Juiz corrupto compra imóveis no valor de R$ 30 milhões em São Paulo.

Fausto Macedo (Estadão)

A Justiça decretou o bloqueio de todos os bens do juiz Élcio Fiori Henriques, do Tribunal de Impostos e Taxas da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

Agente fiscal de rendas de carreira do Fisco paulista desde 2006, Fiori amealhou patrimônio de R$ 30,75 milhões em imóveis de alto padrão em apenas dois anos e meio – sua remuneração bruta é de R$ 19.490; a líquida é de R$ 13.020.

Ele é suspeito de lavagem de capitais e crime contra a administração pública – como juiz de impostos, segundo os investigadores, teria negociado redução de valores de autuações impostas a pessoas jurídicas.

Duas decisões judiciais congelam sua fortuna, uma da Justiça criminal, outra da 9.ª Vara da Fazenda Pública, que viram risco de ocultação e dilapidação de ativos de Fiori.

Foi ordenado o sequestro de 19 imóveis que o juiz incorporou ao seu patrimônio e ao de sua empresa, a JSK Serviços, Investimentos e Participações Ltda., entre 4 de março de 2010 e 5 de outubro de 2012.

Parte dos imóveis foi adquirida com dinheiro em espécie, relatam testemunhas.

A investigação sobre o enriquecimento relâmpago do magistrado tem base na Operação Lava-Rápido – missão da Polícia Federal e da Procuradoria da República que desarticulou organização criminosa infiltrada em setores da Fazenda para se apoderar de processos fiscais de empresas autuadas.

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Desta vez a punição do “juiz” não será aposentadoria, na forma da Lei da Magistratura, um odioso privilégio de favorecimento a ladrões de casaca, digo, de toga? O comentarista Jonas Pinheiro nos chama atenção para o fato de que Fiori não é juiz de verdade. Portanto, cadeia nele! (C.N.)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Juiz corrupto compra imóveis no valor de R$ 30 milhões em São Paulo.

  1. Se ele for culpado que vá para a cadeia!! O blog,ou seus responsáveis,continuam na ignorância.O cidadão não é juiz, não é membro do poder judiciário e sim funcionário do governo do estado de são paulo e trabalha no fisco!!,portanto a nota de redação do blog não é só estupida como revela ignorância do autor

  2. Fico me perguntando quando verei noticia semelhante a esta que se dirija para as personalidades mais corruptas que este país já teve noticia; A cúpula que se apoderou deste Brasil, tornou filhos milionários do dia pra noite (Dilma e LULA), presidente da Petrobras, Autarquias e demais Estatais que incluiu o próprio marido e parentes em licitações (vide Petrobras),Filhas de Juízes manobrando concursos à desembargadoria, segundo informações veiculadas nas redes sociais e os mensaleiros, que, apesar de condenados, ocupam cargos importantes na esfera governamental. O Brasil precisa ser passado a limpo e os corruptos também tem que ter suas vidas dilaceradas pela justiça, terem seus bens disponibilizados, sigilo bancário e telefônico quebrado e responderem presos por seus crimes!!!

  3. Isso é um LIXO que o PSDB de São Paulo inventou. Esse “cidadão” não é Juiz do Poder Judiciário, é um fiscal da fazenda, que na promoção recebeu o título de Juiz. E lá vem o PSDB de São Paulo inventar moda, criou na Secretaria da Fazenda o “Tribunal de Impostos e Taxas”, que PALHAÇADA. A Secretaria da Fazenda é do Poder Executivo, não se justifica criar um “Tribunal” dentro da Secretaria da Fazenda para um fiscalzinho da fazenda ser nomeado para esse cargo, ou seja, lá vai dinheiro público para remunerar um oportunista colocado politicamente como “Juiz”. E para que inventar “Tribunal de Impostos e Taxas” na Secretaria da Fazenda? Coisa do PSDB para arranjar empregos para apadrinhados políticos, daí vai você pagar todo ano IPVA.

  4. O blog cometeu um erro crasso. Esse cidadão não é juiz pois não é integrante do Poder Judiciário. Quanto desconhecimento! Esses tribunais de tributos não fazem parte do Judiciário, mas sim do Executivo, que analisam as reclamações dos contribuintes, podem até ser chamados de juízes, como juiz de paz ou até de futebol,mas não são juízes na acepção correta da palavra já que não são membros do Poder Judiciário. Que se admita e corrija o erro.

  5. O juiz Élcio Fiori Henriques afirmou que seu patrimônio tem origem legal. “Afirmo também que, no que se refere às supostas práticas de crimes contra a administração pública e lavagem de capitais, sou inocente de todas as acusações como será devidamente comprovado no Poder Judiciário”, declarou Fiori, por e-mail, à reportagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *