Lula será processado por corrupção e lavagem de dinheiro, por causa do tríplex

Resultado de imagem para triplex de lula charges

Charge do Sinovaldo, reproduzida do jornal VS

Deu no Estadão

O Ministério Público Federal apresentará denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção e lavagem de dinheiro na reforma do tríplex do Condomínio Solaris, no Guarujá, litoral paulista. O petista é alvo de três investigações centrais na operação Lava Jato, em Curitiba – sede do escândalo de cartel e corrupção na Petrobras. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, também será acusado criminalmente.

Lula teria recebido “benesses” da empreiteira OAS – uma das líderes do cartel que pagava propinas na Petrobras – em obras de reforma no apartamento 164-A do Edifício Solaris. O prédio foi construído pela Bancoop (cooperativa habitacional do sindicato dos bancários), que teve como presidente o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto – preso desde abril de 2015. O imóvel foi adquirido pela OAS e recebeu benfeitorias da empreiteira.

Os procuradores da Lava Jato acusarão na Justiça Lula de ser o verdadeiro dono do tríplex que estava em reforma – a defesa do petista nega taxativamente.

INDICIAMENTO – No último mês, a Polícia Federal indiciou Lula, a ex-primeira dama Marisa Letícia, o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, e um engenheiro da empreiteira que participou da reforma do imóvel. No indiciamento, o delegado Márcio Adriano Anselmo, afirmou que “(Lula) recebeu vantagem indevida por parte de José Aldemário Pinheiro e Paulo Gordilho, presidente e engenheiro da OAS, consistente na realização de reformas no apartamento 174”. O imóvel recebeu obras avaliadas em R$ 777 mil, móveis no total de R$ 320 mil e eletrodomésticos no valor de R$ 19 mil – totalizando R$ 1,1 milhão.

Lula foi alvo de condução coercitiva, no dia 4 de março, quando foi deflagrada a 24ª fase da Lava Jato, batizada de operação Aletheia. Na ocasião ele negou conhecer o engenheiro da OAS Paulo Gordilho, que teria participado da reforma da cozinha do tríplex e de outra propriedade que investigadores atribuem a Lula, o sítio de Atibaia (SP).

CHEFE DA QUADRILHA – Investigadores da força-tarefa, em Curitiba, reuniram elementos para apontar a participação de Lula no esquema de cartel e corrupção que vigorou de 2004 a 2014, na Petrobras – e teria sido espelhado em outras áreas do governo, como contratos do setor de energia, concessões de aeroportos e rodovias.

Com base em uma sistemática padrão de corrupção como “regra do jogo”, empreiteiras, em conluio com agentes públicos e políticos da base, PT, PMDB e PP, em especial, desviavam de 1% a 3% em contratos das estatais. Um rombo de pelo menos R$ 6,2 bilhões só na Petrobras.

Lula teria recebido “benesses” das empreiteiras do cartel, como Odebrecht, OAS e outras. Executivos dos dois grupos empresariais negociam desde o início do ano acordos de delação premiada com o Ministério Público Federal – a da OAS foi encerrada pela Procuradoria Geral da República (PGR).

REFORMA DO TRÍPLEX – Nas mensagens encontradas nos celulares apreendidos do ex-presidente da OAS e do engenheiro do grupo, há elementos, para a PF, de que o casal Lula orientou as reformas no apartamento do Guarujá.

Os pagamentos da OAS também devem gerar outra denúncia sobre o custeio do armazenamento de bens do ex-presidente pela empresa Granero. Desde 2011, quando ele deixou a Presidência, a empreiteira teria pago cerca de R$ 1,3 milhão pela guarda do material.

SÍTIO EM ATIBAIA – Outro inquérito, em fase final, investiga a compra e reformas no sítio Santa Bárbara, em Atibaia, interior de São Paulo. O imóvel, para a Lava Jato, pertence a Lula e recebeu obras da OAS e da Odebrecht. O ex-presidente nega ser o proprietário do sítio

O terceiro inquérito da PF vasculha pagamentos e doações à LILS Palestras e Eventos e ao Instituto Lula. A PF suspeita que a LILS e o Instituto receberam valores de empreiteiras contratadas durante os dois mandatos de Lula (2003/2010).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A matéria não menciona os inquéritos sobre apropriação de 559 bens pertencentes à União, um deles corre em Curitiba e o outro, em Brasília. Há, também, mais um inquérito no Supremo, e um processo que corre na 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, ambos por obstrução da justiça nos casos da nomeação para a Casa Civil e da compra do silêncio de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras. Como dizia nosso amigo Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. (C.N.)

10 thoughts on “Lula será processado por corrupção e lavagem de dinheiro, por causa do tríplex

  1. virgilio tamberlini

    junho 26, 2016 at 9:21 pm
    .

    O passarinho que recebe o Chavez me cantou que o Lula vai dançar na operação 34. Depois do impeachment e antes das eleições.
    .

    Responder

  2. EDUARDO PAES: O senhor é uma alma de pobre. Eu, todo mundo que fala aqui
    no meio, eu falo o seguinte: imagina se fosse aqui no Rio esse sítio dele, não é em Petrópolis, não é em Itaipava. É como se fosse em Maricá. É uma merda de lugar porra!
    LILS : (Risos)
    EDUARDO PAES : Esse barquinho dele é em São Pedro da Aldeia, Araruama.
    Não é em Búzios nem Angra porra!
    LILS: (risos) Puta que o pariu!
    EDUARDO PAES: É um cafona. O senhor não perdeu essa sua alma de pobre. Isso que é a maior desgraça que eu tô vendo nesse processo todo porra. (risos)
    LILS : É isso. É isso. Mas eu já sabia disso. Tá bom, querido. Obrigado, EDUARDO.
    EDUARDO PAES: Qualquer coisa me liga aí, Presidente. Um forte abraço.
    LILS: Muito obrigado, meu querido.
    EDUARDO PAES: Valeu. Tchau, tchau.

  3. Todos sabem quem tem o poder da caneta pode “QUASE TUDO”, o resultado está aí, Lula, Dilma e turma sabiam, se envolveram com o PMDB, PTB, PR e quem sabe PSDB, ninguém quer ficar de fora da mamata, mas quem vai pagar é o dono da caneta.
    Lula tinha tudo para entrar para a história, errou ao liderar esta comando da corrupção no país e errou quando deixou Dilma governar, é uma pena, entrará para a história como o maior presidente corrupto do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *