João Paulo Cunha gastou dinheiro do mensalão em pesquisa, ao invés de pagar a TV por assinatura

Carlos Newton

As defesas dos acusados no processo do mensalão são cada vez mais ridículas. No caso do deputado federal João Paulo Cunha, o advogado Alberto Toron disse que o saque de R$ 50 mil feito pela mulher do parlamentar no Banco Rural, em Brasília, foi usado para fazer pesquisas pré-eleitorais.

A quantia foi oriunda do esquema montado por Delúbio Soares e Marcos Valério, e inicialmente Cunha alegou que a mulher tinha ido ao banco pagar a mensalidade da TV por assinatura, vejam só que desculpa prosaica.

Cunha: TV por assinatura cabo ou pesquisa?

“A própria denúncia afirma que o PT disponibilizou verbas a deputados do PT também. Também foram repassados pelo Banco Rural e BMG. Cunha recebeu dinheiro que pediu a Delúbio disponibilizado pelo Banco Rural. Ele não foi denunciado como integrante da quadrilha. É uma figura que custa acreditar por que foi denunciado. É uma figura externa, lateral” – disse Toron, para depois tentar justificá-lo: “Temos provado que ele recebeu esse dinheiro,do PT, e que gastou em pesquisas pré-eleitorais “- sem fazer nenhuma menção ao crime de caixa 2.

Detalhe: na época, Cunha era presidente da Câmara e contratou uma empresa de publicidade de Marcos Valério, a SMP&B, no valor de R$ 252 mil. Mas é claro que foi só coincidência. É um absurdo o que essa gentalha inventa para denegrir os petistas, não é mesmo?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *