Joaquim Barbosa diz que políticos só querem dinheiro

joaquim-barbosa-twFausto Macedo e Julia Affonso
Estadão

Em quatro mensagens no Twitter, postadas quarta e quinta-feira, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa atacou duramente os deputados que aprovaram texto mantendo doações eleitorais de empresas. Na noite de quarta-feira, 9, a Câmara aprovou texto que restabelece o repasse de pessoas jurídicas a partidos e políticos, que havia sido proibido pelo Senado.

Joaquim Barbosa começou a tuitar seu descontentamento às 23h25, pouco depois de os deputados derrubarem a decisão dos senadores, na véspera. “Pois é. Em poucos dias os ilustres deputados derrubaram a saudável proibição do desvio de dinheiro das empresas para políticos e partidos. Agora está tudo muito claro, né? Vc já sabe: o que a maioria dos políticos (não todos, claro) quer é: dinheiro, dinheiro, dinheiro!!!”.

O ministro aposentado jogou a responsabilidade para a presidente Dilma Rousseff (PT).

“Um presidente com lucidez política e clara visão do Estado e da sociedade, não hesitaria em exercer o poder de veto”, afirmou Joaquim Barbosa.

Em outro post, arrematou. “Mas como todos nós sabemos, é sonhar demais, não é mesmo?”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Acho divertido o ministro aposentado Joaquim Barbosa (não há ex-ministros no Supremo, o certo é chamá-los de “ministros aposentados”, não me perguntem por quê…). Ele adora política, dá pitaco em tudo, mas não teve coragem de sair candidato nem de ficar no Supremo cumprindo seu dever para com a nação que lhe deu tudo e nada lhe pediu. Escolheu o caminho mais fácil. Por isso, não o levo a sério. (C.N.)

18 thoughts on “Joaquim Barbosa diz que políticos só querem dinheiro

  1. Concordo plenamente com o Joaquim Barbosa. Nos políticos em quase sua totalidade não tem interesse pelo povo e sim agem em seu próprio benefício. Para eles é tudo por dinheiro. Co esta crise e flata de dinheiro um grupo de senadores irão passear na China:

    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/congresso/tempos-de-crise-viagem-de-nove-senadores-a-china-pode-custar-so-em-passagens-aereas-ate-801-600-reais/

    Não dava para acreditar em nossos políticos. O deputado Heráclito Fortes não que mudar a delação premiada que esta funcionado tão bem na operação lava jato:

    http://www.brasilpost.com.br/2015/09/01/heraclito-projeto-delacao_n_8072906.html

    Por isto, deixei de votar há mais de vinte anos

  2. Carlos Newton está certíssimo. JB, filhote de Lula, atuou tal qual uma queima de fogos: espetaculosa, mas, no fim, restou só fumaça. Não, não foi pelo fato de ele não ter se candidatado à presidência da república (ainda bem, chega de ditadores). Mas, tão logo terminou sua missão, pirulitou-se. Foi marionete do ex-presidente, cujo escopo era o de remontar a quadrilha do PT. Zé Dirceu ‘et caterva’ estavam incomodando, não aceitavam mais as ordens do ‘capo’.

    Nada melhor do que defenestrá-los por meio do poder judiciário (com minúsculas mesmo), que rende, nos anos 2000, a genuflexão mais odiosa ao executivo (também com minúsculas), que hoje segue sua representatividade à moda Golbery pelo Lula, ‘capo di tutti capi’. Assim, o PT seguirá no poder, conferirá novos nomes e poderes a sua quadrilha e logrará seu Reich de 1000 anos, fazendo Hitler ranger os dentes nos caldeirões do Hades.

    JB é sério sim: ele não ri.

    E a história continua e se repete…

  3. Newton, com o devido respeito que lhe tenho e terei sempre, quero discordar de sua conclusão, sem que isto represente defesa ao ministro aposentado Joaquim Barbosa.
    No atual contexto político, principalmente pela legislação vigente, É IMPOSSÍVEL pessoas sérias participarem de partidos, concorrerem, serem eleitas, assumirem e tentarem fazer algo.
    E estou falando com profunda experiência disto. A reforma das reforma precisa ser feita. Só após ela, as demais.
    É uma pura verdade: raros são os detentores de mandato que podemos arriscar a ponta de um dedo. A corporação é maior, mais forte e todos se protegem.
    Pequenos sacrifícios (cassações) servem somente para apaziguar a ira de um povo, na maioria, desiludido, omisso, idiotizado, despreparado e sem o menor sendo de responsabilidade e nacionalidade. Cidadãos de quinta categoria!
    Um abraço fraterno e saúde.

  4. Sobre a candidatura de magistrados na política, vale a pena ler a entrevista que Joaquim Falcão deu à Veja, principalmente a última resposta, com a qual eu concordo plenamente.

    http://www.joaquimfalcao.com.br/wp-content/uploads/2015/09/entrevista-Veja-2015-11.pdf

    Acho extremamente perigoso esse desprestígio dos partidos políticos. É a antessala da ditadura. Mesmo com todos os defeitos, devemos tentar aperfeiçoar os partidos, e não desacreditá-los por completo. O fascismo está ressurgindo no Brasil e na Europa. A questão do financiamento das campanhas é fundamental. Dilma deve vetar o financiamento empresarial de campanha, mesmo que depois o Congresso derrube o veto. Sinto falta de um artigo que destaque a coincidência da aprovação da lei do financiamento empresarial de campanha com a devolução do processo referente à ADIN do Conselho Federal da OAB pelo Sr. Gilmar Mendes ao plenário do STF. O blog deveria bater no Gilmar Mendes pela sua criminosa atuação nessa questão, retendo indevida e ilegalmente o processo por 1 ano e 5 meses. Ou será que ele está sendo poupado porque é Vice Presidente do TSE e é a favor do impeachment da Dilma?

    • Desde a sua fundação, o PT ‘defendeu’ o financiamento público de campanha. Por que se lembrou disso somente agora ? Farto estoque de pixulecos, que estão querendo trazer ‘legalmente’ do exterior ??? Estranho….

  5. O ex-ministro só está dando a sua opinião, gente, não pode não ?
    Ele já deixou claro que não é candidato a nada, não é mesmo ?
    E, a meu ver, o fato dele ter sido indicado pela Dilma, não lhe tira o direito de pensar diferentemente do que estabelece a cartilha petista. A decepção desse pessoal só o engrandece; o fato é quando a imagem introjetada de uma pessoa, não corresponde com o projetado na tela da realidade, ocorre uma decepção nas pessoas que esperavam que aquilo que eles tinham estampado na mente, não correspondesse com que a consciência da pessoa era. Então, é melhor se mirar na imagem da consciência, do que atender as expectativas de espelhos outros.

    • Quando condenou os mensaleiros, só faltou virar santo.
      Tinha gente querendo Barbosa para presidente.
      Agora, como não serve mais, não é para ser levado a sério……
      Isso é que é coerência.

  6. Concordo em gênero, número e grau, com Carlos Newton, eu também não levo este cidadão a sério, para mim não passa de um fujão e acomodado, o que ele quer é uma boa vida, e somente isso.

    • É mais um petralha, sim. Não foi ele quem, sozinho, condenou a “galera” do mensalão, mas com o aval de seus pares. Contudo, era necessário enfiar no STF alguém sem ‘pedigree’ jurídico para descascar o abacaxi que consistia no seguinte: a) denunciar os quadrilheiros do PT e seus asseclas e relatar o processo, pugnando pela condenação de todos; b) e, sobretudo, preservar o Lula, bandido-mor, embora empregadinho do Fidel, seu patrão na América Latina e no Foro de São Paulo.

      Como se tratava de uma ação penal originária, JB deveria proceder como um juiz de 1ª instância, devolvendo a denúncia ao MP, pois os hiatos abissais que há na denúncia somente poderiam ser integrados pela atuação e comando do “querido” Lula.

      Feita essa digressão, em seguida, Lula poderia “repaginar” sua quadrilha com membros novéis e submissos a seus caprichos. A turma que foi pro xilindró estava dando muito trabalho!

      Carlos Newton, ao asseverar que não leva a sério o JB (capacho do Lula), fê-lo de maneira resumida. Não quis se aprofundar sobre a mediocridade desse pseudojurista. E, asseguro-lhe, eu não penso que seus ex-pares do STF são coisa melhor.

      • Luiz Fernando
        Grato pela resposta.
        Em que pese achar um tanto imaginosa demais a sua tese, ela tem plausibilidade.
        Mas não deixa de ser divertido e bastante irônico ver o Joaquim Barbosa decair do status de possível presidenciável para “pseudojurista” e alguém “sem pedigree jurídico” e, pasmem artífice da salvação do Lula no mensalão e posterior “repaginação” da quadrilha petista, como você afirma …..Isso porque na época as baterias estavam voltadas para o Lewandowsky, que lia seus votos a passos de tartaruga, e para o Toffoli que, tendo sido assessor jurídico do PT, deveria ter se declarado impedido de participar do julgamento.
        Em todo caso, espero que aqueles que endeusaram Barbosa na época leiam sua resposta.
        Um abraço

  7. És injusto, CN. O JB não tinha obrigação, sequer moral, de fazer o que você esperava dele. Já disse, só de largar a torre de marfim que é o STF já mostra que é um revolucionário, no sentido de não ficar parado no status quo.

  8. “Por isso, não o levo a sério.” Acompanho o Senhor Newton…..
    Parece que o Ex-Ministro descobriu a América …..
    Que o diga a bela e charmosa Florida…

Deixe um comentário para Jorge Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *