Lula tentou reunir a bancada do PT, mas 12 deputados nem quiseram participar

Lula

Um clima de desânimo na reunião para “unir” a bancada

Deu em O Tempo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, nessa segunda-feira (7), a renovação do PT. Ao falar da necessidade de uma direção forte, com reconhecimento nacional e capacidade de viajar pelo Brasil, Lula disse, mais uma vez, que o comando partidário está “envelhecido”. Lembrando seus 71 anos recém-completados, Lula comparou sua situação à do capitão da seleção na Copa do Mundo de 1970, Carlos Alberto Torres, morto no último dia 25. “Posso dormir e morrer”, afirmou.

Numa reunião com 47 deputados petistas, Lula fez uma crítica à atual direção da sigla, afirmando que os dirigentes do partido estão “muito apegados a seus cargos”. O ex-presidente defendeu um congresso partidário para definição da nova cúpula, mas, diferentemente do que quer a esquerda petista, disse que não há mais tempo para troca ainda neste ano.

Após ouvir queixas de parlamentares, Lula disse que o novo presidente do PT tem que ser reconhecido nacionalmente, mas “não pode estar preso a um mandato parlamentar”.

NÃO QUER PRESIDIR – Lula se colocou à disposição para agendas pelo Brasil. Mas reafirmou que não quer presidir o partido. Entre os nomes que estão postos para a presidência do PT estão o do prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, o do ex-ministro Jaques Wagner e o do presidente do diretório paulista do partido, Emídio de Souza.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, negou a possibilidade de uma debandada de deputados federais do partido: “Não vi nenhum deputado que tenha manifestado intenção de sair do PT”.

Falcão disse que a pauta do encontro com Lula foi discutir a ampliação do PT na esquerda, a valorização de aproximação com movimentos sociais e a oposição ao governo do presidente Michel Temer (PMDB).

O dirigente petista reafirmou que o partido vai apresentar uma proposta de medidas econômicas no Congresso que seja uma alternativa ao ajuste fiscal de Michel Temer. Rui Falcão, contudo, não detalhou como vai ser efetivamente essa proposta petista.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É o tipo de reportagem que necessita de tradução simultânea. O PT tem 59 deputados federais e a maioria deles se prepara para abandonar o partido. Na importantíssima reunião desta segunda-feira, convocada semana passada pela direção nacional, 12 deputados nem se deram ao trabalho de comparecer. Sabiam que Lula não tinha nada a lhes dizer nem a lhes propor.  O clima no PT é de desespero total. (C.N.)

5 thoughts on “Lula tentou reunir a bancada do PT, mas 12 deputados nem quiseram participar

  1. O lula já é um “saudosista”, já esta vivendo do passado e das lembranças.
    O PT exibiu ao povo brasileiro, um atestado de inidoneidade, não tem mais o que fazer, morreu como partido político.
    Como o naufrágio é iminente, os roedores, pelo espirito de preservação, estão todos abandonando o barco, ficará apena o capitão, que na marinharia, tem o dever moral de afundar junto.
    Não sei se o lula é dado a este tipo de procedimento de honra, só sei que ele jamais sera aceito em qualquer outro partido.
    Vai virar assombração política, assim como o FHC na era do tucanato na oposição. O lula já começou a “cantar pra subir”.

  2. Aceitaria correndo se a presidencia de partido tivesse foro privilegiado, mas não é o caso. Os demais vão picar a mula, pois cansaram de servir de escada ao indiciado que, como um elefante descoroçoado, conduz sua manada ao despenhadeiro.

  3. *NENHUM* partido político no Brasil resisti à uma crise que implique em perdas de mandatos e poder. Porque? Porque são para fazer negócios, com lastro na coisa pública e não para fazer política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *