Lava Jato no Rio pede restituição de R$ 230 milhões de delatores à União com transferências e venda de imóveis

Bens eram de Dario Messer, de seus familiares e de seus operadores

Deu no Estadão

A força-tarefa da Lava Jato no Rio pediu à 7ª Vara Federal Criminal do Estado que determine o depósito de R$ 137,5 milhões em conta judicial e ordene a venda de 33 apartamentos, casas e terrenos do Rio de Janeiro e São Paulo, com valor estimado em R$ 92,8 milhões, para restituir à União o patrimônio renunciado por réus em acordos de colaboração fechados com o Ministério Público Federal.

Os bens eram de Dario Messer, o ‘doleiro dos doleiros, de seus familiares Rosane e Denise Messer, e de seus operadores Rafael e Mario Libman. As informações foram divulgadas pelo MPF do Rio.

LEILÃO – Entre os imóveis de Messer que a Procuradoria quer mandar a leilão estão uma cobertura no Leblon (Av. Delfim Moreira, nº 1130), sete apartamentos e um terreno na Barra da Tijuca e outros bens na Lagoa (casa), Copacabana (apartamento) e Leblon (duas salas comerciais).

Já o pedido relacionado a Rosane Messer lista duas salas comerciais no Leblon e um apartamento em Ipanema. A liberação deste último para venda também precisa de aval da 4ª Vara Federal Criminal do Rio, onde tramita outra ação. Quanto a Rafael Libman, a solicitação da Lava Jato envolve oito imóveis no Recreiro, três na Barra, três em Botafogo, um em Vila Isabel e um do Leblon.

Com relação ao pai de Rafael, Mario, operador ligado a Messer, os procuradores querem leiloar dois apartamentos no Itaim Bibi e um na Vila Nova Conceição, em São Paulo. Ele tem ainda uma lancha Coral 27 guardada em Angra dos Reis que terá de ser avaliada – no entanto, modelos similares são anunciados por cerca de R$ 150 mil, diz a Procuradoria.

BENS –  Messer e seus familiares ainda possuíam outros bens aos quais renunciaram no acordo de colaboração fechado com o MPF. Com relação ao patrimônio do doleiro no Paraguai e nos EUA, por exemplo, a Procuradoria já formalizou pedido de cooperação internacional para o seu compartilhamento.

A força-tarefa da Lava Jato também se manifestou sobre dez telas de Di Cavalcanti, uma de Djanira e uma de Emeric Marcier, também já renunciadas pela família Messer. Está pendente de julgamento no Tribunal Regional Federal da 2ª Região um recurso da Procuradoria que quer tornar públicas as obras.

A 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro tinha ordenado o leilão das telas, mas o MPF recorreu por considerar inestimável o valor desse patrimônio imaterial. Os procuradores sugeriram que a coletânea fosse doada ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) e expostas a toda a sociedade. Em relação ao patrimônio de Dario Messer no Paraguai e nos EUA, o MPF já formalizou pedido de cooperação internacional para o seu compartilhamento.

4 thoughts on “Lava Jato no Rio pede restituição de R$ 230 milhões de delatores à União com transferências e venda de imóveis

  1. Jornal da CBN – Entrevista
    Esforço da OMS em relação à vacina da Covid-19 será por ‘engajamento voluntário’

    A diretora-geral assistente para acesso a medicamentos, vacinas e produtos farmacêuticos da Organização Mundial da Saúde, Mariângela Simão, afirmou ao Jornal da CBN que as políticas de saúde devem sempre estar baseadas nas evidências científicas e não em posições ideológicas ou partidárias. Segundo ela, as autoridades mundiais devem reforçar a comunicação com a sociedade sobre a importância da imunização contra o coronavírus para que haja ‘engajamento voluntário’. A especialista destacou que medidas autoritárias, como a obrigatoriedade da vacinação, são mais difíceis de serem implementadas, mas ressaltou que o Brasil não deve enfrentar problemas por já ter tradição na área:

    “A posição da OMS é que haja esclarecimento da população, e que haja um esforço grande para que o engajamento seja voluntário. Eu não vejo que isso seja um grande problema no Brasil, porque o país tem uma tradição de altas coberturas de vacinação de adulto contra a influenza, por exemplo, e outras vacinações de adulto quando você tem campanhas localizadas, como a da febre amarela. A vacinação de adultos sempre teve muito boa adesão.”

    Mariângela Simão também esclareceu que a população não deve se preocupar com o rápido desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus. Ela lembrou que todas as pesquisas seguem rígidos protocolos internacionais:

    “Mesmo que a gente esteja num processo acelerado para ter uma vacina boa no mercado, não estamos tomando nenhum atalho nem sendo menos rígido do que se seria em condições normais. Normalmente, uma vacina demora sete, dez anos para entrar no mercado. O que está sendo feito é tornar os processos mais rápidos, com algumas etapas andando em paralelo.”

    A diretora-geral assistente da Organização Mundial da Saúde ainda disse acreditar que uma vacina vai estar disponível a partir do primeiro semestre do ano que vem. Mas a previsão é que apenas um bilhão de pessoas sejam imunizadas até o final de 2021. Isso porque, segundo ela, devem ser disponibilizadas 2 bilhões de doses, e cada uma deve receber duas delas.

    https://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/320034/esforco-da-oms-em-relacao-vacina-da-covid-19-sera-.htm

  2. Será para onde vai este dinheiro recuperado da Lava Jato ?
    Onde é utilizado efetivamente ???
    Com tudo que já foi devolvido por estes bandidos ordinários, seria muito bom que publicassem o destino de cada centavo, para que se evite os costumeiros desvios e os “pedágios” cobrados pelos ratos de plantão até que o recurso chegue, já diminuído, ao destino.
    Nesta época de eleição então, os ratos fazem a festa…
    Como fazem com toda verba pública, constantemente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *