Lava Jato de Curitiba diz que declarações de Aras são “infundadas” e nega “segredos”

Augusto Aras afirmou que o grupo é uma “caixa de segredos”

Katna Baran
Folha

Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba repudiaram nesta quarta-feira, dia 29, críticas proferidas ao grupo e negaram a existência de “segredos” nas investigações. O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou nesta terça-feira, dia 28, que o grupo é uma “caixa de segredos”.

“Não se pode imaginar que uma unidade institucional se faça com segredos, com caixas de segredos”, disse Aras em uma live.A força-tarefa, por sua vez, alegou ser falsa a “suposição de que 38 mil pessoas foram escolhidas pela força-tarefa para serem investigadas”.

DECLARAÇÕES INFUNDADAS – O MPF de Curitiba chamou as declarações de “infundadas” e citou que a discussão da qual o procurador participou era composta também por advogadas “que patrocinaram a defesa de influentes políticos e empresários investigados ou condenados na operação”.

Os procuradores, comandados por Deltan Dallagnol, negaram que há segredos ou documentos ocultos no trabalho da força-tarefa. Os arquivos, destacaram, estão registrados nos sistemas do próprio MPF e da Justiça Federal e as investigações e processos são avaliados por diversos entes, incluindo toda a sociedade.

“Não há na força-tarefa documentos secretos ou insindicáveis das Corregedorias”, argumentaram na nota.
Nesta quarta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se somou às críticas de Aras e afirmou ter a impressão de que o Ministério Público gosta de controlar, mas não quer ser fiscalizado.

TRABALHO REGULAR – De acordo com o MPF/PR, esse é o número de pessoas físicas e jurídicas mencionadas em Relatórios de Inteligência Financeira encaminhados pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) ao grupo, o que faz parte do trabalho regular de verificação de suspeitas de lavagem de dinheiro.

O grupo afirmou ainda que a extensão da base de dados da operação revela a “amplitude” e a “necessidade de uma estrutura compatível” para o trabalho. As informações obtidas nas mais de 70 fases da Lava Jato, segundo os membros da força-tarefa, foram colhidas seguindo formalidades legais e procedimentais.

DESCRÉDITO – Por fim, os procuradores alegaram que uma parte da sociedade civil, desagradada com a investigação de crimes graves envolvendo políticos e grandes empresários, tenta desacreditar o trabalho da Lava Jato. “Nesse contexto, é essencial que as Instituições garantam a independência funcional dos membros do Ministério Público, conforme lhes foi assegurado pela Constituição de 1988”, diz a nota.

Também em resposta às acusações de Aras, a força-tarefa da Lava Jato em São Paulo divulgou a íntegra de informações já prestadas pelo grupo na segunda-feira, dia 27, ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

CRITÉRIOS – Os procuradores afirmaram que a distribuição de processos da operação segue os mesmos critérios adotados em qualquer procedimento que dê entrada no órgão e destacaram que, em duas correições feitas pela corregedoria do MPF, em 2019 e 2020, não foram encontradas irregularidades nos feitos judiciais e extrajudiciais da Lava Jato em São Paulo.

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) igualmente reagiu às declarações de Aras e apoiou o trabalho dos membros do MPF, destacando que o modelo de forças-tarefa constitui exemplo internacional de sucesso para conduzir grandes e complexas investigações.

A entidade apontou que correições feitas nas diversas forças-tarefas do Ministério Público, incluindo da Lava Jato, não detectaram “qualquer fato que autorize a desqualificação do trabalho”, submetido às avaliações contínuas da corregedoria do MPF e também do CNMP.

DESPRESTÍGIO – A ANPR afirmou ainda que as acusações levantadas por Aras desprestigiam os órgãos de controle do próprio MPF e despertam dúvidas indevidas sobre a atuação de procuradores que compõem grupos de investigação, o que não contribui para a evolução do modelo de trabalho. “Em suma, cuida-se de discurso destrutivo e não construtivo”, diz a nota.

A instituição destacou por fim que, atualmente, há 23 forças-tarefas em funcionamento em todo MPF e que, de 2014 até agora, as diversas ações por elas desenvolvidas levaram a “potencial de reversão de recursos ao poder público” na ordem aproximadamente de R$ 30 bilhões.

10 thoughts on “Lava Jato de Curitiba diz que declarações de Aras são “infundadas” e nega “segredos”

  1. O STF vergonhosamente refutou a segunda instància dando mole para os corruptos. O resultado foi 6 x 5, o que prova que poderia ser diferente, se houvesse preocupação com o bem do povo.
    O Aras tenta enfraquecer a lava-jato com filigranas semânticas, em vez de fazer algo útil; O STF, vira e mexe, se mete na política.
    Por que temos que ser assim tão chinfrins?

  2. Essa esculhambação existe pelo fato de o poder estar longe do povo. Brasília é longe do Brasil.

    Sendo assim, o Aras se apresenta como um dos coveiros da Lava jato e vai poder desempenhar seu “ofício” tranquilamente, como fazem ministros do STF.

    A vontade do povo – acabar com a corrupção e punir os ladrões – jamais será atendida, pois não rende dinheiro para os detentores do poder.

  3. Se negam segredos, por que a preocupação?

    Sempre fui a favor 100% da LV.

    Gostei desde o início do imbróglio do lista tríplice

    Todos sabemos, desde o primário das panelinhas.

    Em todo caso, que se abram os processos de qualquer lado.

    Trânsito em julgado, ninguém é punido.

  4. Sou crítico da Lavajato. Muitos aqui sabem.
    Mas discordo completamente com as medidas adotadas pelo PGR não democraticamente indicado à chefia da instituição.
    As irregularidades em qualquer orgão do Poder Judiciário ou do Ministério Público, pelo que sei, são apontadas, ou diretamente na Ouvidoria/Corregedoria, por quem prejudicado, ato de Correição Extraordinária ou Ordinária, ou da Corregedora-Nacional dos Conselhos (CNJ ou CNMP).
    Logo, o que pretende o PGR, Aras, é tomar para si informações para compartilhar com o mandrião Presidente Bolsonaro

  5. CILADA PARA PEGAR CORRUPTO

    É fácil! Basta que as provas sejam colhidas da seguinte maneira:

    Cheiradas com o paladar
    Teteadas com a audição
    Vistas com o olfato
    Degustadas com a visão
    Ouvidas com o tato

    *Se não funcionar é porque:

    Se a razão vale direito
    O errado compra a razão
    Como razão não é dinheiro
    O direito perde a questão

  6. Sabe de uma coisa, essa briga da Lava Jato versos PGR tem uma conclusão:
    Todos brigam e nenhum dos lados tem razão.
    Tanto Aras quanto os procuradores lavagistas têm lá seus interesses, que não são os interesses do povo.
    Hoje no Brasil, não se pode acreditar em mais ninguém.
    Estamos no fundo do poço e lá o cheiro está insuportável, como no nono círculo do Inferno de Dante na sua Divina Comédia.

  7. No post das 11hs TI,
    Sr. Aras reforça embate e afirma que lava-jato em Curitiba é caixa de segredo..
    Respondi as 19:56,Sr.Moro, só lhe resta, fazer concurso para magistratura,nenhum partido vai querer o algoz dos políticos..

    De outra banda,Sr.Aras é petista de carteirinha e faz o jogo duplo pois,tem interesse ser Min.STF,agrada o Bolsonaro,por causa dos filhos e amigos milicianos.
    Agrada patrão Zé Dirceu, assim,detona o inimigo comum que é Sr. Moro.

    É ou não é, são uns canalhas…

    Moro, já era.foi pra banha..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *