José Dirceu agrediu estupidamente todos os assalariados do Brasil

“Modéstia à parte, 120 mil é pagamento irrisório”, disse Dirceu

Pedro do Coutto

Foi exatamente isso que fez o ex-ministro José Dirceu no depoimento ao juiz Sérgio Moro sobre (parte) da origem de seus ganhos – reportagem de Renato Onofre e Luiza Souto, O Globo, edição de terça-feira, ao dizer que salário que lhe era pago por trabalhos de consultor, de 120 mil reais por mês, era irrisório. Mentiu duplamente: pouquíssimas pessoas ganham tal montante em nosso país. E que trabalhos de consultoria foram esses?

Antes de entrar na análise do conteúdo de tais afirmações, devo lembrar que, com base em dados do IBGE, cinquenta por cento dos trabalhadores brasileiros recebem mensalmente até três salários mínimos, sendo que destes, 1/3 tem sua remuneração contida no piso básico. O salário médio brasileiro, incluindo os aposentados e pensionistas do INSS, situa-se em torno de 2 mil e 400 reais. Apenas 1%, isso mesmo, 1%, recebem acima de 20 salários mínimos, algo em torno de 18 mil reais. Um por cento. A mão de obra ativa é formada por 100 milhões de pessoas, metade da população.

Através de reportagem de Fausto Macedo e Ricardo Brandt, O Estado de São Paulo, também de terça-feira, destacou outro ponto chocante do depoimento. Aquele no qual José Dirceu afirmou clara e diretamente a Sérgio Moro: eu emprestava prestígio, abria oportunidades de negócios. Como? – indago eu. Ele se encontrava preso em regime semiaberto, não podia, portanto, sair do país. Que prestígio era esse que um condenado pelo mensalão possuía? Agora, uma outra pergunta; como um preso em regime semiaberto conseguia viajar para o exterior? Ele esteve em Portugal em companhia do ex-presidente Lula e do empresário Marcelo Odebrecht.

Impressionante a capacidade de Dirceu de conseguir deslumbrar-se na tentativa de deslumbrar os que o assistem e ouvem seus absurdos. Um desses, o esforço para assinalar que recebeu, ao todo, 40 milhões de reais pelos seus trabalhos como consultor, mas se encontra em dificuldades financeiras – suas despesas mensais projetam-se à casa de 1 milhão e 200 mil. A quem ele deseja iludir? Só consegue enganar a si mesmo.

FORA DA REALIDADE

José Dirceu pertence ao estranho universo das pessoas que se afastam da realidade dos fatos e vivem numa realidade própria. Não o afastava dessa viagem que empreende com desfaçatez impressionante. Aliás, é um impressionista, linguagem que marca uma fase das artes plásticas, especialmente a pintura.

Mas a política não existe com base na escola impressionista, pois não se pode entrar em conflito com os fatos, ou simplesmente brigar com eles. Pois eles terminam se impondo de forma total. Tampouco é possível a frase célebre de Lincoln – enganar a todos durante todo tempo. A verdade emerge, vem à superfície, derruba as versões fantasiosas, isola o irrealista, derruba o próprio irrealismo. E condena tais procedimentos. Como Já condenou triplamente Dirceu. Primeiro, pelo mensalão, que levou Lula a demiti-lo da Casa Civil. Segundo, pela opinião pública. E agora, novamente, em consequência de seu desempenho no escandaloso assalto à Petrobrás.

DINHEIRO DO LOBISTA

Mais uma de José Dirceu: o lobista Milton Pascovitch lhe emprestou dinheiro (700 mil) para que pudesse fazer obras em sua residência. Como? Qual fim ele próprio destinou ao rendimento de 40 milhões de reais proporcionado pelas consultorias que realizou e que lhe causaram tanto trabalho técnico e pesquisas políticas e econômicas?

Essa não…

20 thoughts on “José Dirceu agrediu estupidamente todos os assalariados do Brasil

  1. “Modéstia à parte, 120 mil é pagamento irrisório”, disse Dirceu

    Se for comparar com que recebeu a Rainha da Corrupção, Dona fernandetta henriquetta cardosiana II do Zóiodinho da Mamãe com aqueles U$ 100 milhões de dólares, hoje quase 3 bilhões de reais, é uma quantia bem irrisória…….

    eh!eh!eh
    VIVE LA FRANCE.!!!!!

    Frase do parachoque da Carruagem da Rainha “Brasil, ame-o ou deixe-o”, direto para Paris.

  2. Este projeto de ser humano agora quer ser indenizado pelo tempo que passou preso na ditadura, vejam:

    Corrupto preso, Dirceu, ex-capitão da quadrilha de Lula, quer receber pensão maior por ter sido preso na ditadura

    Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

    O ex-ministro José Dirceu acionou advogados para tentar receber uma pensão que incluiria o tempo em que esteve preso ou afastado do país durante a ditadura.

    ARQUIVO
    No ano passado, a Comissão de Anistia reconheceu o direito de Dirceu de incluir a contagem do período (cerca de dez anos) para se aposentar. O processo, no entanto, parou na burocracia. Com a liberação, ele receberia algo como R$ 10 mil mensais da Previdência, segundo interlocutores que se mobilizam para ajudá-lo.

    RENDA ZERO
    Amigos de Dirceu reconhecem que ele ganhou bastante dinheiro nos últimos anos. No entanto, nenhum recurso pode ser hoje movimentado. Preso, Dirceu estaria passando por dificuldades inéditas em relação às últimas décadas.

    MINISTRO
    Um dos candidatos a porta-voz de Lula é o ex-ministro da Justiça Nelson Jobim. Ele é o nome preferido dos que argumentam que o ex-presidente passe a ser defendido por um político de estofo, que consiga se contrapor à avalanche de suspeitas e críticas feitas pela imprensa.

    TV LULA
    A avaliação é a de que Lula tem feito política de comunicação “para blogueiros”, que seria necessária mas não suficiente para o momento que ele atravessa.

    TURISMO
    O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto avisou à CPI dos Fundos de Pensão que entrará quieto e sairá calado da sessão de hoje, em que será ouvido sobre tráfico de influência. Ainda assim, os deputados decidiram custear a viagem dele do Paraná, onde está preso, a Brasília.

    A CULPA
    “É o custo da democracia”, diz o deputado Efraim Filho (DEM-PB), que preside a CPI. “Se não trouxermos Vaccari, depois não conseguiremos indiciá-lo por tráfico de influência pois vão alegar que ele não pôde se defender. Já se vier e ficar calado, o silêncio dele gerará a presunção de culpa”, afirma o parlamentar.

  3. Não sei se este artigo (Leonardo Boff, site ddo JB) será publicado neste site>

    Leonrdo Boff,

    A persistência do ódio na sociedade brasileira
    É fato inegável: há muito ódio, raiva, rancor, discriminação e repulsa na sociedade brasileira. Ela sempre existiu de alguma forma. Ou alguém acha que os milhões de escravos humilhados e feitos “peças” e as mulheres à disposição da volúpia sexual dos patrões e de seus filhos, não provocava surdo rancor e profundo ódio? É o que explica os centenas e centenas de quilombos por todas as partes no Brasil. E o ódio dos patrões que com o chibata castigavam seus escravos desobedientes no pelourinho?
    O ódio pertence à zona do de mistério. A própria Bíblia não sabe explica-lo e o vê já presente desde o começo, no jardim do Éden; o primeiro crime ocorreu com Caim que por inveja, que produz ódio, matou a seu irmão Abel. O mandamento era claro: ”Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo”(Levítico 19,18; Mateus 5,43). O ódio é inimigo dos homens e de Deus e ele semeia a cizânia na terra (Mt 13,19).
    “O que leva um radialista da Rádio Atlântica FM, ligada à RBS gaúcha, conclamar a população a ‘cuspir na cara do ex-Presidente Lula'”, questiona Boff
    Mas eis que vem Jesus e reverte a lógica do ódio: ”Amai vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”(Mt 5, 44). Ele mesmo sucumbiu ao ódio de seus inimigos mas, aceitando livremente a morte, “venceu a morte pela morte” e assim derrubou “o muro da inimizade que dividia a humanidade”(Ef 2,14-16). Prega e vive o amor incondicional para amigos e inimigos. Inaugurou assim uma nova etapa de nossa humanização.
    Mas esse ideal nunca se transformou em cultura nos países cristianizados. Estamos ainda no Velho Testamento do “olho por olho, dente por dente”.
    No Brasil a raiva e o rancor histórico foi acrescido depois das eleições de 2014. Houve quem não aceitou a derrota e deslanchou um torrente de raiva e de ódio que contaminou não apenas o partido vencedor, mas toda a sociedade. Inegavelmente criou-se um consenso ideológico-político de alguns meios de comunicação que, com total desfaçatez, difundem esse sentimento. O que leva um radialista da Rádio Atlântica FM, ligada à RBS gaúcha, conclamar a população a “cuspir na cara do ex-Presidente Lula” senão um ódio explícito e incontido? A verdadeira perseguição judicial que Lula está sofrendo, tentando enquadrá-lo em algum crime, é movida não tanto pela fome e sede de justiça, mas pela vontade de punir, de desfigurar seu carisma e liquidar sua liderança. Grassa um maniqueísmo avassalador que amargura toda a vida social. Bem dizia Bernard Shaw:”o ódio é a vingança dos covardes”.
    Mas tentando ir um pouco mais a fundo na questão do ódio, precisamos reconhecer que ele se enraíza em nossa própria condição humana, um feixe de contradições. Somos, por natureza, e não por desvio de construção, seres contraditórios, compostos de ódios e de amores, de abraços e de rejeições. É a escolha que fizermos que irá dar rumo à nossa vida: ou a benquerença ou a aversão. Mesmo escolhendo o amor, o ódio nos acompanha como uma sombra sinistra. Se não cuidamos dele, ele invade nossa consciência e produz sua obra nefasta.
    Esse realismo o encontramos na Bíblia. Mas também num pensador como Bertrand Russel que observou com acerto: ”o coração humano tal como a civilização moderna o modelou, está mais inclinado para o ódio do que pra a fraternidade”. Lógico, se ela colocou como eixo estruturador a concorrência e não a colaboração e a luta de todos contra todos em vista da acumulação privada, entende-se que predomine a tensão, a raiva, a inveja a ponto de o lema de Wall Street ser :”greed is good”: a cobiça é boa.
    Mas há um ponto que precisa ser referido, observado já por F. Engels quando escreveu uma introdução ao livro de Marx sobre “A luta de classes na França”: ”Se houver alguma possibilidade de as massas trabalhadoras chegarem ao poder, a burguesia não admitirá a democracia sendo até capaz de golpeá-la”. Ora, através de Lula, o PT e seus aliados, vindo das massas trabalhadoras, chegaram ao poder. Isso é inadmissível pelos “donos do poder”(R. Faoro). Estes procuram inviabilizar o governo de cunho popular, desconsiderando o bem comum.
    Aqui valem as palavras sábias do velho do Restelo de Camões: “Ó glória de mandar, o vã cobiça/Desta vaidade a quem chamamos fama./Ó fraudulento gosto, que se atiça/Com uma aura popular que honra se chama” (Cântico IV, versos 94- 95). Por detrás da busca ”da glória de mandar” e do poder, revestido de raiva e de ódio, se esconde, atualmente, a vontade daqueles que sempre o detiveram e que agora o perderam e fazem de tudo para recuperá-lo por todos os meios possíveis.

    * Leonardo Boff é articulista do JB on line e escreveu:Virtudes por um outro mundo possível(3 vol.),Vozes 2005.

    Este idiota ainda insiste em defender bandidos. Não sei se leu o as ameaças que o Reinaldo Azevedo recebeu. O ódio em sua forma mais letal.

    • Nem de teologia esse Boffe entende.

      O nascimento do primeiro homicida, Caim (inveja) e da primeira vítima (Abel) aconteceu já depois da expulsão do jardim do Eden.

      No jardim ocorreu o primeiro estelionato, quando a serpente afirmou que o ilícito de Eva não a levaria à morte, mas a tornaria como uma Deusa. A ambição de Eva e a falta de liderança de Adão os fez cair na propaganda enganosa inacreditável feita pela vil e esperta criatura.

  4. E esse gangster ainda quer indulto ! Será que ser ” consultor ‘ no interior da Papuda é ‘bom comportamento” ???

    A matéria/reportagem ( disponível em PDF ) ” O Consultor ” feita pela Daniela Pinheiro, para a Resvista Piauí de janeiro de 2008, mostra o caráter psicopata/megalomaníaco desse senhor.

  5. O novo porta voz do visitador de cotas…


    O coringa de Lula
    Brasil 03.02.16 07:43

    Se Nelson Jobim aceitar a tarefa de defender Lula, ele poderá contar com um coringa: o impeachment de Dilma Rousseff.

    Nelson Jobim foi contratado pela Andrade Gutierrez, a empreiteira que delatou o achaque de Edinho Silva e Giles Azevedo para o pagamento da campanha presidencial de 2014.

  6. Mais um de uma série enorme…

    ” Mais um delator, mais uma propina para o PT
    Brasil 03.02.16 06:31

    O PT ganhou 1 milhão de reais em propina da Carioca Engenharia.

    A denúncia feita pelo dono da empreiteira, Ricardo Pernambuco Junior, um dos novos delatores da Lava Jato.

    Em seu depoimento, obtido pela ótima Camila Bomfim, da TV Globo, ele contou que o pagamento foi realizado em 2011, em quatro parcelas de 250 mil reais, em espécie, entregues diretamente ao tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.

    Para lavar o dinheiro, a Carioca Engenharia usou uma rede de doleiros e empresas de fachada.

    O pagamento de propina tinha uma contrapartida, claro. Ricardo Pernambuco Junior disse a João Vaccari Neto:
    “É preciso que você me ajude para eu poder ajudá-los, sem isso não consigo fazer doações, pois nossa empresa vive de obras”.

  7. E a Wikipédia aumentou…????? ….


    ZELOTES NO RASTRO DOS R$ 4 MILHÕES
    Brasil 02.02.16 19:45

    Ao descobrir que o valor total dos contratos do escritório Marcondes & Mautoni com a LFT Marketing Esportivo chega a R$ 4 milhões, o delegado Marlon Cajado ficou ainda mais desconfiado.

    A investigação já havia identificado a quantia de R$ 4 milhões em conversas entre lobistas e documentos apreendidos com eles. O valor seria pago a “colaboradores” do governo petista para a aprovação da MP 471.

    “Esse valor, como vem sendo comentado desde o início deste relatório, foi suscitado nos documentos produzidos pelo sócio da empreitada, ALEXANDRE PAES DOS SANTOS, como sendo o que tinha sido acertado para os ‘colaboradores’ do MAURO MARCONDES”, escreve Cajado.

    Ele diz também o seguinte:

    “Os pagamentos da MARCONDES E MAUTONI para a LFT MARKETING ESPORTIVO vinham ocorrendo normalmente e foram interrompidos em março de 2015, justamente o mês da primeira deflagração da Operação Zelotes ocorrida no dia 26/03/2015, portanto, é possível que o valor total acordado entre o MAURO MARCONDES e LUIS CLAUDIO LULA DA SILVA tenha sido realmente o montante de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais).”

    Abaixo, várias anotações encontradas em manuscritos do lobista APS que tratam de pagamentos pela negociação da medida provisória.

    O valor de R$ 4 milhões aparece em vários momentos, inclusive associado à anotação “Café: Gilberto Carvalho” e também ao valor de “2.500”, que para a PF é “R$ 2,5 milhões – coincidentemente a mesma quantia que Luís Cláudio recebeu de Mauro Marcondes na conta da LFT.

  8. O capitão do time dos lambuzados, deveria viver com um salário mínimo, afinal não é adepto do socialismo
    e defensor dos pobres? Esta é a renda de milhões de brasileiros.
    Disse receber por empréstimo o dinheiro para a reforma da casa. O que chama a atenção, é que empresário
    empreiteiro do governo, só faz favores aos altos mandatários, sera que eles também emprestaram dinheiro aos bagrinhos?
    A propósito do Boff, acha que já é caso de internação em algum hospital psiquiátrico. Faz tempo que anda “fora da casinha”. Ódio ao lula e ao PT, vê se pode e pior , governo dos pobres. É um gaiato.

    • Esse comediante da ‘ideologia’, sempre foi assim. Veja o Zé Creminho de placenta…


      “Tá com botox é, Zé Dirceu?”, perguntou uma mulher de
      cabelos curtos grisalhos. “Não, não”, ele respondeu. “É um creme que compro em Cuba, de
      um tratamento da Alicia Alonso. É feito de placenta, uma beleza. (…)A mala ficaria presa no aeroporto. Seria preciso
      comprar uma muda de roupa e artigos de toalete. “Para mim, o principal é comprar um
      hidratante”, ele falou. “Eu morro louco sem hidratante.”(…)Aos 61 anos, Dirceu tem os cabelos grisalhos e finos, que ajeita para trás com um
      pentinho verde que leva no bolso da calça. Sua pele é lisa e brilhante, graças aos cremes, e
      ele nega que seja por causa de plásticas ou aplicações de botox. Sua aguda percepção sobre
      a aparência se manifesta no uso aplicado de produtos de beleza, no empenho com os
      exercícios físicos, no guarda-roupa de grifes e na preocupação constante com a perda de

      peso. Ele quer emagrecer, urgente, 7 quilos. Quando passa em frente a um espelho, ou
      diante de um vidro com bom reflexo, José Dirceu sempre confere o penteado e a posição
      do colarinho. (revista Piauí janeiro/2008.)

  9. A dura vida da ‘esquerda caviar’………

    ” Entre as melhorias da Odebrecht no sítio atribuído ao ex-presidente Lula, em Atibaia (SP), que ele visitou ao menos 111 vezes, estaria a parte da sua adega, climatizada, muito elogiada pelos amigos. A reforma do sítio, paga em dinheiro vivo pela empreiteira que roubou a Petrobras, custou R$ 500 mil em material de construção adquirido em loja local. A ex-dona citou pagamentos semanais de R$ 90 mil, cash.

    Lula acumulou vinhos “doados” por embaixadores brasileiros em países que ele visitou nos últimos anos de presidência.

    Antes de cada viagem, os embaixadores recebiam a “sugestão” de “presentear” Lula com vinhos especiais, cuja lista era depois enviada.

    Vários embaixadores foram obrigados a se endividar para adquirir a lista de vinhos que era enviada por e-mail pelo Palácio do Planalto.

    O sítio de mais de 170.000 metros quadrados tem até um lago, onde Lula pesca. Inclusive usando o barco presenteado por sua mulher.

  10. Um pouco sobre o advogado dos inocentes…

    ” “Deus me deu a sorte de só ter cliente inocente”

    Cinquenta e quatro anos, dois implantes capilares, operado na Rússia do olho, Kacay gosta de dizer “Eu amo o Sarney”, “Ai, que saudade do ACM” (Antonio Carlos Magalhães, ex-governador, ex-ministro, ex-senador e ex-dono da Bahia) e “Ninguém aqui vai falar mal do Zé Dirceu” (José Dirceu, ex-ministro chefe do Casa Civil e deputado federal cassado). A porta da frente da mansão de Kakay em Brasília tem sete metros de altura e uma escultura gigante de um rinoceronte. Dentro, 1.500 metros quadrados e três andares luxuosos. Ainda na reportagem de Daniela Pinheiro, na piauí, Kakay diz que um amigo “ficou encantado com o clube que admirava da varanda. ‘Clube ? É meu quintal!’, respondeu Kakay”. Paredes e salas com dezenas de esculturas e quadros de artistas de galeria e uma adega de dois andares, com quatro mil garrafas de vinho – um computador controla a entrada e saída dos rótulos – completam o humilde lar do advogado. Os artistas que decoram o escritório de Kakay são outros, porém: Lula, Sarney, ACM e Roberto Carlos (o cantor), em fotos ao lado do causídico.

    No total de um patrimônio na faixa de R$ 100 milhões, segundo palpite de um conhecido, Kakay tem, além da mansão em Brasília, um apartamento de 400 metros quadrados de frente para o mar em Ipanema, no Rio; vários imóveis e participações em diversas empresas, como uma firma especializada na instalação de lombadas eletrônicas e radares de trânsito que tem contratos com o governo federal; e a Construtora Divitex – em sociedade com o presidente do Senado, José Sarney. O mais recente negócio é um cemitério em Belo Horizonte ( MG). “É o melhor investimento para retorno imobiliário hoje. Você compra em alqueire e vende a terra em palmos”, disse ele à piauí.

    Quanto cobra Kakay? Numa batida da Polícia Federal no escritório do banqueiro Daniel Dantas – um dos seus clientes –, foi descoberta uma nota fiscal de R$ 8 milhões de pagamentos feitos ao advogado. Honorários suficientes, portanto, para pagar uma fertilização in vitro da mulher (dele) ao caríssimo médico Roger Abdelmasih, antes deste ser preso e estar foragido.

    No meio do Direito, comenta-se que Kakay é o rei do “embargo auricular”, quando o advogado cochicha com o juiz. Foi assim que libertou por habeas corpus um advogado que chegaria algemado a Brasília. Bastou uma conversa com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello. Na base da conversa, o advogado já derrubou até capa de revista. Ao defender o banqueiro Salvador Cacciola, descobriu com antecedência que a revista IstoÉ faria uma reportagem de capa noticiando que Cacciola havia fretado um jato e as despesas do principal assessor do então presidente do Banco Central, Francisco Lopes. Dito e feito. Kakay ligou para o jornal Folha de S.Paulo e entregou a notícia ao concorrente. Não à toa, ele gosta de proclamar em palestras para universitários de Direito: “Deus me deu a sorte de só ter cliente inocente”. Cacciola que o diga.

    ***

    [Zulcy Borges de Souza é jornalista, Itajubá, MG]

  11. Uma pista encontra-se na Edição 283 da revista Carta Capital. A revista noticia que

    Em 1998, ano da privatização do sistema Telebrás, o empresário mexicano Carlos Slim Helú não deu a menor bola para o leilão. Seu grupo, o Telmex, ficou de fora do processo e preferiu consolidar suas operações em outras praças, como México e Estados Unidos. Cinco anos se passaram e o dono da maior fortuna da América Latina anda animado com o mercado brasileiro. O avanço do grupo mexicano ganhou impulso no segundo semestre do ano passado, a partir da compra da Tess, operadora de telefonia celular com atuação no interior de São Paulo. Mas a Anatel e o Ministério das Comunicações não demonstraram, até o momento, nenhum tipo de objeção imediata à venda. A reação do consórcio das teles fixas foi rápido. Segundo Eunício Oliveira, ministro das Comunicações, caso a Telmex venha a recorrer a recursos estatais para usar na Embratel, o governo pode exigir uma participação na Star One por meio de golden share (uma parcela estratégica do negócio que incluiria, entre outras coisas, a possibilidade de veto a decisões sobre a empresa). Oliveira disse que a proposta já teria sido discutida com José Dirceu, da Casa Civil e com o secretário de Comunicação do governo, Luiz Gushiken.”

    José Dirceu, como ministro, já negociava acordos com Slim. É o que já havia constatado, inclusive, Humberto Medina, em matéria da Folha de S. Paulo de 19/03/04. A matéria informava:

    O governo tentará obter participação na Embratel, para controlar a transmissão de informações militares via satélite, por meio do BNDES. ‘Se nós tivermos a possibilidade do controle, a segurança [na transmissão das informações militares] aumenta’, disse o ministro Eunício Oliveira (Comunicações). ‘Não é uma imposição do governo, é uma negociação.’ O ministro negou que vá haver ‘reestatização’ da empresa. Ou seja, descartou a possibilidade de a Star One, empresa da Embratel que opera os satélites, ser vendida para a Telebrás, estatal em fase de liquidação desde a privatização das telecomunicações, em 1998. Ontem, representantes da Telmex, empresa mexicana que anunciou a compra da Embratel por US$ 360 milhões, e das concessionárias de telefonia fixa, ainda interessadas na operadora, procuraram o ministro. Todos afirmaram que estão dispostos a negociar para que o governo tenha participação na Star One. Antes de receber os representantes das empresas, o ministro já havia dito que o governo só conseguiria ter uma ‘golden share’ (ação especial que dá direito de voto e veto em assuntos específicos da empresa) na Star One se, no processo de venda da Embratel, houvesse participação do BNDES. O banco faria um empréstimo e teria a ‘golden share’ em contrapartida. Oliveira recebeu Fernando Xavier, presidente da Telefônica, Otávio Azevedo, presidente do conselho de administração da Telemar, e Arthur Carvalho, do banco Opportunity (representando a Brasil Telecom), pela manhã. À tarde, ele recebeu a embaixadora do México, Cecília Soto, e o diretor-geral da Telmex, Jaime Chico Pardo, e o presidente da Claro, Carlos Henrique Moreira. A Telmex é dona da Claro, operadora de telefonia celular. Após a reunião, Pardo disse que a Telmex tem interesse em investir a longo prazo no Brasil. Os militares consideram estratégico o controle das informações que são transmitidas por meio dos satélites da Embratel – na faixa que é chamada de banda ‘x’. Os satélites da Embratel são alugados pelo governo para a transmissão das informações, que são criptografadas (codificadas). Ontem, Oliveira disse que irá tratar da retomada do controle sobre as transmissões via satélite da Embratel com os ministros José Dirceu (Casa Civil), Luiz Gushiken (Comunicação de Governo) e José Viegas (Defesa).

    Uma mega-empresa de telefonia, até onde as notícias da grande imprensa indicam, foi atraída para o país pelas mãos dos ministros do governo Lula, tendo como destaque o futuro consultor da mesma, José Dirceu.

    Parece estranho. Algo não se encaixa. Primeiro, por que um mega-consultor se aventura a dar uma entrevista tão polêmica, atacando dirigentes da esquerda e de seu partido? Vaidade é algo certo, mas é pouco para um militante de esquerda tão experiente e ex-ministro. Segundo, não parece ser uma relação óbvia um dirigente do maior partido de esquerda do país, que procura se manter como ideólogo de esquerda, vender serviços para um mega-capitalista. Qual a relação entre fatos tão díspares? Tony Blair, recentemente, aceitou ser consultor do banco americano JPMorgan, com remuneração de 1 milhão de dólares anuais. A esquerda européia ficou perplexa. O jornal Le Monde Diplomatique se perguntou “Que aconteceu com Blair? Como o jovem político inteligente, bonitão, eloqüente e acessível de dez anos atrás caiu em tamanha desgraça? Como as mesmas pessoas que beberam champanhe para comemorar sua vitória, em 1997, já separaram novas garrafas para celebrar sua partida, em 2007? Muitos tinham suas dúvidas, é claro, mas o tamanho da queda dificilmente seria previsível nos primeiros anos. O encantador Blair foi bem recebido por toda parte como a vassoura tão esperada para varrer a memória da longa e conflituosa era de Margaret Thatcher.”

    O caso Zé Dirceu, que um dia foi Daniel, é um emblema para a trajetória da esquerda no Brasil (ou parte da esquerda). Não é um caso pessoal, mas um emblema.

    http://www.espacoacademico.com.br/081/81ricci.htm

  12. É no mínimo irônico da parte dele, achar pouco R$ 120 mil por consultorias inexistentes, pensa que o cidadão é trouxa, todos sabem a procedência deste dinheiro pago por tais consultorias, é de deixar-nos irritados, o erário público foi surrupiado com tantas mentiras, será que os delatores mentiram, impossível, pois sabem que se mentissem as penas seriam maiores, até quando esta turma continuará mentindo dizendo que não receberam dinheiro de propina, pior que foi em várias empresas estatais, deveria ser crime hediondo, pois a tal CRISE tão propalada pelo governo e pela mídia comprada, simplesmente não se sustentam mais.

  13. Dirceu e o presidente do Panamá
    Brasil 01.02.16 15:43

    Como demonstração do prestígio que afirma possuir, José Dirceu disse ao Ministério Público Federal que era recebido pelo presidente do Panamá.

    O presidente do Panamá chama-se Juan Carlos Varela, que tem como principal conselheiro Ramón Fonseca Mora, fundador da Mossack Fonseca, o escritório que abriu a Murray Holdings, dona do triplex vizinho ao de Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *