Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 thoughts on “Livre pensar é só pensar (Millôr Fernandes)

  1. Eu sonho com um Brasil melhor, e você?
    Eu tenho um sonho, que um dia há de nascer nesta nação um grande homem para que daqui a 500 anos o mesmo esteja inserido nas grandes enciclopédias (se ainda existirem no papel) mundiais e lá nas páginas delas, esteja escrito este texto:
    Fulano de tal,
    grande estadista brasileiro,
    pegou um país falido com alto índice de corrupção,
    país com grande concentração de renda,
    também com grande concentração de terras,
    país com uma população com milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza,
    povo jogado à própria sorte e convivendo com um dos piores índices sociais do mundo,
    sem uma boa educação,
    sem saúde,
    sem segurança,
    sem uma moradia decente,
    país com uma região chamada Nordeste e governada por oligarquias reacionárias que mantinham seu povo a pão e circo,
    um povo inculto que levava a vida a assistir novela, sambar, pular carnaval e ver futebol,
    povo que, com este jovem dirigente teve sua cidadania devolvida e respeitada,
    os corruptos foram banidos da vida pública e muitos fugiram para países vizinhos,
    o povo foi educado, não mais votou nos oligarcas e foi extinto o voto de cabresto,
    deixaram de existir 28 partidos políticos para dar lugar só a dois principais e mais uns 2 de pouca expressão,
    graças a este novo governo liderado por um presidente honesto e de pulso forte hoje esta nação é respeitada no mundo,
    100% da sua população é alfabetizada,
    hoje faz parte do antigo G-7 e que agora é G-12,
    tem um PIB de 60 trilhões de dólares que é o 2º maior do planeta,
    tem um índice de desemprego em torno de 2.8%, mas estes desempregados recebem um abono mensal até arranjar um novo emprego e todos eles têm casa própria,
    hoje esta nação tem seus teatros e atores que competem com a Broadway,
    sua indústria de cinema se iguala à de Hollywood,
    tem universidades que não devem nada a Harvard e Oxford,
    o povo aboliu de vez aquela música primitiva tipo axé, pagode, sertanejo e músicos de 2ª e 3ª categoria, atualmente a música deste país (Brasil) compete com o mercado americano e inglês.
    Hoje este povo tem músicos do nível de um Bob Dylan, Frank Sinatra, John Lennon, Elton John,
    de uma Tina Turner, Janis Joplin, Madonna, Janet Jackson…
    coisa impensável há 500 anos quando tinha que se conformar com músicos tipo Caetano Veloso, Michel Teló, Sandy & Junior, Luan Santana, Pitty, Lenine, Paula Fernandes, Fiuk , Gabriel o Pensador, Maria Gadu, Marcelo D2.

  2. Este meu sonho pode até ser utopia, mas como Deus é brasileiro e o futuro a ele pertence.
    De uma coisa eu sempre tive certeza:
    O futuro do Brasil jamais pertenceu a governantes tipo Sarney, Collor, FHC, Lula e Dilma para ser melhorado e jamais pertencerá aos políticos atuais.
    Se o meu sonho for concretizado, quem no ano de 2500 fizer uma pesquisa na famosa Enciclopédia Britânica ou no Google à procura de informações sobre o Brasil vai ler algo igual ao que escrevi acima.
    Na citada enciclopédia a pessoa vai ler sobre nossa nação como também vai ler a biografia do grande estadista que governou este país e o transformou numa grande potência econômica, militar e cultural. Algo que seu povo nos dias de hoje, ano de 2013, jamais imaginou alcançar.
    Também indo à outras fontes de informações como livros e revistas você lerá (no ano de 2500) a biografia deste grande brasileiro que fez do Brasil uma grande nação poderosa e respeitada como nunca foi.
    E devo lembrar que atualmente, em livros escritos por historiadores americanos e europeus retratando a vida das grandes personalidades da história não é citado um único brasileiro.
    Alguém um dia falou: “A história é feita por grandes homens, cujas ações e conduta de vida perduram o passar dos tempos, modificam os rumos de uma civilização e inspiram as futuras gerações”.

  3. O brasileiro prefere campo pra chutar bola
    Em 2005 uma pessoa escreveu para o “Espaço do Leitor” do jornal A Tarde sugerindo ao governo construir estádios, campos de futebol, vilas olímpicas, quadras etc.
    Mandei-lhe uma mensagem tentando conscientizar-lhe de que no momento nossa prioridade é educação, saúde, emprego, segurança, moradia, comida…
    Depois que melhorarmos estes itens aí sim, vamos fazer nossos Maracanãs.
    Eis a mensagem que enviei ao leitor do citado jornal:
    “Sr., Incrível! Ou melhor, absurdo o senhor falar que o governo tem que construir estádios e campos de futebol, construir vilas olímpicas, quadras etc.
    Qué, qué isso senhor! Este país precisa construir salas de aulas, bibliotecas, hospitais e até teatros e museus.
    Construir campo para chutar bola?!!!
    Olha, futebol nunca levou e nunca vai levar uma nação pra frente.
    Sempre comento com as pessoas que futebol não leva uma nação pra frente, pois futebol em si não é cultura pode ser dito como a cultura de um povo. Futebol é entretenimento.
    O brasileiro se diz com todo orgulho (as elites, os formadores de opinião, os governantes, a mídia num todo… incutem na cabeça do povo) que é pentacampeão de futebol. E daí?!!!
    Eu prefiro ter em meu país um Shakespeare, um Einstein, um Alexander Fleming do que ter 10 Ronaldos, 20 Ronaldinhos Gaúcho e 30 Kaká.
    Eu sonho com um país que tenha uma “HARVARD OU UMA OXFORD” do que um país que tenha 10 Maracanãs.
    Eu não trocaria um país que tenha “Tecnologia de ponta” por um país que tenha 5 “Campeonatos mundiais de futebol”.

  4. Os governantes têm que educar o povo e lhes ensinar a pensar melhor.
    Quando eu digo educar o povo quero dizer: educar de verdade e não dizendo que colocou 97% das crianças na sala de aula (tremendo demagogo o Fernando Henrique, age como um presidente de uma republiqueta), pois destes 97% só 11% chegam ao 3º grau.
    Os 89% restantes que ficam pelo caminho (pára na educação pré-escolar, no ensino fundamental e no ensino médio).
    Li em algum livro que o IBGE considera alfabetizadas as pessoas de 5 anos de idade ou mais, capaz de ler e escrever um simples bilhete no idioma que conheçam. Estes números vão para UNESCO que também aceita e daí o DEMAGOGO FHC espalha que no governo dele houve avanço na educação e baixou o número de analfabetos.
    É como diz o jornalista Hélio Fernandes: Que república!

    LEIA ESTE PEQUENO TEXTO DATADO DE 2005.
    “08/09/2005 – Ibope: 75% da população não sabe ler direito
    O Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) divulgou hoje, no Dia Internacional da Alfabetização, que 75% das pessoas com mais de 15 anos não sabem ler nem escrever direito. Neste percentual estão incluídos os analfabetos absolutos e os considerados analfabetos funcionais, que somam 68%. Segundo o Instituto Paulo Montenegro, braço social do Ibope, o número de jovens e adultos considerados analfabetos funcionais é praticamente o mesmo de quatro anos atrás.”

  5. Hoje estamos em 2013 e tenha certeza que nestes 8 anos pouco pode ter mudado. Não precisa ser educador para perceber que a educação brasileira anda a passos de cágado.
    Bom Sr. Lucas, quando este povo (eu me incluo, pois também estudei pouco) for alfabetizado este país vai crescer culturalmente e economicamente aí sim vamos crescer também nos esportes e construir seu sonho de estádios, quadras de esportes…
    Se para jogar futebol necessitasse ter bom nível cultural o Brasil não teria ganhado 5 títulos mundiais, como pra jogar bola pode-se ter pouca ou nenhuma instrução, daí…
    Claro, gosto de futebol e tenho Pelé como ídolo.
    Só não sou alienado, gosto do futebol dos cracaços tipo Pelé, Maradona, Garrincha, Eusébio, Beckenbauer, Bobby Charlton, Cruyff, pois são craques nota 10.
    Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Luís Fabiano, Adriano… são bons jogadores acima da média, só isso, o resto é decadência do futebol mundial e o poder do marketing e da mídia que nos dias de hoje é fortíssimo.

  6. Sr., sabe onde fica o Hospital Santo Antonio da Irmã Dulce? Já esteve em hospitais públicos? Passe defronte estes hospitais às seis horas da manhã e veja a humilhação imposta às pessoas idosas. São submetidas a ficarem em longas filas para serem atendidas. E então não é melhor construir mais hospitais e investir na formação de mais médicos?
    Outra coisa, não acredite nestes pseudos-intelectuais que andam por aí ensinando crianças a bater tambor.
    Bater tambor faz parte do nosso folclore assim como o Saci-Pererê. Bater tambor está mais para o folclore do que para a verdadeira arte da música. A batida de tambor não tem a beleza sonora de um piano.
    Responda-me: Uma pessoa rica e culta põe seu filho (a) para aprender a tocar piano ou a bater tambor?
    Aplaudam quem coloca uma criança na sala de aula e lhes ensine qual a importância da cultura grega para o mundo ocidental e não a importância do namoro do Ronaldo com a Cicarelli,
    ensine-lhe qual a importância de uma Constituição para uma nação e não a importância da gravidez da Xuxa.
    Faça desta criança um futuro cidadão politizado para que ele não vote nestes políticos que são comprometidos com os grandes empresários e suas empresas que financiam suas milionárias campanhas.
    Estes mesmos políticos que sempre votam contra os interesses dos trabalhadores e do povo em geral, que são os menos favorecidos”.

    VAMOS BRIGAR PELA QUESTÃO SOCIAL DESTE PAÍS.

    Obs.: Escrevi este texto em 2005 e neste ano de 2013 reescrevi o mesmo acrescentando-lhe um pouco mais de
    informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *