Lobão fala e assusta o mundo mineral

Infelizmente essa não é uma história do Chapeuzinho Vermelho, é sobre a triste realidade Brasileira. Foi publicada no site do Ibram uma reportagem onde o Ministro Lobão afirma que as jazidas para ser liberadas serão, também, licitadas.

Que o Ministro nos perdoe, mas se essa notícia é verdadeira, estaremos em presença de uma das maiores aberrações jurídicas da história do Brasil. Um processo que irá nos colocar na idade da pedra da mineração.

Traduzindo em miúdos o Ministro quer dizer que aquela empresa que investiu tempo e dinheiro, por vários anos, em vários projetos de exploração mineral, com contratos e o aval do Governo, agora que finalmente descobriu e viabilizou um depósito econômico, irá ter o resultado de seu esforço e investimento de anos confiscado?

Recusamo-nos a acreditar nessa hipótese! Será que o direito adquirido, os contratos, a lei não tem mais valor nesse país? Como a empresa, que vê o fruto do seu trabalho confiscado, irá explicar aos milhares de investidores que compraram as suas ações, por anos, influenciados pelas notícias positivas do projeto, sempre à espera da mina que subitamente não mais virá?

Será que o Governo ao confiscar o ativo mineral irá pagar esses investimentos e prejuízos, talvez incalculáveis? Essas empresas públicas que tiverem os seus projetos confiscados poderão ser processadas pelos seus próprios acionistas e investidores e perder em dobro.

E aquelas empresas que ainda estão pesquisando em seus alvarás? Será que serão loucas o suficiente para continuar investindo para depois ter os seus bens confiscados e vendidos em leilão?

Ninguém em sã consciência irá investir em um país que desrespeita os direitos adquiridos e contratos legais. Nesta situação o pior que pode acontecer é a descoberta de um minério econômico… que tragédia.

Simplesmente não podemos acreditar nessa hipótese!!!

(Publicado no site geologo.com.br)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *