Julius & Ethel

Jacques Gruman

Sou fascinado pelas ciências. Em seus domínios reina a dúvida, a interrogação. As verdades são sempre temporárias. Da folclórica maçã que deu origem a uma das leis de Newton à mecânica quântica, das especulações sobre a estrutura atômica à fissão nuclear, nada permaneceu intocado. Pulga na cueca. Lá, onde é necessária comprovação experimental para chancelar uma ideia, os mentirosos e charlatães não têm vida longa.

Na vida política, a pulga e a cueca têm outro DNA. Determinada pelo choque permanente de interesses contraditórios, coleciona mitos e ilusões. Consta que Gustavo Capanema teria dito que “mais importante que o fato é sua versão”. Antípoda das ciências. Mentiras com aparência verossímil viram ferramentas letais na luta pelo poder. Os nazistas acusaram os comunistas pelo incêndio no Reichstag, em 1933. A calúnia foi transformada em verdade oficial e ajudou a consolidar um regime totalitário. No Brasil, a imagem de uma inexistente “república sindicalista” serviu para costurar o golpe civil-militar de 1964. O terrorismo dos golpistas, cevado por generosos dólares, fez a cabeça da classe média, que marchou com Deus e a família pela liberdade …

Os meios de comunicação são, hoje, um braço siamês da política. Não é possível pensar nuns separados da outra. A tecnologia se sofisticou e os filmetes do IPES e do IBAD dos idos de 60 não passam de precursores toscos da manipulação e do engodo televisivos. Campanhas eleitorais substituíram as antigas manifestações de rua por caríssimas produções marqueteiras, hipnotizando pelas imagens e velando informações. Editar material gravado é a técnica usual dos ilusionistas. Lula, prejudicado pela vergonhosa edição que a rede Globo fez do seu debate com Collor em 1989, agora vê o PT beneficiado pelo mesmo artifício indecente.

CADÊ A VAIA?

Na abertura da Copa das Confederações, dias atrás em Brasília, a TV Globo não incluiu a prolongada vaia da plateia à presidente Dilma Rousseff no compacto de imagens que cedeu a outros veículos de imprensa. Um fato relevante foi deletado e o público ludibriado. Como em qualquer filme policial, sobra a pergunta: quem ganhou com isso ? Não há diferença entre essa empulhação e o que Stalin fez com as imagens de Trotsky em fotografias. E la nave va.

Por falar em tapeação, no dia 19 de junho de 1953, há exatos sessenta anos, os Estados Unidos executaram Julius e Ethel Rosenberg, acusados de passar segredos atômicos para a União Soviética. Foi um dos processos judiciais mais contaminados pela mentira e pela paranoia política de que se tem notícia. Não é pouco para um país que tem no prontuário criminoso o assassinato legal dos Mártires de Chicago e dos militantes Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti.

Vivia-se o terror da era McCarthy, que transformava todos os cidadãos, especialmente os “suspeitos de comunismo”, em inimigos potenciais, sujeitos a listas negras, demissões sumárias e prisões. Proliferavam “testemunhas amigáveis” (delatores voluntários), que se exibiam na Comissão de Atividades Antiamericanas, coração dos inquisidores macartistas. Destacaram-se os futuros presidentes Richard Nixon e Ronald Reagan, que tiveram comportamento sórdido. Investigado pelo FBI, Einstein foi suspeito de, segundo o relato do jornalista Argemiro Ferreira, “dirigir uma rede de espionagem, ser o cérebro por trás da conspiração comunista para tomar conta de Hollywood, inventar um raio milagroso, descobrir um robô capaz de ler as mentes humanas e exercer controle sobre o pensamento e até mesmo estar por trás do sequestro do bebê Lindbergh”.

A loucura coletiva chegou a tal ponto que uma menina de oito anos foi proibida de trabalhar num filme porque seu pai era “suspeito”. É impossível quantificar a dor e a destruição, psíquica e física, de pessoas que, por pensarem diferente, perderam empregos, adoeceram, morreram e/ou foram aviltadas pelos tribunais comandados por um senador medíocre, que surfou nas ondas da Guerra Fria. A imprensa, é bom ressaltar, foi, em grande parte, cúmplice daqueles acontecimentos.

PROVAS FRÁGEIS

Volto aos Rosenberg. O irmão de Ethel, David Greenglass, foi testemunha chave de acusação. As “provas” que apresentou para demonstrar que Julius conspirara a favor dos soviéticos são, de acordo com todos os juristas consultados na época, absolutamente frágeis. O casal foi constantemente chantageado por cerca de três anos para que confessasse um crime que não tinha cometido. Caso o fizesse, estaria livre da cadeira elétrica. Como efeito colateral, ajudaria a “provar” a ameaça comunista ao “mundo livre”. Em nenhum momento os Rosenberg cogitaram “confessar” o que não haviam feito. Foram sentenciados à morte e, apesar de uma grande mobilização internacional pela sua libertação, os pedidos de clemência foram negados. É, talvez, o caso mais emblemático de uma época suja. “Tempo de canalhas”, como bem definiu Lilian Hellman.

Nas manifestações, especialmente nos Estados Unidos, costumava-se cantar a música Joe Hill (sindicalista de origem sueca, também condenado injustamente à morte, em 1915). É uma celebração à sobrevivência das ideias à morte física. A bravura com que Julius e Ethel Rosenberg resistiram aos que queriam, muito além de executá-los, destruir suas ideias, é uma inspiração, um alento. Especialmente quando se anuncia que o Estado norte-americano montou uma rede interna de espionagem, que dá acesso indiscriminado a mensagens eletrônicas e telefonemas. Aroma totalitário, que seria prontamente denunciado pelos Rosenberg se fossem vivos, mas que têm em Bradley Manning, Julian Assange e Edward Snowden dignos herdeiros. (artigo enviado por Mário Assis)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

33 thoughts on “Julius & Ethel

  1. Tá certo , vou chorar lágrimas de esguicho a noite inteira por essas e outras raivinhas dos maldosos EUA.
    Nem vou dormir direito.
    Essas coisas são muito sérias.
    Atacam sobremaneira os nossos nervos.
    Tanta maldade.

  2. Parabéns a Jacques Gruman por mais um artigo onde se ressalta a dignidade humana em oposição à mediocridade, à mesquinhez, à ignorância presentes nos vassalos do totalitarismo, ora hegemônico.

  3. Problema sério.
    Enquanto isso no Brasil os vagabundinhos que nos governam tem uma dívida emocional com o ditador Fidel, que Batista adora. A Dilma, o bandido Dirceu e outros do tipo tiveram apoio, quando queriam tomar o poder dos ditadores militares e implantar a sua ditadura. Nada a ver com democracia.
    Por isso esses nossos governantes, sectários da religião da “salvação” vermelha, pega o dinheiro do nosso povo, esse mesmo que está aí nas ruas reivindicando melhores condições de vida, e dá para o ditador continuar brincando de ditadura.
    É inacreditável.

    Definitivamente estamos ferrados.

  4. Mauro são suas as palavras que “adoro” Fidel. Já não posso dizer o mesmo de ti, que salta aos olhos que tem uma verdadeira fixação por ele. Fixação essa comparável a que o Feliciano tem pelos gays.

    Não adoro absolutamente ninguém. Sequer tenho alguém como ídolo. Você não foi simplesmente infeliz em suas colocações. Você é simplesmente infeliz, profundamente equivocado e mente de forma tão tola que dá dó.

    Mas você é uma criatura. No momento, humana. E estamos na mesma nave. Fazemos parte da mesma viagem. Mas nossos olhares são diferentes.

    Como o foco da minha vida não é a TI, tampouco alimentar uma discussão de surdos, paro por cá. Não sem antes desejar que você se encontre, sublime essa sua fixação, bem como espero que Feliciano seja curado da dele.

  5. Jacques Gruman, saudações
    Batista Filho, super saudações
    O que está claro, nítido e insofimável, é que as práticas terroristas utilizadas pelos nazistas … guardam enorme semelhança com as dos governos dos Estados Unidos. Gruman citou FATOS. Batista Filho apresentou mais FATOS.
    E não esqueçamos!!! Não esqueçamos!!!
    O filme premiado com o OSCAR, este ano, foi “ARGO”.
    Começa assim: “Os terroristas somos nós, americanos … que invadimos países, torturamos, matamos … ” etc etc etc.
    Mas isto é um filme muuuuito velho!!! Olhem … se o Fidel quiser … humm … sei não … sabemos de gente que adoraria conhecê-lo sexualmente … (só pode ser!!! há! há! há!)

  6. Batista Filho !!!
    Considerando que as mulheres acham o CHE GUEVARA um homem lindo … que tal pedirmos ao Carlos Newton para publicar uma foto dele?
    Tem gente que irá à loucuraaaaa !!!
    Há! Há! Há!

  7. De minha parte tô cagando e andando prá americanos, mas o fato é que aqui no Brasil tem mais gente com raivinha do EUA, que no Vietnan, que esteve em guerra com eles.
    E o fato é que sem Volta redonda, construída pelos americanos, o Brasil não teria a indústria que tem hoje.
    Quando Fidel e Che pediram a URSS para industrializar Cuba, esta deu uma foice e um martelo e mandou que eles cortassem cana.
    Essa de contar historinhas tristes para sentimentalizar e capturar adeptos para atacar alguém é velha. O contador dessas histórias tá cagando e andando pros personagens de suas histórias.
    O que ele quer é outra coisa.
    Outra coisa que só poucos percebem.

  8. Queria saber, fato concreto, quando os americanos prejudicaram o Brasil. Tem que ser fatos concretos. Historinhas produzidas por raivinhas partidárias não vale.
    Na guerra fria existia infiltração comunista e anti comunista por aqui. Isso não vale.

  9. Almério, um abraço fraterno.

    Sei não!… só sei que, à exceção do Cristo, nenhum outro vulto histórico no Ocidente tem mais imagem sua estampada no peito – de pessoas de todas as idades -, que o velho Che!!!

    Não sei até que ponto isso pode mexer com a libido dos enrustidos a “la” Feliciano ou dos Homo teleguiadus errantis, experiência tupiniquim levada a termo pela Ditadura milico-servil de 1964 conjuntamente com as Organizações Bobo, de Roberto Mauzinho. O Homo teleguiadus errantis é uma variante do Homo sapiens sapiens. Só não sei se já existe alguma matéria a respeito no conceituado sítio http://www.spadoconhecimento.com.br/

    Pouco tenho comentado por cá. Continuo a ler, é claro. Mas me cansa a enxurrada de comentários e artigos cada vez mais rançosos e verde oliva… afinal, não fui eu que inventei o mantra “Soldado não pensa…” Essa onda de “Brasil, ame-o ou deixe-o” é típico de quem recita muito tal mantra. Até o Olavo de Carvalho – a outra face do Feliciano/Bolsonaro -, tem sido citado por cá como referência! Isso sem contar que tem gente que acredita que o Lulla é de esquerda e que o Fórum Social é invenção dele e do Fidel!!!

    Como o meu tempo está curtinho, melhor deixar essa rapaziada com suas neuras. Tenho um livro para concluir agora em julho. Quando estiver pronto e você tiver interesse, enviarei pelo correio. De graça, é claro, rss! O título é “Memórias de gerações”. Projeto iniciado em 2009, conta com a participação de estudantes de níveis Fundamental, Médio e Superior, bem como de professoras da Secretaria de Educação do DF e da Universidade de Brasília.

    Inté, conterraneo.

  10. Prejudicaram o Brasil CONCRETAMENTE no acordo do trigo logo após a 2a Guerra, aliás muito bem explicado pelo Helio Fernandes repetidamente nas últimas décadas. Um tremendo prejuízo levamos. Se duvida, peça ao Helio para contar de novo ou investigue por conta própria, já que é tão sabido.

  11. A propósito, é o tipo do comentarista que parece ser pago para marcar presença com doutrinação ideológica enfadonha, ultimamente até a chutar sobre a Coréia do Sul. Aposto que desconhece o nome do vice prefeito da cidade que vive. Não traz uma informação útil, histórica ou de interesse geral que possa ser comprovada até pelo google. Além do mais, repetitivo no vocabulário.

  12. Não, o Lula não inventou o Fórum Social Mundial, contudo foi FUNDADOR do FORO de SÃO PAULO, associado às FARC e outras porcarias do mesmo gênero!
    Quero que me respondam: um encontro, onde políticos brasileiros se reúnem com representantes de outros países e de organizações terroristas ilegais para combinar o que farão em seus respectivos países É O QUÊ? Esses políticos são o quê? SÃO TRAIDORES DA NAÇÃO BRASILEIRA!
    Leiam por exemplo, aqui: http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/foro-de-sao-paulo/14261-movimento-passe-livre-foro-de-sao-paulo-e-constituinte.html ;
    e aqui
    http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/foro-de-sao-paulo/14007-o-foro-de-sao-paulo-e-a-ingerencia-nas-eleicoes-presidenciais-latino-americanas.html

  13. Fanático é fanático. Não tem jeito . É fato concretíssimo.
    São vítimas da própria mente e da mente de seu semelhante.

    Dominados pela ilusão de poder que a mente traz, eles se perde nesse mundo obscuro, concretizado nas ideologias e religiões. Estas dividem as pessoas em boas ou más e assim para essa gente, a justiça se transforma em linchamento e genocídio, pois quem não são escravos como eles, é mau e deve ser eliminado.

    A história está aí com as fogueiras, os genocídios nazistas e comunistas e o paredon de um dos seus salvadores e ídolo como Fidel castro.
    São pobres coitados que vão levar a vida assim.
    Como escravos e pior, pregando a escravidão.

    Liberdade é para poucos.

  14. Temos que levar em consideração que aqui tem muita gente nervosa com essas revoltas verdadeiras que vem desse povo enganado por essa gente religiosa.
    Estão com medo de perder a boca nesse governo e demonstram desequilíbrios emocionais visíveis. Lula Silva pode ser até parente de alguns aqui.

    Resumindo: além do fanatismo religioso e ideológico, temos que considerar a componente financeira de indivíduos que estão lucrando com esse governo corrupto de 10 anos.

  15. Enaltecimentos a personalidades que não contribuíram para o desenvolvimento da Humanidade, mas para seu aniquilamento, não poderiam fazer parte da memória de povos ou de meninadas que tiveram ensinamentos completamente distantes da realidade!
    Chê Guevara foi um assassino, e suas razões para matar em nome da causa que defendia jamais o notabilizam, diga-se de passagem, mas aquecem corações e sentimentos que carecem de maiores considerações pelo ser humano, a não ser consigo próprios e egoísmos que exacerbam pessoas que desconsideram o sofrimento das vítimas deste torturador e criminoso!
    Chê Guevara, Stálin, Mao, Fidel, Pol Pot, Nixon, Bush, pai e filho, os regimes de exceção, e não importam suas guinadas, causam-me asco, reviram-me o estômago, diante de exemplos de inúmeros cidadãos do bem, que contribuíram decisivamente para o bem-estar dos povos e desenvolvimento da Ciência, que deveriam estar estampados em camisetas de jovens do mundo inteiro, e não de personagens que precisaram matar para que pudessem se tornar famosos e detentores de poder!

  16. É, o pessoal ficou “religioso” mesmo…Foi rezar…
    Deixo aqui mais duas referências para estudo e comentário…

    > Sobre as vantagens de ser comunista (além de peramencer vivo, é claro) http://sumateologica.files.wordpress.com/2009/09/o-livro-negro-do-comunismo-crimes-terror-e-repressao.pdf

    > Ensino no Brasil e seus grandes avanços… [Há, Há, Há… (Obrigado, Hélio Fernandes])

    http://alissonfernandoonline.blogspot.com.br/2013/01/maquiavel-pedagogo.html

  17. Liberdade e escravidão não se misturam.
    Então me pergunto: prá que me misturar com religiosos, e pior , desses de religiões cujo motor de ação é o ódio?
    Essa gente hospedeira e transmissora desses instrumentos de escravização só dispõe do sentimentalismo (a realidade criada pela mente para substituir a verdade, que só os sentidos que trazemos no corpo podem manifestar), para se sustentar como personagens do bem, de uma farsa teatral.
    Citam até Jesus Cristo para para atingir esses fins hediondos e enganar os incautos como a serpente do paraíso.
    A essa gente , o meu desprezo.

  18. Batista Filho, saudações
    Pronto, ela confessou!!!
    Ela confessa-se louca por Fidel!!! Ela é uma pessoa atormentada. E, como todos os atormentados, não percebe sua tormenta, que é refletida em outros.
    Abração, Batistaaaa !!!!!

  19. Viram? O enfadonho doutrinador recebeu a informação CONCRETA solicitada, que nada tinha a ver com ideologia, partido ou posição política, e cinicamente esquivou-se com mais de doutrinação. Dos 26 comentários até o momento, 10 foram dele apenas com doutrinação enfadonha. É o policial dos interesses econômicos estrangeiros aqui.

  20. Na condição de refugiado da Coréia do Norte, tenho tremores todas às vezes que percebo algum tipo de controle sobre escritos alheios.
    A liberdade de expressão que este maravilhoso país concede a seus filhos e para imigrantes que o escolhem como destino final de suas vidas, deve ser festejada e preservada sempre, mas não existir um policiamento sobre opiniões que discordam de uns e outros comentários manifestados.
    Que cada um escreva o que quiser, desde que não haja ofensas pessoais.

  21. Primeiro, asilado político é estrangeiro e não pode se intrometer em assuntos políticos do país que o acolhe; segundo que devia ter se refugiado no país ao sul da península, de seu próprio povo, se é contra o governo do norte, e não vir ao Brasil a piruar como estrangeiro. Se tem tremores, vai para a Coréia do Sul ou ao raio que o parta. Não é problema do Brasil seus tremores de refugiado. Está aqui a favor. Finalmente, tenho minhas dúvidas de que seja gringo, tamanha sua audácia.

  22. Um lembrete:
    Sobrenome não identifica quem é genuinamente brasileiro, aliás, com exceção dos nossos índios, o povo do Brasil teve origem de miscigenações e imigrantes.
    Percebo faltar no comentarista acima condições que o elevem à cidadania internacional, onde as pessoas são mais importantes que os limites dos países, ser mais solidário com o ser humano e menos arraigado a questões políticas, invariavelmente marionete de interesses escusos e, lamentavelmente, de gente de seu próprio País!

  23. Confessou ser asilado politico no Brasil e como tal não pode se intrometer em assuntos políticos. Isso é norma INTERNACIONAL. Ou você concorda que o Cesare Batisti comece a escrever aqui e fazer declarações sobre a política no Brasil. Mas, não se esquente . Esse tal de Park fez um trocadilho com a triste enfermidade que atinge qualquer família. Trata-se de um reles..

  24. Aviso, quem for dar um chute no saco do ditador Fidel tenha o cuidado de não acertar a boca de alguns daqui. Um desses pediu encarecidamente para não mexer com a Cuba desse ditador. Disse ele, indagando em tom “piedoso” fazendo cara de santinho lacrimoso: “porque aquela pequenina ervilha incomoda tanto?”
    Pode?

  25. Pois é Park In-Son, eu fui escrever o que eu constato por aí e acabei, não sei porque cargas dágua, acertando a boca de tres . Confesso que não os vi quando chutei o saco de Fidel. Aproveito o ensejo para me desculpar com essas figuras que tanto admiram o ditador a ponto de…..bem, deixa prá lá.
    Dá próxima vez vou tomar cuidado quando meter o pé no saco do ditador.
    Eu juro.

  26. O problema não é que o brasileiro tenha nome de origem estrangeiro. O que não é legal é que um asilado político, um cidadão em conseqüência de outro país, independentemente de sua crença religiosa, ideologia ou causa empreendida no exterior, se manifeste na política interna do país que o acolheu. É claro que não é o caso desse cara, que não passou do gaiato verde amarelo a debochar de uma enfermidade.

  27. Para juízo do comentarista que mistura status de refugiado de cidadão no país que o acolhe com cidadão estrangeiro turista, imigrante, residente por razões familiares ou contratado temporário. O asilado ou refugiado estrangeiro que desejar participar da política do país que o acolheu TERÁ QUE RENUNCIAR AO STATUS E SE NATURALIZAR CIDADÃO DO PAÍS. Onde já se viu um país aceitar proteger a vida de um cidadão que se intromete em sua política interna? Não sou cidadão INTERNACIONAL, quando viajo levo meu passaporte brasileiro, seguro saúde, grana, não acredito nos governos do meu país, quanto mais solidariedade internacional ou internacionalismo proletário que não existe isso no mundo prático. Aliás, já comprovei isso durante a ditadura militar. Pode ser que num futuro longínquo a cidadania internacional venha a acontecer na humanidade. Por enquanto é expectativa de um mundo perfeito, como a sociedade sem classes, último estágio do socialismo científico, e malandragens de grupos religiosos políticos e econômicos. Fique com seus sonhos e suas idéias internacionalistas, porque, repito, já as testei na prática quando jovem, muitas décadas atrás, paguei caro do meu bolso, ralei muito mundo afora e não acredito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *