Juízes repudiam ato de Lula na ONU, por tentar intimidar a Justiça

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

cHARGE DO sPONHOLZ

Deu no Estadão

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) manifestou nesta quinta-feira, 28, seu repúdio à petição encaminhada pelo ex-presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) na qual denuncia o juiz Sérgio Moro e os procuradores da República que atuam na Operação Lava Jato por “falta de imparcialidade” e “abuso de poder.”

Para a entidade, a Corte Internacional não deve ser utilizada para constranger o andamento de quaisquer investigações em curso no País e, principalmente, aquelas que têm como prioridade o combate à corrupção. A AMB diz ver com “perplexidade” as “tentativas de paralisar o trabalho da Justiça brasileira”.

“O Brasil possui órgãos constituídos de controle interno e externo para acompanhar o trabalho desempenhado pela magistratura. É inadmissível a utilização de quaisquer outros meios, que não os legais e constitucionalmente estabelecidos, para tentar inibir o trabalho de agentes públicos no desempenho de suas funções”, diz a nota.

MORO É UM EXEMPLO

Para a entidade, o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato é exemplo da intimidação aos magistrados de todo o País e “tem sido alvo recorrente de grande pressão” por sua atuação na operação.

No texto, a associação ainda reitera as críticas ao Projeto de Lei do Senado (PLS) que altera os crimes de abuso de autoridade. “Nas entrelinhas, o projeto prevê uma série de penalidades para tentar paralisar juízes e juízas, além de procuradores e policias, por desempenharem o seu ofício como determina a legislação”, diz a entidade lembrando que, caso estivesse em vigor, a lei inviabilizaria uma operação como a Lava Jato.

“O País e toda a sociedade precisam estar atentos aos ataques contra o Poder Judiciário, para que tal absurdo não avance no Congresso Nacional, com o único objetivo de favorecer investigados e envolvidos em grandes casos de corrupção”, segue a nota da AMB.

Por fim, a entidade aponta a importância de um “Judiciário forte e independente” e diz que qualquer movimento contrário “será um retrocesso contra a transparência e a resposta que o povo brasileiro espera no combate à corrupção”.

3 thoughts on “Juízes repudiam ato de Lula na ONU, por tentar intimidar a Justiça

  1. SÓ MESMO EM PAÍS GOVERNADO POR QUADRILHAS …

    -Criminoso ameaça magistrado e fica impune…
    -Governo tira o revólver do cidadão, mas mantém os bandidos armados com fuzis…
    -Bandido faz manifestação para usar celular em presídio…
    -Cidadão é preso por reagir a assalto…
    -Quadrilhas perseguem viatura policial…
    -Presidiário protesta pelo direito de aceitar ou não o diretor do presídio…
    -Traficante com 720 quilos de drogas é solto por ser considerado usuário…

    Em nenhum outro lugar do planeta tem uma “nação” tão esculhambada quanto a “nossa”! Eu, pelo menos, não conheço!

      • Imagina se a nossa Justiça se intimida com o que Lula fez…

        Não conheci Paulo Francis ao vivo, mas li algum livro dele, lia seus textos, seu jeito de se referir a Suplicy (‘ah, Mogadon, Mogadon’), o acompanhava na TV.

        Ouvi dizer, acho que li, que o terror de Francis era ter sido processado pela Petrobras nos EUA. Teve medo. Advogados lá são muito caros.

        Lula só quer se defender, está assustadíssimo, não engana ninguém. Emagreceu, ficou abatido. Os outros partidos se satisfazem se ele for ficha suja e não tiver como ser candidato, eis a verdade.

        Uma coisa é a torcida para que ocorram certos desfechos. Outra coisa é a covardia política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *