Joaquim Levy luta contra o desânimo de sua equipe

Vicente Nunes
Correio Braziliense

Já foi bem – mas bem melhor – o clima no Ministério da Fazenda. O entusiasmo do ministro Joaquim Levy, que contaminava a todos, diminui a cada dia. Mas ele se esforça para manter o empenho da equipe. Tem trabalhado até 14 horas por dia.

O fato é que mesmo os mais otimistas integrantes da equipe de Joaquim Levy não veem chances de retomada da economia no segundo semestre, como prega a presidente Dilma Rousseff. O que haverá, dizem, será um suspiro que pode se transformar em esperança para que, em 2016, o saldo seja positivo, mesmo que pequeno.

DEDOS CRUZADOS

Técnicos da equipe econômica acreditam que a Moody’s e a Fitch Ratings vão rebaixar o Brasil, para igualar a classificação de risco à avaliação feita pela Standard and Poor’s (S&P). Mas acreditam que quatro ou cinco meses consecutivos de superavit primário vão ajudar o país a manter o grau de investimento. A torcida é grande.

Na tentativa de dar bom exemplo ante a ameaça de racionamento, o Ministério de Minas e Energia mandou desligar um dos elevadores de seu prédio, na Esplanada. Numa placa, justifica que está contribuindo com as medidas “de economicidade” determinadas pelo governo.

###
NOTA DA REDAÇÃO – O que se esperava do governo federal (e não haverá) é que desse o exemplo, promovendo um corte profundo nas suas despesas. Devia reduzir logo o número de ministérios, cortar 50% dos cargos comissionados, acabar com a farra dos cartões corporativos e por aí a fora. Aliás, um dos maiores segredos da República é o extrato do cartão corporativo da segunda-dama Rosemary Noronha. E a ex-ministra Erenice Guerra, a grande amiga de Dilma Rousseff, será que ela aceita quebrar o sigilo de seu cartão corporativo? Não é à toa que Levy e sua equipe estão desanimando. (C.N.)

9 thoughts on “Joaquim Levy luta contra o desânimo de sua equipe

  1. Como ter ânimo se a mídia desanima qualquer um ? Impeachment, pressão de coxinhas, pressão da folha, pressão dos economistas, pressão de todos os lados. A economia é sensíivel a cenários negativos, como esperar então que o Brasil volte a crescer ? Interessante é que o capital estrangeiro acredita no Brasil, mas os economistas , a folha, e todos os comentaristas econômicos, não acreditam no Brasil, apesar das ruas desmentirem , os analistas eles insistem em dizer que o Brasil vai mal.

    • Cara ha 12 anos e alguns meses vocês vem roubando o Brasil. Veja as declarações do Barusco. Ele disse que a corrupção associada aos partidos começou depois de 2002. Desânimo tem as pessoas honestas deste país, vendo o mesmo ser saqueado por um bando de corruptos, facinoras dirigindo este país.

    • Renato, pelo que me consta, até 26 de outubro de 2014 a Economia estava ótima, a governanta até criou um personagem batizado de Pesimildo . O que aconteceu, houve um tsunami econômico?

  2. Previsão do mercado aponta para uma piora ainda maior de alguns dos nossos índices econômicos em 2015:

    – Para o índice inflacionário (IPCA) a previsão saiu de 7,93% e foi para 8,12%;
    – Para o PIB, de uma recessão de -0,78% a previsão caiu para -0,83%;
    – Para o investimento estrangeiro direto (IED), de US$57,5 bilhões, caiu para US$56,5 bilhões;
    – Para a taxa selic a previsão se manteve constante em relação a previsão anterior, em 13% ao ano;
    – Para a produção industrial, queda de -2,19%;
    – Para a Balança Comercial, déficit de US$3,5 bilhões;
    – Para a Conta Corrente – que inclui a Balança Comercial -, déficit de US$79,8 bilhões;
    – Para a taxa de câmbio, de R$3,06 por dólar para R$3,15 por dólar.

    Fonte: Boletim FOCUS/BACEN.

    Ps.: Não há qualquer expectativa positiva para a nossa economia na avaliação do mercado, e algumas vozes falam em alívio do quadro atual em 2016. Mas, há motivos de sobra para discordarmos. Para nós, basta olharmos a variável consumo que responde pela maior parte de formação do PIB (62,5%); e, ela está retraída, sem a menor possibilidade de expansão. Uma maneira muito fácil de saber disso, sem necessidade de cálculo é olharmos o patamar da SELIC, isto é, enquanto a nossa taxa básica de juros estiver em ascensão, não haverá possibilidade de expansão do consumo e, portanto, sem a menor possibilidade, também, de crescimento da economia.

  3. A parte da entrevista do advogado do Youssef que a Folha cortou…
    ” 21 DE MARÇO DE 2015 ÀS 20:32
    247 – A colunista Mônica Bergamo publica, na edição dominical da Folha de S. Paulo, uma importante entrevista com o advogado Antonio Figueiredo Basto. Importante porque antecipa quais poderão ser os próximos passos da Operação Lava Jato. E o que ele deixa transparecer é que o alvo é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
    “Essa é uma organização criminosa ligada a um projeto de poder. Há alguém por trás disso tudo”, diz o advogado, afirmando que seu cliente seria um “mero operador”.
    Quem seria esse alguém? – pergunta a jornalista.
    “Alguém aqui garantiu isso tudo. Se eu cortar o homem que tá aqui em cima, ou essa mulher, se eu cortar essa cabeça, o resto embaixo some”, disse ele.
    Homem ou mulher? – tenta saber a jornalista.
    “A Dilma, não. O Beto [Alberto Youssef] sempre diz que ela não está envolvida com corrupção, isenta a Dilma totalmente”.
    E Lula?
    Segundo Mônica Bergamo, Figueiredo Basto, que disse ter votado em Aécio Neves (PSDB-MG) e declarou ser amigo do também tucano Beto Richa, desconversou. Novas revelações sobre a Lava Jato, disse ele, serão feitas em novo depoimento, agendado para o dia 30 de março.
    Basto deu ainda um conselho para a presidente Dilma. Segundo ele, “ela deveria se desvincular imediatamente do PT, porque PT significa atraso e corrupção”.
    O advogado assumiu, ainda, uma postura ideológica contrária à esquerda. “A esquerda não gosta de pobre. Gosta é de sinecura, de empreguismo”, disse ele, que defendeu também os manifestantes do dia 15 de março. “A elite branca toca esse país há mil anos. Ela carrega esse país nas costas sozinha”.
    Figueiredo Basto, que orienta os movimentos de Youssef, parece ter uma agenda. E não se trata do impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas sim inviabilizar o PT e a volta de Lula em 2018.

  4. OU DE OPINIÃO QUE TEM MESMO É QUE DEIXAR PIORAR PARA VALER! MAIS DE 53 MILHÕES DE JUMENTOS QUE A REELEGERAM E MESMO PELO MENOS OUTROS 30 QUE SE OMITIRAM, MERECEM MESMO SOFRER AS CONSEQUENCIAS DA INSANIDADE QUE FOI REELEGER ESSA CORJA DE MARGINAIS QUE ESTÃO DESGOVERNANDO O PAÍS! TALVEZ O TIMING CERTO PARA PROCURAR CORRIGIR AS “CAGADAS” DA PRESIDANTA E DOS PETRALHAS SEJA SÓ LÁ PELOS IDOS DE 2017, DEIXANDO QUE O ANO DE 2018 SEJA O FUNDO DO POÇO EM TERMOS DE DESEMPREGO E OUTRAS TRAGÉDIAS QUE INFELIZMENTE TEREMOS QUE ENFRENTAR!
    ATÉ MESMO PORQUE CASO JOAQUIM LEVY, HOMEM DE INQUESTIONÁVEL COMPETÊNCIA, CONSEGUIR IR CORRIGINDO A ECONOMIA AGORA, POR VOLTA DE 2017 GANHA UM BELO PÉ NA BUNDA DA PRESIDANTA E DOS PETRALHAS, QUE AINDA VÃO TER O DISPLANTE DE DIZER QUE OS DUROS AJUSTES IMPOSTOS A POPULAÇÃO FORAM CULPA DA OPOSIÇÃO E COM CERTEZA PARA GANHAR NOVAMENTE EM 2018 VÃO FAZER O DIABO, CORROMPENDO E ROUBANDO E PONDO TODO O ESFORÇO A PERDER NOVAMENTE!
    POR ISSO NADA DE APOIO A ESSES MARGINAIS NO PODER, NADA DE CONVERSINHAS E CONCHAVOS, VINDO DO GOVERNO PETRALHA QUALQUER MEDIDA É INACEITÁVEL!

  5. Realmente está um desânimo:

    Num momento de intensa polarização política, com epicentro em São Paulo, o prefeito Fernando Haddad (PT) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) protagonizaram uma parceria inédita: assinaram hoje a primeira PPP social do País, um contrato de parceria público-privada que prevê a construção de 3.683 moradias na Barra Funda, região central da capital paulista; “O centro de São Paulo tem sido alvo de empreendimentos imobiliários. Mas nós temos que mixar o centro, abrir para todas as camadas sociais. O mesmo centro que abriga apartamentos de alto padrão vai abrigar pessoas de baixa renda”, defendeu Haddad; “É uma PPP extremamente inovadora, porque estaremos aproximando as famílias, os trabalhadores e as trabalhadoras do emprego. Isso ajuda, também, a mobilidade urbana”, disse Alckmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *