitido na empresa com um capital de R$ 250 mil.

4 thoughts on “JBS fez ‘dossiê’ sobre o coronel amigo de Temer que recebeu R$ 1 milhão

  1. MAS que parte do enredo popular que vigora desde Junho de 2013, até esta parte da história, que essa gente cabeça dura, de bagre, do DEM, DO PMDB, DO PSDB, DO PT, DO PP, DA PQP, DA FAMIGERADA DITADURA MILITAR E AGREGADOS, enfim do velho continuísmo da mesmice do velho $istema político podre que já morreu e que fede à beça na sala de estar do país, ainda não entendeu, que pelo menos 70% da população do Brasil já disse e continua dizendo nas ruas deste país, com clareza total, firme, forte, alto e bom som, que não quer mais vê-los na presidência do Brasil, por razões óbvias e ululantes expostas e comprovadas nos autos da Lava Jato, contingente populacional esse que perfaz a maioria absoluta da população que, aliás, ao que tudo leva a crer, já não quer mais nem mesmo viver sob o teto da república 171 dos me$mo$, que nos fazem a todos suas vítimas e reféns há 127 anos ? Será que a nossa própria morte face ao enfrentamento a que estamos todos sendo obrigados a fazê-lo com vistas à própria libertação é a nossa única saída deste calvário terrível que já dura 127 anos, com os dito$ cujo$ protegidos por forças armadas tão bandidas quanto os me$mo$, como consta dos anais do lixão da história política do país, inclusive porque aqueles que protegem bandidos, bandidos tb o são ? Sermos escravos da família que colocamos no mundo tudo bem, é nosso dever, mas ser escravo de bandidos, peraí, peraí, assim não dá, né, ai é demais da conta, é forçar demais a barra. Como diria o saudoso Tião Macalé, entenderam agora, nojento$, ou será preciso desenhar ? http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/298246/Poss%C3%ADvel-sucessor-bi%C3%B4nico-de-Temer-Maia-s%C3%B3-%C3%A9-aprovado-por-2-dos-brasileiros.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *