João do Vale, lembrando os vaqueiros do Maranhão

O compositor e cantor maranhense João Batista do Vale (1933-1996), na letra do “Bom Vaqueiro”, em parceria com Luiz Guimarães, conta a vida de Mestre Costa. A música faz parte do LP João do Vale, lançado, em 1981, pela CBS.

BOM VAQUEIRO

Luiz Guimarães e João do Vale

Quem foi vaqueiro que vê outro vaqueiro a boiar
Fica lembrando dos tempos que vivia a vaquejar
Sofre igual quem ama alguém e vê com outro passar.

Mestre Costa bom vaqueiro, no sertão do Maranhão
Montando no seu cavalo nunca achou um barbatão
Que com carreira e meia não jogasse ele no chão.

Hoje em vez de peitoral, traz no peito uma paixão
De não poder vaquejar, nem vestir o seu gibão
Passa boi, passa boiada, pisa no seu coração.

Mestre Costa na fazenda hoje só abre cancela
Mocidade deixou ele, ele também deixou ela
A velhice montou nele, ele desmontou da sela.

                      (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

2 thoughts on “João do Vale, lembrando os vaqueiros do Maranhão

  1. “Em 31 de janeiro de 1730 autorizada pelo conselho ultramarino a criação do Colégio da Mãe de Deus, Belém, PA, primeira escola da Amazônia” = ou seja, naquela imensa região, a primeira escola só começou a ser construída 230 após o Descobrimento …

    Dados: Agenda Biblioteca Nacional, 1993.

  2. Prezado CN,

    Passo diariamente por este cantinho do seu blog , tão pouco visitado, que reverencia a arte. Considero-o um copo d’ água fresca num deserto de notícias vomitativas. Um refresco, uma brisa , um alento nas crises todas que enfrentamos.

    Devo confessar que me entristece o nível de radicalização e patrulhamento do pensamento nas nossas praias. Tudo tem que ser extremado, 8 ou 80, preto ou branco. Pergunto: onde foram parar as nuances da nossa humanidade, a diversidade de nossos matizes?

    Veja esta história de se confundir a produção artística e intelectual com as posições no espectro político , com as falhas de caráter,com as preferências sexuais de seus autores. Como é que pode se pode confundir filosofia e arte com biografias e ideologias? O pensamento e a arte humanas são abstrações.Não gostar da postura política de alguém , não deveria influir no julgamento de tantas magníficas obras artísticas , vilipendiadas sem quaisquer razões estéticas.

    São diversos os exemplos de radicalismo repudiando a manifestação artística e/ou filosófica. Talvez por isso TODO regime com viés totalitário insista nos tais de controles e comitês e instale a censura . Para controlar o que, para existir, necessita de LIBERDADE.

    Parece-me que a genialidade sempre teve dificuldades para ser abstraída.Van Gogh , o inventor da linguagem das cores , enquanto vivo jamais vendeu um quadro e Mozart , era considerado um sub-músico bipolar.É claro que tinha razão o grande Millôr ao dizer que devemos desconfiar de todo “idealista que lucra com o seu ideal “.

    Nesta categoria e por lógicas evidências, podemos colocar o Chico Buarque.Eu discordo das posturas políticas do compositor, mas considero que passar a não gostar da sua ótima música por razões ideológicas , é um passo rumo à barbárie.Com certeza que a sua recente produção foi contemplada com Jabutis e Lei Rouanet demais para literatura de menos …Mas como é que se joga fora a trilha sonora da juventude da gente? Rosa dos Ventos, Cale-se, Construção, Vida e Morte Severina, Minha Gente, À Flor da Pele estarão sempre comigo.

    Seguindo essa mesma linha de raciocínio por serem comunistas eu não poderia ler Marx , Saramago, Vargas Llosa até se converter, Galeano,Sartre e Simone .Quem mais ? Gorky, Bretch, Steinbeck, Maulraux enquanto foi, Vailland quase todo . Todos no lixo. E o Céline? Apesar de idolatrado como escritor, teria que ser censurado na minha estante por ser antissemita!

    O Gabriel Garcia Marques ? Também seria barrado no baile.Um desclassificado que por ser amigo de crápulas assassinos como Fidel, Raul e o calhorda do Chávez – tão ditadores quanto os nossos militares – não mereceu aquele Nobel de Literatura que levou para casa , nem mereceria pelo menos mais 2 prêmios. Como seria possível deixar de se encantar com a ficção divina , fabulosa, lírica dele , como esquecer as borboletas amarelas e a bela Remédios andando nua por um país chamado Macondo em tempos do cólera numa morte anunciada?

    Da mesma forma , questiono se o Ezra Pound deixou de ser um dos grandes poetas de todos os tempos porque tinha simpatia pelo fascismo?

    Jorge Amado deixou de ser o contador de “estórias” que cativou milhões de leitores por ter sido membro do Partido Comunista? Pablo Neruda não escreveu versos de amor divinos com o lado esquerdo do seu bendito cérebro? Ainda bem que Rodin,Picasso, Portinari, Abelardo da Hora e Niemayer – cujas curvas apesar de desenhadas por mão canhota encontram o o infinito – estão fazendo companhia para o pobre do Gabo no Inferno do subversivo Dante.

    Qual seria o critério seguinte – coçar e segregar é só começar! – para afastar de mim a arte dos meus diversos?

    Já sei ! A arte dos gays teria que ser censurada.

    Byebye Oscar Wilde, Cocteau, Rimbaud,a Anais e o Verlaine.Além de todos os contos de fada escritos pela bicha louca do Hans Christian Andersen. E o Leonardo da Vinci? Boiola! Tem mais. Melhor continuar fingindo que o Miguelangelo era espada.Psiu! Ninguém precisa saber – preservar o teto da Sistina é imperativo! – que o cara morreu de amores durante toda a sua vida e eternizou em mármore e telas, o aristocrático Tomazzo, que – pasmem! – serviu de modelo para a maioria das mulheres pintadas e esculpidas pelo mestre , inclusive as Sibilas, a Eva, a Cleópatra e a Noite no túmulo dos Médici.
    E abaixo a Frida, a Joplin, o Mercury e o Cazuza!

    Estamos vivendo em guetos mentais.E não só em terras tupiniquins. Apesar do maestro Zubin Mehta já ter executado o grande Richard Wagner em Israel – assim como o fez também o Daniel Barenboin um judeu argentino naturalizado israelense – há, naquelas paragens, uma espécie de boicote e desestímulo à audição do gênio alemão , que vão desde cortes de verbas à qualquer manifestação artística do compositor , às ruidosas manifestações populares durante os concertos do autor do Anel de Nibelungo, sendo que os judeus simpatizantes do wagnerismo ficam estigmatizados.Mesmo tendo Wagner morrido em 1880! Isso mesmo, antes do advento do nazismo , muito antes de ser considerado o compositor oficial do bestialismo assassino e apesar de já ninguém mais se recordar do Hitler Siegfried do genial Grosz. Um absurdo que somente o sectarismo explica.

    Ora, me parece que o governo israelense deveria também proibir a montagem de qualquer peça de William Shakespeare no país. Afinal o estereótipo do judeu avarento nunca assumiu tons tão claros como no personagem Shylock na peça O mercador de Veneza.

    Será que vão policiar a nossa literatura universal? Por onde começariam?

    Que tal a Mitologia Grega? Politicamente incorreta demais: o pai que engole os filhos, o filho que mata o pai e se apaixona pela mãe, e o tal do Zeus —um José Mayer do Olimpo— pegando todo mundo.Nada a ver!

    A Bíblia? Um horror. Ela tem aquelas cenas de assassinato , a partir do Caim e do Abel , de bebedeiras como a carraspana e a nudez do Noé , de escravidão protagonizadas pelo José e seus irmãos, além de que Sodoma e Gomorra me pareciam ser uma grande orgia e isso só no primeiro livro. Há mais violência sanguinária no Novo Testamento como aquela matança dos bebês – Cruz Credo! – e da tortura de Jesus na Cruz. Porém revolucionárias da gema são as palavras do Cristo . Com certeza o PT censuraria aquelas que narram como Ele expulsou do Templo os poderosos que ali vendiam e compravam, derrubou as mesas dos cambistas, e disse-lhes:

    “A minha casa é de oração; vós, porém, a fazeis covil de salteadores”
    (Mateus 21:12-13)

    O mais certo , porém , é que, por unanimidade, em um dia não muito distante, pelo andar da carruagem , deletarão sob os nossos bigodes as Bem Aventuranças , o sermão do monte com uma mensagem de alegria a um povo oprimido e sem esperança e segurança nesta vida. Perigo! O que poderia ser mais subversivo do que:

    Bem-aventurados os pobres,os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, os misericordiosos, os limpos de coração, os pacificadores, os que sofrem perseguição por causa da justiça, os injuriados e perseguidos ?
    (Mateus 5:1-11)

    E jamais estudaríamos a Roma Antiga ! Nada de Tácito,Juvenal, Cícero,Ovído nem Horácio. E os imperadores? Nossinhora. Uma cambada de depravados – – Nero, Calígula, Heliogbalo – todos eles bissexuais, sujeitos que jamais se convidaria para um cafezinho em casa. O Cláudio era o único que era hetero .Atributo que de nada lhe valeu.Messalina -a santa mulher dele -confraternizava com 200 soldados numa só noite! Barbaridade! Tiremos Roma da História. Quem precisa dos versos de Vírgílio?

    E a dramaturgia do grande bardo William? Controversa a obra dele .Nela nos depararmos com machismo na A Megera Domada, racismo e assassinato por motivo fútil em Otelo, suicídio de menor de idade em Romeu e Julieta , maus-tratos a idosos em O Rei Lear, longos monólogos, sadismo, vícios…Não dá para escapar ilesa.

    E os filminhos da Disney? Cheios de códigos secretos para corromper as criancinhas . Branca de Neve? Canibalismo ! A Madrasta degustou os pulmões e o fígado de um animal achando que eram da Branca e pense numa necrofilia já que o príncipe se apaixona por uma garota supostamente morta. Apesar de Fernando Pessoa num dos mais belos poemas já escritos e de nome Psiquê, ter jurado que o Princípe era a Princesa que dormia. Maluquice! Quem vai acreditar num sujeito que se assinava além de Fernando , como Alberto, Ricardo, Álvaro e Bernardo e que – pasmem! – enganando todo mundo conseguiu ser 5 dos 6 maiores poetas portugueses? Trata-se de um ego evidentemente fraturado.

    E Chapeuzinho Vermelho? O lobo comeu a vovozinha! Como se não bastasse o crime , como engolir fora do Carnaval tanto travestismo? Cinderela? Cinderela, desprovida de qualquer consciência social, se deu bem com ajuda de uma Bolsa Fada Madrinha, em vez de fundar um Sindicato das Cinderelas e pelo bem coletivo,dividir aquela abóbora gigante com a comunidade. E aquele seu sapatinho de cristal ? Podolatria!

    E quanto à Literatura Brasileira? Teríamos que condenar Ariano Suassuna , que apesar de ter uma visão religiosa do mundo e do homem, influenciado que foi por Dostoiévski e Santa Teresa de Ávila, dizia blasfêmias do gênero:

    “Herodes e Pilatos eram de direita, enquanto o Cristo e São João Batista e os apóstolos eram de esquerda. Judas inicialmente era da esquerda. Traiu e passou para o outro lado: o de Barrabás, aquele criminoso que, com apoio da direita e do povo por ela enganado, na primeira grande “assembleia geral” da história moderna, ganhou contra o Cristo uma eleição decisiva”….rsrs

    E que , em defesa de seus argumentos estranhos , ousava chamar como sua testemunha São Lucas, nos Atos dos Apóstolos:

    “Ninguém considerava exclusivamente seu o que possuía, mas tudo entre eles era comum. Não havia entre eles necessitado algum. Os que possuíam terras e casas, vendiam-nas, traziam os valores das vendas e os depunham aos pés dos apóstolos. Distribuía-se, então, a cada um, segundo a sua necessidade”.

    Complicado.

    Será que a grande música escaparia dos maus tratos ? Duvido. Veja o Karajan,por exemplo. Karajan foi nazista. Sim, foi. E mais: mesmo após os 6 anos oficiais que militou no Partido Nacionalista, para mim, continuou sendo. E era um gênio! Foi, sem favor, o maior maestro de todos os tempos. À frente da Orquestra Filarmônica de Viena – há poucos registros disponíveis- ainda não era o gênio que se revelou à frente da de Berlim e depois na de Londres.

    https://www.youtube.com/watch?v=t4N5-OALObk
    BEETHOVEN – Symphony no. 9 “CHORAL” – Leonard Bernstein (4)

    Eu olho bem a cara nazista dele. E só vejo a relação dele com a música. A total entrega ao seu ofício. Sinceramente? Essa Ode à Liberdade me arrepia até a medula! Talvez seja o maior momento musical da nossa humanidade.

    Mas e daí? Continuaremos queimando livros e obras de arte como faziam os nazistas, e em praças públicas. Se a arte não for engajada com a nossa ideologia vale boicotá-la. Lembremo-nos , porém , de que na arte engajada, não seremos os pioneiros. Basta dar uma olhada no link abaixo:

    http://forum.antinovaordemmundial.com/attachment.php?aid=1832

    Nessa pisada involuiremos e queimaremos bruxas até que, novamente, alguém monocraticamente decida sem direito ao contraditório , que as bruxas somos nós.

Deixe uma resposta para Moacir Pimentel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *