Lava Jato descobre que Sérgio Cabral cobrava propina até em obra de favela

Depois da propina, Cabral caía no funk

Julia Affonso, Ricardo Brandt e Fábio Serapião
Estadão

O executivo Clóvis Primo, ligado à Andrade Gutierrez e um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou que o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) acertou propina sobre as obras de urbanização do conjunto de favelas de Manguinhos, uma das comunidades mais pobres da capital fluminense. O executivo Rogério Nora de Sá, também ligado ao grupo, relatou a mesma informação aos investigadores da Lava Jato.

Clóvis Primo depôs na quinta-feira, 23, à Procuradoria-Geral da República. Ele disse que, além das obras do Maracanã e do Comperj (Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro) também sabe que houve pagamento de propina na obra de Manguinhos.

OBRA DO PAC – “Essa obra consistia na urbanização, construção de casas, etc, no conjunto de favelas em Manguinhos; que essa obra era estadual, mas recebeu recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC; que nesse caso também houve acerto com Sérgio Cabral do pagamento de 5% do valor da obra”, relatou, dizendo que “neste caso o operador da propina também foi Carlos Miranda”.

O Consórcio Manguinhos, liderado pela Andrade Gutierrez, em parceria com a EIT e Camter, venceu o contrato de R$ 232 milhões para executar os serviços no Complexo de Manguinhos.

Entre 2009 e 2010, Sérgio Cabral inaugurou diversas obras em Manguinhos. De acordo com o site da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (EMOP), em 25 de outubro de 2010, o então governador do Rio entregou 328 apartamentos no Conjunto Embratel, na Avenida Leopoldo Bulhões, ‘destinados a famílias relocadas pelas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em Manguinhos’.

SITE FESTEJAVA – “No local, também foram construídas uma ciclovia e áreas de esporte e lazer, com equipamentos de ginástica e pista de skate. Na mesma área, foram entregues, em junho, 152 unidades habitacionais. No total, são 480 novas moradias para os moradores de Manguinhos. A partir da próxima segunda-feira, o PAC Manguinhos terá completado 914 apartamentos entregues. O investimento total naquela comunidade é de R$ 565,6 milhões”, apontou o site do governo do Estado, na época.

O delator Rogério Nora de Sá disse que A Andrade Gutierrez ficou com as obras de Manguinhos e também relatou ‘nessas obras o pagamento de propina de 5% do valor respectivo para o governador Sérgio Cabral’. Segundo o delator, quem conduziu ‘as tratativas do ajuste de propina’ foi outro executivo da empreiteira de nome Alberto Quintaes.

REUNIÃO COM CABRAL – O executivo declarou que participou de uma reunião com o então governador e um assessor, ‘na qual foi solicitada a propina em questão’. “O pagamento dessa propina foi feito parte em espécie e parte em doações oficiais para campanha”, afirmou.

Em janeiro deste ano, a Polícia Federal, no Rio de Janeiro, pediu auxílio da Operação Lava Jato, para levantar informações sobre possível fraude em licitação de obras de urbanização de três complexos de favelas – Alemão, Manguinhos e Rocinha – realizadas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a partir de 2008. Os investigadores apuram o conluio entre as empresas líderes dos consórcios vencedores dos contratos, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão – as três acusadas de cartel em obras da Petrobrás.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Isso é só o começo. Além de cobrar propina em todas as obras, inclusive nas favelas, a quadrilha de Cabral e Pezão desviava muitos recursos de outras áreas, inclusive na Saúde, cujo secretário Sérgio Cortes, da turma do guardanapo, também ficou milionário, tornou-se vizinho de Cabral no luxuoso condomínio em Mangaratiba e comprou em dinheiro vivo uma cobertura duplex na Lagoa, com cinco vagas para carros. Há informações de que Cortes já teria vendido tudo e se mudado para os Estados Unidos. E outro secretário, Régis Fichtner, chefe da Casa Civil, foi morar na Alemanha. Será coincidência? (C.N.)

13 thoughts on “Lava Jato descobre que Sérgio Cabral cobrava propina até em obra de favela

  1. Hoje, matéria fresquinha do Globells do Efeagáecio,
    A Linha Quatro do Metrô do Rio de Janeiro “sofreu” ajustes em mais de 21 vezes sobe o preço principal da Assinatura do Contrato.
    Segundo o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro……

    Será que no Rio também tem o DNA dos Franco-Tucânicos-Suiços…?

  2. Enquanto a quadrilha do PMDB/RJ está a solta, outra quadrilha age todo dia na Rua Uruguaiana. A gangue do ” golpe das 3 tampinhas ” . A polícia, desmotivada e sem equipamento nada pode fazer. Cabe aos cidadãos avisar aos conhecidos e a imprensa denunciar.

  3. O Rio de Janeiro esta sempre na vanguarda. Mesmo em termos de roubalheiras os cariocas andam também na frente.
    Dizer que é só por lá que se rouba, não é verdade,
    mas roubar de quebrar um estado que até bem pouco tempo era o o segundo da federação em arrecadação, é tarefa hercúlea, ou quem sabe,cabrálea. Exige um esforço pra la de esforçado e um número muito grande de ladrões.
    Medalha de ouro para os ladrões cariocas.

  4. Este sujeito é tão hipócrita que finge que está ao lado do pobre, faz qualquer coisa para satisfazer a gentalha, mas por trás desta pele de cordeiro encontra-se um crápula, nepotista, inescrupuloso, mercenário, é cínico, com esta cara de chorão engana muita gente, mas a mim NÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *