Juízes precisam ter prazos a cumprir. Há muitos vagabundos de toga.

José Fidelis

Como levar a sério o Poder Judiciário com tantos juízes sócios ocultos de cursinhos e lecionando durante o dia inteiro, enriquecendo de todas as maneiras, escolhendo quais processos julgam e como julgam?

O mais difícil para um bom advogado é encontrar o juiz para despachar. Os caras simplesmente não trabalham e se encostam na sua vitaliciedade, a inamovibilidade e irredutibilidade de vencimentos.

Juízes precisam respeitar prazos sim, precisam se submeter às leis e precisam tomar consciência de que também são servidores públicos, pagos com os tributos daqueles que tanto desprezam, seus jurisdicionados.

A Justiça brasileira é lenta e ineficaz, em grande parte, graças á apropriação da função de juiz por gente que só quer ganhar rios de dinheiro e tirar proveito do cargo. Algumas poucas famílias se mantêm hereditariamente em concursos extremamente subjetivos (com direito a entrevistas e indicação de autoridades: de quem você é amigo?).

Os prazos não podem ser fatais para os advogados e apenas dilatórios para os juízes. Se há mais processos, deve haver mais trabalho e mais controle da falta de trabalho por parte dos juízes.

Há muitos vagabundos de toga. Há muitos bandidos escondidos na função de juízes. Como diria o inesquecível Away: “É muita safadeza, com um pouquinho assim de vadiagem…”

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *