Lá , ao vento espalhado e envolto, meu verso solto

Resultado de imagem para efigenia coutinho

Efigênia Coutinho e a arte de ser poeta

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

Hoje é o Dia do Poeta e, neste sentido, publicamos a definição de “Ser Poeta”, na visão da artista plástica e poeta Efigênia Coutinho, nascida em Petrópolis (RJ). A seu ver, a poesia será sempre um meio de comunicação de sentimentos na escrita. “Tenho um ritmo pessoal, operando desvios de ângulos, mas sem perder de vista a tradição, procurando atingir o núcleo da ideia essencial, a imagem mais direta possível, abolindo as passagens intermediárias”, revela.

SER POETA
Efigênia Coutinho

A noite sempre cálida me espera ,
Tenho em versos a recente emoção
Da inquietude que abraça a quimera,
Enquanto no meu peito pulsa a oração.

A noite ouve o acalanto, esta voz
Que brada a rima solta, e então viajo;
E busco o sopro terno do ninar em nós,
Onde se farta o frêmito voraz, que trajo.

Lá , ao vento espalhado, e envolto,
Meu verso solto, que diz: mortal, eu sou
Na arte que te fecunda e faz envolto…

Porque ser poeta é ser alguém que embelezou
A prosa e o lado vil do caso vário,
E deu-se a Deus que equilibra este rosário.

3 thoughts on “Lá , ao vento espalhado e envolto, meu verso solto

  1. Paulo Peres, todo dia, é dia do Poeta, pois a cada momento eles têm inspiração em tudo que vê. Mas hoje é um dia dedicado especialmente ao Poeta. Parabéns por ser poeta, parabéns por nos trazer sempre um poeta para nós.
    Presente – Affonso Romano de Sant’Anna

    O que te darei neste dia?
    O que te daria eu ontem
    quando não te conhecia?
    E amanhã o que darei
    se hoje não te dei o que devia?

    O que te dou apenas
    sombra do que querias
    Dou-te rosa, e o desejo
    era dar-te poesia

  2. No dia do Poeta, quero homenagear meu amado poeta do Pantanal – Manoel de Barros
    Mau avô = Manoel de Barros
    Meu avô dava grandeza ao abandono.
    Era com ele que vinham os ventos a conversar
    Sentava-se o velho sobre uma pedra nos fundos
    do quintal
    E vinham as pombas e vinham as moscas a
    conversar.
    saia do fundo do quintal para dentro da
    casa
    E vinham os gatos a conversar com ele.
    Tenho certeza que o meu avô enriquecia
    a palavra abandono.
    Ele ampliava a solidão dessa palavra.
    e as borboletas se aproveitavam dessa
    amplidão para voar mais longe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *