Juventude do MDB quer expulsar Cunha, Cabral e Geddel, se eles não saírem logo

Cunha e Cabral, expulsos após a condenação

Karla Gamba
O Globo

A Juventude do MDB deve pedir a expulsão do ex-deputado Eduardo Cunha, do ex-governador do Rio Sérgio Cabral e do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Segundo Assis Filho, secretário nacional de Juventude do governo Temer e presidente da Ala Jovem do partido, existem dois pedidos de diretórios estaduais que serão analisados na próxima reunião da Executiva Nacional da Juventude. O encontro deve acontecer até março deste ano. “Pessoalmente eu concordo com o pedido e poderia fazer de forma isolada, mas não quero que minha opinião prevaleça. Quero fazer com o aval da Executiva Nacional da Juventude porque isso vai dar força. Se a Executiva concordar, nós vamos oficializar ao presidente do partido o pedido de expulsão de ambos. Eu acredito que a Executiva vai aprovar”, afirmou Assis Filho.

SAÍDA DOS CONDENADOS – Para o secretário, figuras políticas que já foram condenadas devem sair do partido. Sobre os políticos que foram denunciados mas ainda não sofreram condenações, como é o caso do próprio presidente do MDB, senador Romero Jucá (RR), o presidente da Ala Jovem acredita que as instâncias partidárias não devem fazer julgamentos antecipados.

“O partido tem que dar uma resposta sobre os casos que já houve condenação. Agora aqueles que foram denunciados, acho que eles não podem ser condenados antecipadamente pela instância partidária. A gente precisa respeitar a presunção da inocência, e o partido não pode condenar essas figuras políticas de forma antecipada. Mas uma vez condenados pela justiça, o partido tem que tirar essas pessoas do quadro”, defendeu Assis.

A expulsão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso preventivamente após a Polícia Federal achar indícios de sua ligação com os R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em um apartamento em Salvador, também pode ser analisada na próxima reunião da Juventude do partido.

DESCONTENTAMENTO – “Nós vamos analisar o caso do Geddel também, que é um caso de grande repercussão. Não há pedido oficial, há descontentamento por setores da Juventude do MDB com relação à permanência dele no partido e desejo da saída dele, mas não há oficialmente um pedido de expulsão. Deve haver, e havendo esse pedido nós vamos analisar”,  declarou o presidente da Jventude do MDB.

A Juventude do MDB pediu a expulsão da senadora Kátia Abreu (MS) e do senador Roberto Requião (PR). Kátia foi expulsa do partido em novembro do ano passado, e Requião aguarda análise do Conselho de Ética do partido. No caso dos dois senadores, os pedidos de expulsão vieram por conta de acusações de que Kátia e Requião compõem uma ala dissidente da base governista no Congresso.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A ala jovem justifica que a saída de ambos oxigenaria o partido e que, ao mesmo tempo, “provaria à sociedade” que não compartilham das mesmas práticas.  Missão impossível. Manchas e desgastes que se multiplicam diariamente. Não há maquiagem que conserte o estrago. Existe ainda a expectativa de que Cabral, Cunha e Geddel peçam a desfiliação por vontade própria. Caso não ocorra, segundo a ala jovem, eles “passarão pelo constrangimento de terem a expulsão solicitada”. (M.C.)

19 thoughts on “Juventude do MDB quer expulsar Cunha, Cabral e Geddel, se eles não saírem logo

  1. Estou embasbacado!
    Existe ala ” jovem” nesse partido?!
    Inacreditável!
    Não seria o caso de expulsá-los todos, em nome da moral e dos bons costumes para a juventude?

    Saudações,
    Carlos Cazé.

  2. Enquanto isso naquele outro partido que um dia se dizia dos trabalhadores, a galera defende com unhas e dentes os seus ladrões.
    Nunca ouvi falar da existência de uma “juventude petista”, também não sei se existe, porém pelos métodos como defendem o “maioral” da seita, da para fazer uma comparação com a antiga juventude hitlerista. Tais como os antigos, desejam ter suas vontades atendidas, mesmo que seja preciso usar a violência.
    Porto Alegre tem tudo para se tornar a nova batalha do ITARARÉ, aquela que não houve.

  3. A pena de Sérgio Cabral foi branda, comparada a Eduardo Cunha, deveria ter a mesma pelo mal que fez ao estado do Rio de Janeiro, mas continua preso no estado do Rio de Janeiro, já deveria ter ido para presídio federal.

    • E foi nisso que o “sábio de Garanhuns” se ancorou para ganhar o galardão de “melhor presidente do Brasil”, ou o que deixou o governo com aprovação recorde. A república 171 dos me$mo$ não poderia estar melhor representada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *