Lula atuou para comprar o silêncio de Cerveró, diz a denúncia de Janot

Deu no G1

O Jornal Nacional teve acesso à íntegra da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de obstrução à Justiça no caso da Operação Lava Jato, ao comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, com depósitos mensais de R$ 50 mil. A PGR partiu das delações do senador cassado Delcidio do Amaral (sem partido-MS) e de seu chefe de gabinete, Diogo Ferreira, para buscar provas materiais, como extratos bancários, telefônicos, passagens aéreas e diárias de hotéis.

A conclusão da denúncia do  procurador-geral Rodrigo Janto é de que eles se juntaram ao ex-presidente Lula; a José Carlos Bumlai, pecuarista e amigo do ex-presidente; ao filho de Bumlai, Mauricio Bumlai, e atuaram para comprar por R$ 250 mil o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

PRIMEIRO PAGAMENTO

Segundo a denúncia, o primeiro pagamento, de R$ 50 mil, foi feito por Delcidio em maio do ano passado. Ele teria recebido o dinheiro de Mauricio Bumlai num almoço. A quebra de sigilo mostra que Mauricio Bumlai fez dois saques de R$ 25 mil dias antes.

A operação, de acordo com a PGR, foi feita numa agencia bancaria da Rua Tutóia, em São Paulo, onde teria ocorrido o repasse dos valores a Delcídio do Amaral.

A denúncia diz que Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete de Delcidio, fez os pagamentos que restavam em outras quatro datas entre junho e setembro do ano passado, sempre recebendo o dinheiro sacado por Bumlai na agência da Rua Tutóia, conforme os extratos bancários.

PARTICIPAÇÃO DE LULA

A denúncia detalha a participação de Lula no planejamento desses repasses. A Lava Jato quebrou o sigilo de e-mails do Instituto Lula e apontou que Lula se reuniu com Delcídio cinco vezes entre abril e agosto do ano passado, ou seja, antes e durante as tratativas e os pagamentos pelo silêncio de Nestor Cerveró.

Uma das reuniões foi no Instituto Lula, em 8 de maio, dias antes de Delcidio fazer o primeiro pagamento, segundo a denúncia. Delcidio afirmou em delação premiada que, no encontro, o ex-presidente expressou grande preocupação de que José Carlos Bumlai pudesse ser preso por causa de delações na Lava Jato e que Bumlai precisava ser ajudado.

Segundo Delcidio, o motivo para a intervenção na delação de Cerveró era evitar que viessem à tona fatos supostamente ilícitos envolvendo ele mesmo, José Carlos Bumlai e Lula.

LULA E BUMLAI

A PGR também aponta como provas telefonemas entre Lula e José Carlos Bumlai, como em 7 de abril, um mês antes dos pagamentos, quando Lula e Bumlai se falaram quatro vezes. Em 23 de maio – um dia depois do primeiro pagamento – Lula ligou para José Carlos Bumlai. Conversaram duas vezes nesse dia.

No final da denúncia, a procuradoria conclui que Lula “impediu e/ou embaraçou investigação criminal que envolve organização criminosa , ocupando  papel central , determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Bumlai” e pede a condenação dos denunciados por obstrução da Justiça.

VERSÕES DOS ACUSADOS

Em nota, o Instituto Lula declarou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já esclareceu em depoimento prestado à Procuradoria Geral da República que jamais conversou com o ex-senador Delcídio do Amaral com o objetivo de interferir na conduta do condenado Nestor Cerveró ou em qualquer outro assunto relativo à Operação Lava Jato.

A defesa de José Carlos Bumlai negou as acusações e afirmou que ele nunca pagou qualquer valor a Cerveró. A defesa declarou que o ex-senador Delcídio do Amaral está vendendo informações falsas em troca de sua liberdade. Os advogados de Maurício Bumlai informaram que só comentarão o caso depois de terem acesso à denúncia inteira.

A defesa de Diogo Ferreira confirmou os pagamentos, mas disse que foram feitos a mando do ex-senador Delcídio do Amaral. O advogado de Edson Ribeiro declarou que seu cliente sequer conhece Lula e Bumlai e voltou a afirmar que Ribeiro jamais participou de qualquer ato de obstrução à Justiça.

A defesa de André Esteves declarou que seu cliente não cometeu nenhuma irregularidade.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGFica confirmada a informação publicada pela Tribuna da Internet, de que o juiz Sérgio Moro já dispõe de provas para decretar a prisão preventiva de Lula. (C.N.)

13 thoughts on “Lula atuou para comprar o silêncio de Cerveró, diz a denúncia de Janot

  1. Prezados,

    Não consigo entender certas coisas:

    Os ministros que tomaram posse já foram exonerados no DOU.

    O Lula que não tomou posse continua na prática com foro privilegiado uma vez que o Teori não devolve os autos para Curitiba.

    Nesse meio tempo, falando de tanta compra de silêncio, pergunto porque o Mercadante ainda não foi preso?

    Um Forte Abraço,

  2. “O advogado de Edson Ribeiro declarou que seu cliente sequer conhece lula e Bumlai”.
    Ai o “causídico” tem que ser preso junto com o cliente, isso já gozação com a justiça.

  3. Pois é . O que é do Lula está guardado. Ninguém tasca.
    Tenho lido que a dosimetria de José Dirceu – os tais 23 anos de prisão – teria sido exagerada . Acontece que Dirceu foi condenado por 3 crimes : corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa Tem mais. Se o prisioneiro tiver bom comportamento, trabalhar na prisão , ler 1 livro por semana e escrever -lhes as resenhas , não passará nem 1 /6 da pena na prisão.
    A pergunta é: de quantos crimes Lula , ao fim e ao cabo , será acusado?
    Chama a atenção na sentença contra o homem que ” não era da confiança de Lula ” o fato do juiz Moro não ter lhe carimbado o antigo papel de boi de piranha que tentaram dar a Dirceu no mensalão, ou seja, a chefia da organização criminosa que se instalou na Petrobrás. Em vez , o juiz entendeu que Dirceu apenas coordenava a ação dos demais políticos comedores de bola, “não estando claro de quem era a liderança” , negando-lhe a função de “comandante do grupo criminoso, pelo menos considerando-o em toda a sua integralidade (empresários, intermediários, agentes públicos e políticos)”.
    Inclusive não foi aplicada por Moro à sentença , a agravante prevista em lei para o cabeça da facção.Lula , todos nós sabemos, não perderá o título de Chefe da Quadrilha, nem os anos extras
    de detenção correspondentes ao capo di capi.
    Considerando ainda que o juiz decretou o confisco de R$ 46,4 milhões depositados em euros em contas do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, do imóvel onde funcionou empresa JD Assessoria, da casa no município de Passa Quatro, em Minas, onde reside a mãe do condenado petista, de um apartamento em nome de uma das filhas de Dirceu, no bairro da Saúde em São Paulo, e de uma chácara em Vinhedo que não está em nome de Dirceu , mas foi reformada com valores provenientes da lambança , aí então, fundamentados na lógica , podemos pressupor que poderão sofrer confisco futuro, a sede do Instituto Lula, aquele segundo apartamento mal explicado no prédio em São Bernardo, o triplex e o sítio em Atibaia , também reformados com dinheiro contaminado e é claro, os pedalinhos.
    É bem capaz do ex-ministro Lula perder até mesmo aquela milionária previdência privada.

    • Moacir,
      O Dirceu deve passar mais de um sexto da pena atrás das grades – ele não é mais réu primário, depois da condenação no Mensalão ele é considerado reincidente, e a coisa aí complica um pouco.
      Por isso ele está tão desesperado de receber uma pena dessas já com mais de setenta anos de idade.

  4. Gostaria muito de que viessem à tona os verdadeiros motivos pelos quais o Teori mantém, na prática, a prerrogativa de foro para o ladravaz, permitindo assim que ele ainda permaneça livre, leve e solto para delinquir. É, tem muito caroço nesse angu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *