Lula está curado, mas Haddad ainda precisa de respiração artificial, digamos assim.

Carlos Newton

Em São Paulo, o candidato petista Fernando Haddad saiu da profunda depressão em que se encontrava e teve um alento em sua candidatura a prefeito de São Paulo, porque o médico cardiologista que cuida da saúde de Lula, Roberto Kalil, afirmou que os exames realizados segunda-feira apontaram quadro de normalidade e, assim, o ex-presidente está “totalmente liberado para tudo o que quiser”.

“Ele pode, se ele quiser, ficar falando por 24 horas”, exagerou Kalil, ao liberar Lula para fazer campanha pelos candidatos do PT a prefeituras de todo o país.

“A partir deste momento, está completamente liberado, não existe recomendação, mas com bom senso. Está liberado para uma vida normal”, completou o médico cardiologista, na entrevista à imprensa, dizendo que o inchaço no pescoço do ex-presidente, do qual ele tanto se queixa, é ainda reflexo da quimioterapia e deve continuar por mais dois ou três meses.

Na verdade, Lula ainda tem problemas de locomoção e dificuldades para falar, mas a recuperação continua e o câncer teve remissão. Pode participar das campanhas, mas com certa prudência, sem exageros.

Quem inspira mais cuidados é a candidatura de Fernando Haddad, que ainda está na UTI, porque estacionou nas pesquisas com apenas 6 pontos. Por isso, Haddad admitiu ontem que aguardava “ansiosamente” a liberação médica do ex-presidente Lula para atuar em sua campanha.

“Estávamos todos rezando para que esse dia chegasse logo”, afirmou o petista, durante caminhada na Cidade Tiradentes (zona leste de São Paulo), confirmando que Lula vai gravar para o programa eleitoral pela primeira vez nesta quarta-feira.

O problema de Haddad é que o ex-presidente não pode ficar à disposição do candidato paulistano, porque também tem de atuar em outras campanhas do partido pelo país. Eis a questão shakesperiana, que também afeta Haddad, na dúvida do ser ou não ser (eleito).

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *