Lula já era financiado e defendia interesses da Odebrecht desde os anos 70

Resultado de imagem para EMILIO E LULA

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Catarina Alencastro, Carolina Brígido e Letícia Fernandes
O Globo

Próximo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva há mais de trinta anos, o empresário Emílio Odebrecht relatou, em seu depoimento de delação premiada, como o ex-sindicalista que se tornou presidente da República ajudou, durante décadas, a empreiteira que leva seu sobrenome. Emílio conheceu Lula no fim da década de 1970, apresentado por Mário Covas, já falecido. Na época, o empresário enfrentava uma greve geral no Polo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, e precisava de ajuda para aplacar os ânimos de seus funcionários. “Ele (Lula) criou as condições para que eu pudesse ter uma relação diferenciada com os sindicatos”, relata Emílio.

Rapidamente, a relação entre os dois se fortaleceu. Emílio diz que ficou impressionado com o petista: “Ele pega as coisas rápido. Ele percebe aquilo que tem a ver com intuição pura. É um animal político, um animal intuitivo”, diz o empresário.

CONSELHOS E DINHEIRO – E conta que sempre “apoiou Lula”, com conselhos e financeiramente. Um dos pontos em que o empreiteiro teria ajudado a orientar a visão de mundo do petista foi na confecção da famosa “Carta ao Povo Brasileiro”, o documento divulgado durante a campanha de 2002 por Lula para serenar os ânimos do mercado financeiro em relação a sua possível eleição.

Emílio diz que a Odebrecht contribuiu para todas as campanhas de Lula, mas que o petista nunca tratou de valores. Por outro lado, quando Lula finalmente virou presidente, qualquer que fosse o problema enfrentado pela empresa, Emílio ia até o Palácio do Planalto pedir a intervenção do chefe da República. E era quase sempre atendido.

Em alguns casos, Emílio precisou transpor obstáculos colocados pela ex-presidente Dilma Rousseff, quando ministra de Minas e Energia e depois da Casa Civil, e Lula deliberou pelo menos em uma ocasião em prol do amigo. Emílio só chamava Lula de “chefe”, mas parece se gabar de, apesar da proximidade, nunca ter tido relação íntima, ou ter frequentado a casa do petista:

NA CASA DE LULA – “Só estive uma vez no apartamento de Lula quando era sindicalista. E foi a melhor coisa que eu fiz. Pra ele e pra mim. A nossa relação, eu sou muito transparente. Eu gosto do Lula, confio nele, valorizo ele”, conta.

Uma preocupação grande de Emílio era quanto à possibilidade de “reestatização” da Petrobras. Um dia, quando já era real a chance de Lula se eleger, o empreiteiro procurou o petista e ele garantiu que não estatizaria o setor petroquímico. O empresário relembra uma conversa com o general Golbery Couto e Silva sobre Lula para dar sua visão sobre o ex-presidente:

“‘Emílio, Lula não tem nada de esquerda. Ele é um ‘bon vivant’ (teria dito o general). E é verdade. Ele gosta da vida boa, gosta de uma cachacinha, gosta de fazer as coisas e gosta de ver os outros, efetivamente, a coisa que ele mais quer é ver a população carente sem prejuízo, essa que é a versão mais correta, sem prejuízo de quem tem. Não é aquele negócio de tirar de um pra dar pro outro. Essa é a minha visão, por isso teve um alinhamento muito grande”.

LIBERDADE TOTAL – Com Lula instalado no Planalto, Emílio tinha a liberdade de ir até o presidente e reivindicar que negócios feitos pela Petrobras em prejuízo da Braskem (braço da Odebrecht) fossem desfeitos, o que acabou acontecendo. Em outro momento, foi a Lula impedir que a Petrobras comprasse os ativos da Petroquímica Ipiranga, o que detonaria os planos da subsidiária da Odebrecht de espraiar seus mercados.

“Como negócio, seria um desastre”, resume Emílio aos procuradores. Dois anos depois de conseguir impedir o negócio, a própria Braskem comprou a Petroquímica Ipiranga.

LICENÇA AMBIENTAL – Mais adiante, já no segundo mandato de Lula, em 2007, Emílio precisou dele devido a um problema na hidrelétrica de Santo Antônio, no rio Madeira, obra tocada pela Odebrecth. Uma das licenças ambientais que deveriam ser dadas ao empreendimento pelo Ibama estava travada por conta da reprodução dos bagres, que ocorria justamente no local previsto para a barragem.

“Eu disse: ‘O país precisa de energia e vai ser paralisado por causa do bagre? O senhor precisa tomar uma decisão’. Ele perguntou se eu já tinha falado com a ministra Dilma eu disse que sim, mas que era inócuo. ‘O senhor já deve ter percebido que eu não tenho simpatia por ela, que é muito dona da verdade. É uma pessimista em tudo’”, relatou Emílio ao procurador, revelando que não estendeu a relação que mantinha com Lula à sua sucessora.

MARINA DE FORA – Lula encampou a tese da empreiteira e transformou o episódio do bagre em uma referência frequente em seus discursos sobre como havia demora excessiva na concessão de licenças ambientais. O caso marcou o enfraquecimento da então ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que acabou deixando o governo.

As ajudas de Lula a Emílio foram recompensadas não apenas com as doações, que Emílio garantiu que ocorreram por meio de caixa um e caixa dois:

“Fique certo: Lula não conversava comigo sobre isso, sobre os valores. Mas quero deixar uma coisa muito clara. Eu quando falava com (Pedro) Novis (presidente da Odebrecht antes de Marcelo Odebrecht assumir) e com Marcelo eu não dava a opção de dar ou não dar. Eu dizia: negociem, mas é para dar”.

SÍTIO DE ATIBAIA – Já no fim de 2010, quando Lula estava se despedindo da Presidência, Emílio relatou que o executivo da Odebrecht Alexandrino Alencar, que o ajudava a fazer a interface com Lula, contou que a ex-primeira-dama Marisa Letícia pediu um favor: que o empreiteiro ajudasse a concluir as obras do sítio de Atibaia para fazer uma surpresa ao presidente assim que seu período no comando do governo terminasse.

O empreiteiro explicou aos procuradores a sofisticada logística montada para executar a missão, tirando gente de várias obras da Odebrecht, mas sem que a empresa parecesse envolvida institucionalmente na empreitada. Ao todo, disse, a reforma custou mais de R$ 700 mil. Mas nem Lula nem Dona Marisa procuraram saber esse valor.

“Ele (Alexandrino) me falou isso em outubro e se eu não me engano no penúltimo dia do ano, dia 30, eu estive com ele (Lula) no Palácio do Planalto e eu disse: ‘Olha, chefe, o senhor vai ter uma surpresa e nós vamos garantir o cumprimento do prazo naquele programa do sítio’. Ele não fez nenhum comentário, mas também não botou nenhuma surpResa, coisa que eu entendi não ser mais surpresa. Quando foi que ele soube eu não sei. Por quem que ele soube, não sei. Por mim não foi”, explicou.

PALESTRAS SOB MEDIDA – Emílio Odebrecht também disse que a empresa dele financiava palestras do ex-presidente Lula em países africanos para que a imagem da Odebrecht ficasse atrelada ao carisma do petista, como forma de impulsionar os negócios. Segundo Emílio, a empreiteira custeava o transporte, em aviões fretados, hospedagem e demais gastos do ex-presidente durante esses eventos.

Os honorários era o próprio presidente quem definia: variavam entre US$ 150 mil e US$ 200 mil por palestra. Em troca, a empreiteira pegava carona na imagem de Lula e estampava seu logotipo nos eventos dos quais ele participava. O empreiteiro contou que apresentou Lula à elite e às autoridades africanas — e, a partir disso, passou a financiar as palestras que o petista fazia.

“Quem introduziu o Lula fomos nós, em todos os países (da África) que nós levamos ele.”

INSTITUTO LULA – Emílio também disse que comprou um terreno em São Paulo, por meio de uma empresa de um laranja, para Lula instalar uma nova sede de seu instituto.

No fim, o petista quis manter a sede onde ela já estava instalada, e o dono da Odebrecht vendeu o terreno.

O empresário falou também sobre muitos outros assuntos, inclusive o apoio financeiro da Odebrecht a Taiguara Rodrigues, sobrinho de Lula.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A delação confirma fatos importantes e já sabidos desde os anos 70, como Antonio Santos Aquino tem denunciado há anos aqui na “Tribuna da Internet”. 1) Emílio sabia que Lula não é de esquerda, mas mostrou desconhecer que o sindicalista foi instruído nos EUA; 2) No entanto, o empresário sabia tudo sobre a proteção do regime militar a Lula, através do ministro Golbery;  3) Ficou claro também que a Odebrecht financiava Lula desde os tempos de sindicalista, e depois ele retribuiu defendendo os interesses da empresa, até negociando aprovação de medidas provisórias, o que é o mais grave ato de corrupção possível e imaginável, e nunca antes, na História deste país, se tinha visto nada igual. (C.N.)

37 thoughts on “Lula já era financiado e defendia interesses da Odebrecht desde os anos 70

  1. Embora os fatos antigos já sabidos pelos mais bem informados, cai como boa comprovação de tudo o que sempre foi dado como boato para o entendimento da maioria. Emílio “Oh! Brecha” escancara a relação incestuosa com Lula, desde o início, quando cooptou-o para segurar a greve e, finalmente, admite que já detinha um perfil daquele com quem podia negociar desavergonhadamente. No parágrafo do texto da reportagem onde ele resgata a informação que lhe foi passada pelo Golbery, está a comprovação disto. Agora, quanto a Lula, ele é ou não é o NAPOLEÃO, de “A Revolução dos Bichos”?

  2. Lendo, ainda, o paragrafo LICENÇA AMBIENTAL, interrompo para comentar o que fica cada vez mais claro:

    O PT DE DILMA E LULA ‘MERGULHOU’ O AVIÃO DE EDUARDO CAMPOS.

  3. 1) Convenhamos, como já foi dito várias vezes.

    2) O ex-presidente citado é um grande ator social.

    3) Ligado à Matriz, desde os anos 70, merece um Oscar !

    4) Por isso Obama reconheceu: “Esse é o cara”… que joga no nosso time.

    • Sr. Rocha, o LulaMolusco e o Sociólogo de Araque fizeram parte do Consenso de Uóschinton……
      São dois entreguistas traidores da Pátria e dois Filhos da Pátria….

      • “Esse é o cara”

        E que se deu e se dá dando bem é a Banca , Nacional e Internacional….
        Que o diga os juros de mais de 700% daquele banquinho de cinco esquinas….

  4. Todos sabiam que não é de hoje que Lula tem afinidade com a Odebrecht, principalmente a compra do apartamento de São Bernardo dos Campos, Lula era presidente do PT e todas as prefeituras do PT tinham obras da Odebrecht, mas o que mais me indignou, foi ver o sr. Emílio Odebrecht rindo, falando da “BOCA LARGA DO PT”, o sr. Emílio Odebrecht estava diante de um procurador, falando da sua conduta, era um criminoso, mas achava graça, ou seja, sabe em que país vive e que a IMPUNIDADE é praxe neste país.
    O único que ria das suas falcatruas, a qual se pratica a 30 anos, mas o MPF, PF e receita federal, nunca descobriram, é muito estranho, só agora com mais seriedade da coisa pública é que veio a tona, fico pensando o que os poderes ganharam para acobertar toda esta lama durante todos esses anos, o povo era roubado escancaradamente, penso o país seria melhor se tivessem uma fiscalização mais séria, o enriquecimento de políticos não é de hoje, basta ver como vivem a maioria destes políticos, magistrados, ministros, etc…

  5. Presidente cachaceiro espúrio, Lula fez um estrago abismal…

    Não há ninguém lícito no quadro politico licito para assumir a presidência….

    Sobrou ao Povo Brasileiro fazer valer nossa Constituição

    “Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

    I – a soberania;
    II – a cidadania;
    III – a dignidade da pessoa humana;
    IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
    V – o pluralismo político.

    Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

    • “Eu proporia que se substituíssem todos os capítulos da Constituição por: Artigo Único – Todo brasileiro fica obrigado a ter vergonha na cara.”
      ― Capistrano de Abreu

  6. O vídeo que este verme gravou ontem, nos faz lembrar que o ser humano, é realmente o pior dos seres.

    Tenho vergonha de pisar o mesmo solo, que o deste traidor dos trabalhadores, e por fim da pátria.

    Merecia ser fuzilado em praça pública.

    Sapo Maldito!

  7. Numa das eleições, em que Brizola e Lula estavam disputando, os dois, por acaso encontraram-se num aeroporto, cumprimentaram-se e Lula partiu em um jatinho particular. Logo após esse encontro Brizola deu uma entrevista e disse: ele, ( referindo-se ao PT) dizem que são uns pobrezinhos, mas enquanto eu viajo pelo Brasil para fazer campanha em aviões de carreira o Lula viaja de jatinho particular.A verdade é que a elite sabia quem era o verdadeiro Lula, que não tinha nada de esquerda era um bon vivant, como disse o Golbery do Couto e Silva.

    • Nélio Jacob, a elite queria Lula, pois sabia que Brizola não daria mole para esta corja, enquanto tiver reeleição neste país, sempre haverá corrupção, é preciso mudar o sitema político, caso contrário teremos sempre o político profissional, nunca vai querer se aposentar pelo INSS.

  8. Hoje aceitamos e incentivamos estrangeiros a investir em aeroportos, estradas, terras, etc. Em verdade, investimentos que não trazem além do dinheiro nenhuma tecnologia nova. Entretanto, ontem exportávamos dinheiro do BNDES a baixo custo para beneficiar construtoras corruptas. Foram bilhões jogados no ralo.
    Precisamos manter em mente o significado do roubo e as suas consequências nefastas para o povo. Se houvesse forca, os culpados não mereceriam pena menor.

  9. Faz dias que enumeramos tantos crimes praticados pelos parlamentares e governantes, que perdemos a conta.

    Pois neste furacão em escala 5, devastador, apocalíptico, querem ainda me dizer que encontraremos as soluções para a terra arrasada que nos encontramos?!

    Precisamos recomeçar o Brasil.

    Temos de iniciar do zero.

    E somente afastando os verdadeiros inimigos do povo, nossos exploradores, os ladrões do erário e da população, para lograrmos êxito nesta empreitada.

    Legislativo fechado e intervenção no Planalto!

    Basta de golpes contra o cidadão e o Brasil!

    Basta de golpes do Congresso!

    Basta de golpes da presidência do País!

    Baste de golpes contra a legítima democracia!

  10. Do ponto de vista político, se isso não é alta traição para com as esquerdas, o que seria? Mesmo sabendo de tudo isso, denunciado há tempos, outros líderes de esquerda aceitam a liderança de lula. Volta a pergunta: alta traição destes tbém ou apenas escassez de inteligência?

    • A esquerda, Tarcísio, é igual à direita. Tem torcedores fanáticos, e o fanatismo chega a tal ponto que se tornam irracionais. É uma pena, seria importante que caminhássemos para um consenso, em defesa do que interessa ao Brasil e a seu povo.

      Abs.

      CN

      • Sim, CN. Concordo plenamente. Mas para aqueles – como e -, que sempre acreditaram que a esquerda fosse diferente, e no discurso era, a sensação de traição é enorme. Tbém é lógico que a decepção se volte para seus líderes e não aos que acreditaram neles.

  11. Todos ficam escandalizados com os fatos narrados por Odebrecht, mas não conseguem apontar uma única vantagem indevida recebida por Lula, não consegue apontar um único episódio em que Lula pede dinheiro, não conseguem dar materialidade a um único crime que Lula teria cometido. Ate o próprio Emílio Odebrecht reconhece que Lula nunca tratou de valores.

  12. Esta história de esquerda/direita começou la na França, onde a turma da “boquinha” sentava a esquerda e o pessoal que pegava no pesado, sentava a direita. na assembléia do povo.
    Continuou pelos dois séculos seguinte, mas não mudou a forma, até hoje é assim, os da esquerda querem dividir o que não produzem e como o lula, o desejo é se dar bem na vida com o menor esforço possível.
    Líder sindical envolvido até a medula com o grosso de empresariado, isto é, PELEGO DE LUXO.
    Agora já anda rouco, mais do que o normal, de tanto gritar que é inocente, num contexto que nem o mais fanático ou crédulo petista acredita mais.
    Escancarou de vez, não só o trambique petista, mas da política em geral, ao ponto do delator mor, o Marcelo Odebrecht dizer que nunca viu político se eleger honestamente. É o fim do mundo.
    A propósito do “fim do mundo” quando a rebordosa atinge o PT, logo é taxada de FIM DO MUNDO.
    Já houve a CPI do fim do mundo, que envolvia petistas e agora a delação do fim do mundo, que parece ser CLÍNICA GERAL, pois esta a operar
    todo o mundo político.
    Vejam que interessante, o Paulo Maluf, nem é citado, sera caso de regeneração, ou seria por fadiga do material,?
    Certamente depois do dilúvio da Odebrechet, o Brasil não sera mais o mesmo, entrando em foco a máxima do Luiz Gonzaga: “A esmola mata de vergonha ou deixa o indivíduo sem vergonha.
    Assim sera o Brasil, pune para valer este mar de lama, ou então a vergonha que já é pouca desaparecerá por completo.

  13. Desculpa por entrar neste entrevero,mas sou solidário com conterrâneo Francisco Bendl, pessoa de alta estirpe, se perfilando ao lado dos intelectuais do blog.Dr.Jorge Beja;Belem;Bortolotto;Nascimento; e demais participantes.O Bendl disseca q.q assunto, sempre com brilhantismo, isso causa uma dor cotovelo… recomendo,escrevam bem ou mal,com ou sem erros ortográficos,conjugação verbal.

  14. Entrementes já discordei do Bendl,em relação a
    Oswaldo Aranha um serviçal da ONU e interesse de Israel..Dias depois o embaixador de Israel chamou de tupiniquim as relações do Itamaraty,desde os tempos Aranha…
    Outra,foi no Governo Collor,apesar de não compactuar,Collor não podia ser comparado FHC,Lula,PT e demais mafiosos.

  15. Lula, o começo: Não pensem que Lula é um apedeuta (ignorante) devido a ausência de escolaridade acima do primário. Lula não se absteve de estudar, passou como aluno pela IDESIL (Instituto Americano de Desenvolvimento do Sindicalismo Livre), escola doutrinária mantida desde 1963 em São Paulo pelos norte-americanos da AFL-CIO (American Federation of Labor Congresso Industrial Organization), que seguiu tanto a IDESIL como a AFL-CIO ministrando cursos contra-revolucionários de “liderança” sindical, desenhados sob medida para parecer de esquerda, apenas parecer, mas, servir ao sistema dominante. Os organismos americanos tinham interesse de ter um aliado num país como o Brasil. Isso é comprovado por quem leu o Relatório Kissinger II. A aproximação com os militares deveu-se ao empresário Paulo Villares (Industria Villares), ex-patrão de Lula, em reconhecimento as habilidades de Lula em acabar com uma greve. (Não devemos esquecer que em 1972/73 Lula fez curso de Sindicalismo (tomou aulas) na Johns Hopkins University nos EUA). Lula foi protegido pelo general Golbery do Coutto e Silva, ideólogo da revolução. Lula fora preparado para contrapor-se aos sindicalistas que voltavam do exílio junto com Brizola depois de 15 anos e haveriam de querer exercer influência nos sindicatos. Lula, a meu entender, não é um criminoso. Talvez nem tivesse a consciência do papel que lhe reservaram. Depois deixou correr frouxo. FEZ DA SORTE MALANDRAGEM E ESTÁ EM DIFICULDADE). Da para romper o cerco se for convincente em suas alegações. Acho muito fraco o argumento de que foi reservado para Lula 40 milhões prevendo que ele poderia necessitar depois de deixar o governo. Neste caso Lula não pediu. Mas não está fácil.

  16. O governo brasileiro ainda é reflexo do golpe de 64.Os presidentes todos foram oriundos da inteligência da escola de guerra que queria perpetuar as suas lideranças no poder.Em outras palavras só tivemos “Arapongas” no poder.
    Araponga eram os “dedo duro” da época.dedava por um pequeno salário ou mesmo por prazer e favor.Hoje estes arapongas se revoltam contra delatores ou “colaboradores da justiça”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *