Juiz Moro ainda não decidiu se vai adiar o depoimento de Lula, a pedido da PF

Resultado de imagem para juiz moro

O Globo diz que Moro ainda não decidiu

Gustavo Schmitt e Dimitrius Dantas
O Globo

A Polícia Federal (PF) pediu adiamento do depoimento do ex-presidente Lula, previsto para o próximo dia 3 de maio, em Curitiba. Em requerimento enviado ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, na tarde desta segunda-feira, a PF diz que seria necessário mais tempo para organizar a segurança no local e que o feriado do dia do Trabalho, 1º de maio, dificultaria ainda mais a operação, já que são esperadas caravanas de militantes do PT e de apoiadores do ex-presidente. O juiz Sérgio Moro ainda não decidiu sobre o pedido.

A PF reitera que precisa fazer um planejamento com os órgãos de inteligência para montar um esquema de segurança para o dia da audiência. Wagner Mesquita de Oliveira, secretário estadual de segurança e de administração penitenciária do Paraná, também encaminhou ofício ao juiz reiterando a necessidade de mudança da data do interrogatório de Lua, tendo em vista “notícia de possível deslocamento de movimentos populares” para Curitiba. Oliveira ressalta que a movimentação de apoiadores do petista pode gerar problemas de “segurança pública, institucional e pessoal”.

VANTAGENS INDEVIDAS – A ação penal em que o ex-presidente será ouvido diz respeito ao apartamento tríplex do Guarajá, no litoral paulista, cuja propriedade a Lava-Jato atribui ao ex-presidente em troca de vantagens indevidas da empreiteira OAS. Lula nega as acusações.

Contudo, na última quinta-feira, o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro confirmou que tríplex pertencia à família do ex-presidente. Cristiano Zanin, advogado de Lula, contesta a informação. Ele apresentou documentos de um processo judicial de recuperação judicial da OAS, no qual a construtora incluiu o tríplex como parte de seu patrimônio para pagar credores.

Para provar que está falando a verdade, Pinheiro terá que apresentar documentos. A Lava-Jato também juntou entre os elementos probatórios diversas ligações feitas entre o empreiteiro, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, entre outros funcionários.

PROBLEMA DE MORO – Em encontro do PT em Brasília, Lula disse não ser “problema seu” a data do depoimento junto ao juiz Sérgio Moro. O ex-presidente disse não ter sido informado sobre eventual adiamento.

“Não é problema meu” — disse Lula.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A Folha diz que o juiz Moro já adiou, mas o Gobo afirma que ele ainda não decidiu, mas tudo indica que vai adiar o depoimento ou fazer por videoconferência. De toda maneira, o adiamento representa uma vitória para Lula e seus aliados e indica uma demonstração de fraqueza da Justiça, que precisa ser soberana diante de qualquer ameaça. Vamos aguardar. (C.N.)

19 thoughts on “Juiz Moro ainda não decidiu se vai adiar o depoimento de Lula, a pedido da PF

  1. Sera que vão correr do bicho, antes mesmo de ver a cor do pelo?
    Tem é que manter a audiência para o dia e hora já anunciado e por as forças de seguranças de prontidão.
    O resto e por conta do lula e de seus apoiantes.
    Qualquer ação terá que ter a reação a altura, ou a democracia não é o império da lei? Qualquer um pode acuar a justiça impunemente?
    Se não tiverem a coragem de inquirir o lula, então que entreguem o governo de volta para ele, porque dai estarão o reconhecendo como o “colhudo” nacional.

  2. “Moro decide ouvir novamente Marcelo Odebrecht e outros seis em ação contra Palocci”, no dia 5 de maio.
    Objetivo, segundo o despacho assinado nesta segunda-feira, é complementar informações com “eventuais perguntas adicionais”.
    Realmente, o adiamento do depoimento do lula, parece jogada de xadrez.

  3. Se faltam provas, transferir será uma decisão acertada. Mas será que existem as provas que os petistas querem?
    Por exemplo: fotos de Lulla, Marisa e os filhos medindo o tamanho do apto; foto ou vídeo da assinatura do contrato; entrevistas da turma que adquiriu imóvel dizendo-se feliz; mensagem convidando amigos e comparsas para a inauguração do apto; convite ao “artista” latino para embalar festa no apê. Ou mais ainda: vídeos e fotos dos encontros de Lulla e dos familiares com os negociados das empreiteiras, das lojas de materiais de construção, das lojas dos móveis e dos transportadores.
    Pessoal, tem gente (petistas) que acham que Lulla e sua família são sagrados. Jamais acreditariam/acreditarão, mesmo com todas as provas.
    E no mais, é claro que Lulla é vigarista mas não é burro! Durante todo seu governos e depois, somente usou bedéis para fazer o jogo sujo, os roubos, etc.
    Ficam apenas pequenas perguntas que ele terá de responder. Uma delas é: o que foram fazer no apartamento? O resto, as TESTEMUNHAS comprovarão com seus depoimentos e algumas provinhas que foi tudo verdade.
    Se fosse mentira ele já teria entrado com processos e mais processos.
    Quanto a data e ao fato da mobilização dos baderneiros, não importará. Eles são vagabundos mesmo e podem matar o serviço em qualquer dia.
    O legal seria transferir duas horas antes. Assim eles gastariam os “pilas” e voltariam para casa com o “rabo entre as pernas”. Se Moro fizer assim umas tres vezes, eles desistirão e os “fundos” sumirão.
    Fallavena

  4. Particularmente, achei muito estranho, o Palocci, do “núcleo duro” do PT, ter tido o posicionamento que teve no último depoimento.
    Para todos os “safados” que participam desta orgia com $ público, se houvesse uma ruptura social, mesmo que pontual e momentânea, seria o prato feito, para tentarem inviabilizar a Lava Jato e o Juiz Sergio Moro.
    Saber dar um passo atrás, pode ser decisivo na vitória; nós temos pressa, por isto vamos com calma e segurança.
    Não estamos em disputa como em um “cabo de guerra” e sim na apuração e depuração deste lamaçal.
    Atenciosamente, Pereira.

  5. Uma coisa é certa com essa mudança de data, o psicológico do mau feitor fica a mil. Podem ter certeza que a mente de mau feitor não descansa até o momento da data de se apresentar na justiça.

  6. A data do questionamento do Molusco foi anunciada há muito tempo. A PF deveria estar preparada. Caso se sinta insegura, peça ajuda das forças armadas. O juiz Moro não deve ceder a essa exigência. Lembrem-se: a dieta dos fanáticos é mortadela.

  7. O Moro não é um idiota e até o presente revelou-se um bom estrategista. Por conta disso ele sabe muito bem que a prisão do Lula, apesar de ser um ato jurídico, é sobretudo uma ato político. Sendo assim, a fundamentação é jurídica, mas a sua implementação depende de “enforcement” (uso a palavra em inglês, pois em português o componente “força” fica perdido). Portanto, ele não pode decidir sozinho. A única instituição que pode garantir o “enforcement” são as Forças Armadas.

    Paralelamente, os desgaste progressivo e profundo do Poder Legislativo, principalmente o federal, mostra cada vez mais claramente que profundas alterações no sistema político são necessárias, mas não serão realizadas por esse Poder Legislativo e com poucas e baixíssimas possibilidades serão através do voto popular. O Poder Judiciário está razoavelmente se mantendo, porém o STF tem, cada vez mais, se mostrado vacilante e incapaz de apresentar soluções, mesmo porque depende de estímulos que vem do Poder Legislativo.

    Esses elementos oferecem um quadro muito diferente daquele de 1.964, quando as Forças Armadas foram arregimentadas por argumentos e circunstâncias ideológicas externas, que de alguma forma, poderiam afetar o equilíbrio das esferas de influência norte-americana e soviética. Agora o quadro é eminentemente interno, muito embora alguns agentes externos possam estar atuando, mas de maneira muito marginal.
    Assim sendo, esse vai-e-vem do depoimento (prisão) do Lula, uma vez que elementos jurídicos não faltam, está na dependência de um posicionamento definitivo das Forças Armadas e da avaliação institucional do país depois da prisão.

    Talvez a grande dúvida do comando militar seja na arregimentação de quadros civis que possam minimamente ajudar a conduzir o país por um tempo, que não será pequeno, pois envolve uma mudança radical nos valores que estão regendo o país há muito tempo e que estão além dessas ideologias caducas que não conseguem mais explicar o mundo. Outra postura seria aquela que ainda acredita ser possível ocorrer mudanças dentro do quadro político atual, porém com expurgos.

    Do ponto de vista da chamada “resistência democrática” o quadro é assustador pois as circunstâncias estão exigindo que se radicalizem cada vez mais, o que por um lado incendeia o discurso, mas por outro diminui cada vez mais o seu tamanho e dos possíveis apoios internos e externos. Internamente os “movimentos sociais” de resistências estão todos devidamente mapeados e portanto circunscritos e podem ser contidos. Externamente, o quadro é ainda mais avaçalador, pois resta tão somente a Venezuela, que está na iminência de uma virada à direita, o Ecuador que está de Presidente novo e é um país muito pequeno e não vizinho para ser considerado apoio e Cuba já era…foi para o espaço e vai virar aquela ilha caribenha de “resorts” turísticos suburbanos da Florida e um porto de abastecimento de navios do comércio internacional de comodities.

    As cartas estão postas e, para variar, os militares estão com o abacaxi pra descascar, ou se quiser, com a faca e o queijo na mão.

  8. Nessas alturas fico rindo por dentro, e não que eu queira me alegrar sozinho, mas porque começaram as postergações para colocar Lula na cadeia!

    Todos sabem que apostei que o ladrão do ex-presidente Lula não será preso.

    E justifiquei o meu repto alegando que o larápio é uma bomba atômica, um artefato bélico nuclear!

    Se explodir, o seu raio de ação levará consigo culpados e inocentes e, indiscutivelmente, os alicerces da República serão abalados.

    Moro tem plena consciência do teor de TNT deste explosivo que tem nas mãos, e não quer ser o responsável pela sua detonação, quer dividir acionar o dispositivo com mais gente do Judiciário, que se nega, que não quer assumir a responsabilidade sobre a prisão de Lula.

    Assim, Moro posterga, e Lula será candidato à presidência da República, e, se vencer, não assumirá!

    Moro vai optar por Lula ser desmontado, e não detonado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *