Lula e as crianças que naufragaram na viagem para o futuro

Dez anos depois, nada mudou para estas crianças brasileiras

Cristovam Buarque
O Globo

No dia 11-02-2005, o helicóptero do presidente Lula desceu na comunidade de Canaã, no agreste pernambucano, ao lado da cidade de Toritama; o presidente caminhou até um grupo de crianças e agachou-se em frente a elas. Um fotógrafo captou a cena, e a foto foi publicada nos jornais. Ao vê-la, decidi visitar as crianças e, com base no que observei, escrevi uma carta ao presidente, sob o título “Estas crianças têm nome — como dar-lhes um futuro?”.

Descrevi a realidade onde elas viviam, especialmente a escola onde estudavam, reconheci que o presidente ainda não era o culpado daquele triste cenário de penúria educacional e pobreza social, mas que seria o responsável se, dez anos depois, o quadro se mantivesse; na carta sugeri dez medidas para mudar aquela realidade, seguindo as linhas do projeto que tentei executar ao longo de 2003, quando fui ministro da Educação.

DEZ ANOS DEPOIS

Na semana passada voltei ao local e vi a tragédia resultante de dez anos de abandono da educação e falta de políticas públicas consistentes para a emancipação dos pobres.

A menina — na foto está bem em frente ao presidente — de nome Taciana, então com 6 anos, deixou a escola aos 14, engravidou aos 15 e aos 16 tem um filho com 1 ano e dois meses, chamado Angelo Miguel. Seu irmão, conhecido como Cambiteiro, estava no grupo, mas não quis aparecer na foto. Fora da escola antes dos 15 anos, tornou-se vigilante informal nas pobres ruas de Canaã, até ser assassinado.

O menino chamado Rubinho, então com 7 anos, para quem o presidente Lula parecia olhar, deixou a escola antes da quinta série e, aos 17, tem um filho de nome Natan Rafael. Seu irmão Diego, que não aparece na foto por ser então muito pequeno, hoje com 15 anos, já esteve preso; na cadeia foi jurado de morte pelos presos, esfaqueado, fugiu do hospital e desapareceu. Jailson, o que ri para o presidente, e Josivan, na ponta direita da foto, deixaram a escola antes de terminar a quarta série. Jaques, então com 9 anos, deixou a escola com 13; o menino conhecido como Nego, então com 8 anos, não estudou e tem hoje dois filhos.

NADA MUDOU

Nesses dez anos, a vida daquelas crianças tornou-se uma monótona repetição de fatos e fracassos: todas deixaram a escola antes de concluir o ensino fundamental, fazem parte do exército de analfabetos funcionais que ocupa o país; todas foram trabalhar ao redor dos 15 anos, em trabalhos informais sem qualificação; tiveram filhos ainda na adolescência; nenhuma teve o futuro a que tinha direito ao nascer.

Toritama é um Mediterrâneo onde aquelas crianças naufragaram na viagem para o futuro, diante dos olhos do presidente Lula e de todos nós.

Dez anos depois carreguei nos braços Angelo Miguel, filho da Taciana, e me veio o triste sentimento de ver nele a repetição do mesmo histórico círculo vicioso que gira passando de pais para filhos, sem mudar o rumo do destino. E seria tão fácil, se garantíssemos escola com qualidade para todos de uma geração, como aquela de Canaã, dez anos atrás. Sem isto, agora é a vez de Angelo.

(artigo enviado pelos comentaristas Mário Assis e Celso Serra)

14 thoughts on “Lula e as crianças que naufragaram na viagem para o futuro

  1. É preciso dar educação, a estas crianças, e a matéria básica deve ser ensinar como usar camisinha e o SUS deveria dar ligadura de trompas gratuita para mãe que já tiver 2 filhos, com uma cesta básica de prêmio durante um ano para a mulher que fizer.

  2. Não entendo o espanto das pessoas! Até parece que essa cena é alguma novidade, deveriam ler O Quinze de Graciliano Ramos. Como esta escrito mo Estádio Centenário do Chile: “Um Povo sem memória é um povo sem futuro.” Enfim a selinidade de um modo geral é uma constante em nosso país. Eu, de minha parte procuro fugir dela o mais que puder.

  3. Não entendo o espanto das pessoas! Até parece que essa cena é alguma novidade, deveriam ler O Quinze de Graciliano Ramos. Como esta escrito mo Estádio Centenário do Chile: “Um Povo sem memória é um povo sem futuro.” Enfim, a selinidade de um modo geral é uma constante em nosso país. Eu, de minha parte procuro fugir dela o mais que puder.

  4. Inegavelmente a foto infeliz compromete Lula, e deixa transparecer a divisão estabelecida pelo próprio governo com relação aos pobres, decantados em prosa e verso como objetivos petista em programas sociais para que diminuíssem essas diferenças tão gritantes.
    Pois o meu amigo e professor Antônio Rocha foi extremamente sensível em identificar esta imagem, escrevendo:
    ” de um lado políticos endinheirados; de outro crianças do Brasil. No meio, a cerca do “apartheid” social.”
    Dito isso, a mim só resta reverenciar o mestre Rocha, e afirmar que esta foto espelha com plena nitidez as mentiras do PT, a exploração do pobre, o uso despudorado de pessoas humildes e que continuam sem futuro e esperança que consigam mediante seus próprios esforços um lugar ao sol, e não rente a cercas odiosas, que impede o cidadão de chegar perto, pelo menos, de nossas “autoridades e líderes”, essas impassíveis e insensíveis com relação à miséria que alimentam e a fazem crescer mediante apenas auxílios mensais, e não incentivando o brasileiro humilde com trabalho e estudo.

  5. Lula ficou deslumbrado com as delícias nababesca do poder, viajando
    mundo afora bem acompanhado. Que maravilha viver!
    O Lula estava e está cagando para o povo e o país seu único objetivo é se manter no poder e o enriquecimento dele e da companheirada como demonstrado durante esse 13 anos de poder do PT.
    Todas as sua promessas foram falsas. O que o Cristovam Buarque mostra é uma pequena amostra
    que acontece em todo interior do país.

  6. Estamos sem lideranças, e o PT que era uma esperança, passou a ser uma mentira. São incompetentes estes sindicalistas no poder, veja o que fizeram com a Petrobras, o que estão fazendo com o Brasil. Triste tudo isto!

  7. Já que o assunto é escola, volto ao tópico do fechamento de escolas na Bahia, estado onde o Jaques Wagner governou e mandou o que quis e não quis. Desde o primeiro mandato do Wagner que a educação vem sendo massacrada, agora com o seu sucessor o Rui Costa, a coisa está bem pior, uma vez que estão fechando escolas de maneira arbitrária, em Feira de Santana, maior município baiano, foram várias as escolas fechadas, a justificativa é a falta de alunos.
    Como é a metodologia deles: primeiro põem uma diretora que vai por os pregos no caixão da escola, ou seja, a tal “gestora” pede para encerrar algumas turmas do noturno, onde estudam os mais carentes e jovens, que por necessidade de trabalho só lhes resta esta opção de cursar o turno noturno na modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos). O EJA é a vítima, pois é o refúgio dos mais necessitados de instrução, pois estão tentando trabalhar e estudar, com a crise tudo piorou, mas voltando ao caso, depois de encerrar as atividades de algumas turmas, que concentram a maioria dos alunos, como o os 1º, 2º e 3º anos do ensino médio, a clientela cai, e assim leva o EJA junto, uma vez que pela própria estrutura do “curso” permite que os alunos não sejam forçados a cumprirem uma carga horária das disciplinas normais, isso posto, o número de alunos fica abaixo de 100, então vem a DIREC, agora NRE (Núcleo Regional de Educação) e dá a sentença final.
    Digo isso porque é o que está acontecendo na unidade escolar onde trabalho, o Colégio Estadual Eraldo Tinoco de Melo NRE 19 (Feira de Santana) que a diretora começou a pregar as tábuas do esquife do dito educandário, os professores do turno noturno fizeram campanha, no rádio, foram às casas dos alunos e ex alunos, quando tudo parecia caminhar para uma revitalização a diretora boicota o nosso trabalho, se negando a matricular os alunos e com isso o número permanece abaixo do que o NRE exige, e eis que aparece o diretor de entidade suja e sem mais delongas põe fim ao turno noturno, de forma irresponsável, alegando que o Estado tem muitas despesas e não pode pagar professores para ministrar aulas a poucos alunos. Todas as tentativas de registrar queixa contra as arbitrariedades são barradas pelo diretor do Núcleo, que segue na podridão da política corrupta. Para ele é só menos gasto para o governo baiano, enquanto isso a escola segue mambembe com uma diretora centralizadora que sequer faz as prestações de contas, que no momento está sem oferecer merenda escolar para os alunos, e que quando tem é pipoca e água, que os alunos ironizam ao dizer que água sabor suco de uva e pipoca sabor sanduíche.
    Aquela imagem do Lula com as criancinhas sem futuro me lembra o Adolf Hitler visitando um campo de extermínio com crianças judias, só que o nosso Hitler tem sido mais eficiente que o Hitler alemão, aqui ele mata de inanição, mata de ignorância, mata lenta e silenciosamente, de forma que as ovelhas sequer percebem que estão sendo exterminadas. O governo da Bahia e seu séquito de diretores de Núcleos de Educação são os arautos desse extermínio social.

  8. O que me impressionou foi a grosseria, primarismo, e ignorância dos comentários, com a exceção de três ou quatro. O seu Luiz Antônio atribui a Graciliano Ramos o romance O Quinze, que é de Rachel de Queiroz. Além disso se refere a uma tal de “selinidade(sic)”, mal constante no nosso país, do qual ele foge como o diabo da cruz. Não satisfeito, repete o comentário. O grosseirão Fred SP se refere a Lula como o “9dedos”. Néllio Jacob usa palavra chula. Pedro Rios e Armando apenas deblateram, e insultam. Realmente é preciso apurar a Educação. Esses senhores demonstram que não é suficiente saber ler e escrever.

Deixe um comentário para juarez Decarli Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *