Ladrão que comoveu policiais já arranjou trabalho

Camila Costa
Correio Braziliense

O eletricista Márcio Ferreira está, oficialmente, empregado. Ele trabalhará nas obras da Gois Construtora. A empresa está no mercado imobiliário desde 2000, focada em empreendimentos residenciais para população de baixa renda. Segundo o proprietário da Gois, Nertan Gois, Mário apresentou todos os certificados de qualificação e começará na segunda-feira (18/5). “Ele precisava de um emprego e a gente de um funcionário. Não é uma ajuda. É uma oportunidade”, disse Nertan.

Depois de comover policiais civis do Distrito Federal após ter furtado 2 kg de carne para alimentar o filho, Mário tem recebido doações de comida e algumas oportunidades de emprego. A entrevista na Gois foi na tarde desta sexta-feira (15/5). Mário fez testes em obras, conversou com outros funcionários e foi aprovado para a vaga.

Mário chegou a ser preso na última quarta-feira (13/5), quando seguranças de um mercado de Santa Maria o viram colocar o alimento em uma bolsa. O homem foi levado à 20ª Delegacia de Polícia. Durante depoimento, ele passou mal e disse que só queria alimentar o filho. Agentes e delegado se comoveram com a história e pagaram a fiança para que ele voltasse para casa.

Mário é eletricista, mora no Jardim Ingá (GO) com o filho de 12 anos. Ele ficou desempregado há 1 ano e 3 meses depois que a mulher sofreu um acidente de moto e ficou 18 dias em coma. Para cuidar dela, Mário precisou sair do emprego. Desde então, a rende familiar se resume a R$ 70 e ao auxílio do Bolsa Família.

4 thoughts on “Ladrão que comoveu policiais já arranjou trabalho

  1. Prezado Camilo Costa não chame este senhor de ladrão que esse nome não cabe.Ladrão são esses políticos do PMDB e do PT que alem de roubarem a Petrobras e o nosso rico dinheirinho e o sonho deste senhor de educar e alimentar o seu filho.

  2. “JUIZ USA DECISÃO DO STF PARA LIBERTAR 20 BANDIDOS
    A decisão do STF de conceder HC a acusados de participação no esquema da Lava Jato virou parâmetro e argumento para o juiz de Direito Wagner Carvalho Lima, da 2ª vara Criminal de Franca/SP, dar liberdade provisória a 20 réus nesta segunda-feira, 11.

    Presos há quase seis meses, os acusados de integrar uma quadrilha especializada na falsificação e comercialização de defensivos agrícolas, foram beneficiados pelo entendimento do magistrado de que os desvios da Petrobras configuram crime de maior gravidade em comparação ao por eles cometido e, portanto, não teria como “justificar a manutenção da prisão”. Na decisão, Wagner Carvalho Lima destaca que foi concedida a liberdade provisória “até porque não temos tornozeleiras à disposição”.

    “Num país onde os integrantes de uma organização criminosa que roubou bilhões de reais de uma empresa patrimônio nacional estão em casa por decisão do STF, não tenho como justificar a manutenção da prisão do réu neste processo, que proporcionalmente causou um mal menor à sociedade, embora também muito grave.”

    Reportagem (informativo com conteúdo jurídico-político-econômico):
    http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI220451,31047-Juiz+usa+decisao+do+STF+na+Lava+Jato+como+parametro+e+poe+em

    Como dizia Gilberto Gil: “Abram-se, cadabram-se as prisões…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *