Machado envolve na corrupção Gabrielli e Graça Foster, ligados a Lula e Dilma

2425_Br_MACHADO-INFO01Deu na IstoÉ

Depois de eleito senador pelo PSDB, presidir a Transpetro apadrinhado pelo PMDB e abençoado pelo PT por longos 12 anos e ser apontado pelo Ministério Público como o responsável por esquemas que desviaram dos cofres públicos mais de US$ 240 milhões, Sérgio Machado passou por uma simbiose. Aproveitou-se do trânsito fácil pelas cúpulas dos principais partidos do País para negociar uma delação premiada com características bem diferentes daquelas que veem impulsionando a operação Lava Jato. Machado se transformou em uma espécie de agente infiltrado. Um delator bomba.

Entre o final de fevereiro e o início de abril, o executivo de 69 anos manteve encontros com caciques do PMDB levando consigo um equipamento eletrônico que, além de gravar os diálogos, permite que as conversas sejam ouvidas em tempo real por agentes da Lava Jato, estrategicamente posicionados em um carro estacionado próximo aos endereços visitados.

MUITAS GRAVAÇÕES

Dessa maneira, ele gravou mais de seis horas de conversas com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB- RR) e o ex-presidente José Sarney.

Nos diálogos até agora divulgados, Machado procura envolver os interlocutores em uma suposta trama para tentar barrar as investigações comandadas pelo juiz Sergio Moro, enredar ministros do Supremo Tribunal Federal e relacionar líderes do PSDB e do PMDB a propinas na Petrobras.

A homologação da delação de Machado, assinada pelo ministro Teori Zavascki na terça-feira 24, gerou um clima de apreensão tanto no Congresso como no Palácio do Planalto. Há o temor de que caciques do PMDB sejam atingidos pelas gravações, quando o seu inteiro teor for conhecido.

Não apenas os peemedebistas, como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), encontram razões de sobra para se preocupar.

NITROGLICERINA PURA

O que vem por aí, extraído do arsenal de Machado, é nitroglicerina pura e supera as fronteiras do PMDB. Segundo relatou a IstoÉ um dos integrantes da Lava Jato que participou das negociações da delação, as revelações feitas por Machado à Procuradoria da República durante as tratativas do acordo são mais explosivas do que os diálogos gravados.

De acordo com esse agente da Lava Jato, Machado afirmou que o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, ligado a Lula e Jaques Wagner, do PT, é um dos mentores e principais operadores do Petrolão. “Gabrielli participou da idealização da esquema de corrupção na Petrobras desde o início”, disse aos procuradores.

O ex-presidente da Transpetro também afirmou que outra ex-comandante da estatal, Graça Foster, considerada na Petrobras a Dilma da Dilma, por sua afinidade com a presidente afastada, tinha pleno conhecimento dos desvios de recursos ocorridos em todas as diretorias da empresa e detalhou um enorme esquema de propinas pagas por fornecedores do programa de retomada da indústria naval, projeto acompanhado bem de perto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

GABRIELLI EM AÇÃO

Em um de seus relatos, Machado citou dois casos em que Gabrielli agiu pessoalmente para que a corrupção se concretizasse. O primeiro é uma operação em que repassou R$ 3,4 milhões para o PT. O dinheiro foi obtido a partir de contratos superfaturados e contabilizado como repasse das empresas Sanko Sider, Empreiteira Rigidez e MO Consultoria para a Murano Marketing LTDA e a Mistral Comunicação, de onde seguiu para os cofres petistas. A Sanko, a Rigidez e a MO Consultoria são empresas de fachada pilotadas pelo doleiro Alberto Youssef. Segundo Machado, toda a operação foi ordenada por Gabrielli.

O segundo caso envolve o contrato de US$ 1,6 bilhão da Petrobras com o Grupo Schahin para a construção do navio sonda Vitória 10.000. A operação superfaturada foi feita para saldar uma dívida do PT com José Carlos Bumlai, que contraiu um empréstimo de R$ 12 milhões junto ao banco Schahin e repassou o dinheiro para o partido. Machado afirmou que a direção da Petrobras se posicionou contrária ao contrato, mas Gabrielli impôs que o acordo fosse celebrado.

GRAÇA FOSTER

Sobre Graça Foster, Machado entregou à Procuradoria da República uma lista com as datas de reuniões ocorridas na estatal nas quais desvios de recursos foram denunciados à presidente, que por sua vez não tomou nenhuma iniciativa para conter os malfeitos. Agora a PF deverá usar a informação e confrontar com atas apreendidas na sede da Petrobras.

Ainda durante as negociações para a delação, Machado revelou que 80% dos contratos com fornecedores para o projeto de recuperação da indústria naval são superfaturados e que parte do dinheiro retornou para ser destinado aos partidos coligados ao PT. Ele confirmou ter entregado pessoalmente R$ 500 mil a Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobras), como parte da propina a ser distribuída entre os aliados. O programa comandado por Machado tinha orçamento de R$ 8,3 bilhões.

DELAÇÃO PREMIADA

O agente da Lava Jato que participou da negociação da Procuradoria da República com Machado não sabe se tudo o que foi revelado no acordo pelo ex-presidente da Transpetro integra a delação homologada pelo ministro Zavascki. Ele assegura, no entanto, que todas as informações foram registradas e servirão para compor inquéritos e processos em andamento tanto no STF como na Justiça Federal em Curitiba.

Nesse caso, não só raposas do PMDB como Dilma e Lula serão encrencados. A presidente afastada, implicada na delação em virtude de sua ligação com Graça Foster, não escapou incólume às gravações. Num dos diálogos, gravados por Machado, o presidente do Senado, Renan Calheiros, diz que a situação de Dilma, àquela altura presidente em exercício, ficaria insustentável a partir da delação da Odebrecht, pois iria “mostrar as contas” dela.

“Mas, Renan, com as informações que você tem, que a Odebrecht vai tacar tiro no peito dela, não tem mais jeito”, afirma Machado.

Ao que Renan responde: “Tem não, porque vai mostrar as contas. E a mulher é corrupta”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA matéria enviada pelo comentarista Moacir Pimentel mostra que as peças do quebra-cabeças vão se encaixando, de forma impressionante. Até a autoproclamada inocência de Graça Foster e Dilma Rousseff era uma farsa, as duas estão envolvidas até o pescoço no esquema de corrupção para eternizar o PT no poder. Como dizia Cartola, “o mundo é um moinho, vai triturar teus sonhos tão mesquinhos, vai reduzir as ilusões a pó”. (C.N.)

8 thoughts on “Machado envolve na corrupção Gabrielli e Graça Foster, ligados a Lula e Dilma

  1. Acabo de voltar de um voo rasante por um local oficialmente chamado de “Mídia Alternativa”, mas vulgarmente apelidado de Esgotosfera. Lá as ilusões ainda não foram reduzidas a pó e os leitores vivenciam autoengano coletivo e os jornalistas sobrevivem em delírio individual muito bem remunerado. Nesse país estranho, das maradilmas , a gente aprende com os petistas que :
    – Como a garota do Rio , a Dilma também foi vítima de estupro coletivo.
    – Fernando Henrique não levou uma honoris causa de Harvard coisíssima nenhuma , mas sim fugiu corrido de New York debaixo de gritos de “golpista”.
    – E o Temer? Esse acaba de acabar com o Minha casa , Minha Vida da Dilma.

    • Artigo bem atual…

      Danilo Gentili: Precisamos Falar Sobre Estupro
      Brasil 28.05.16 10:46
      Danilo Gentili deu um texto de presente para O Antagonista:

      “Até quando influenciadores, líderes e formadores de opinião vão incentivar o machismo e promover a violência contra a mulher?

      Me lembro de Paulo Ghirdardelli, professor universitário, um educador, falando que a nordestina Rache Sheherazade deveria ser estuprada urgente. O motivo da convocação violenta? Ele discorda de algumas opiniões dela.

      Me lembro do líder Lula falando ao telefone que uma mulher ficou chateada porque não foi estuprada por cinco homens. Me lembro da Dilma, presidente do País, rindo com gosto desse comentário.

      Me lembro da deputada Maria do Rosário defendendo com unhas e dentes o Champinha, o cara que junto com seus comparsas estuprou e matou uma menina.

      Me lembro de Eduardo André Gaieviski, assessor da Senadora Gleise Hoffman, estuprador de criancinhas.

      Me lembro do Zé de Abreu cuspindo duas vezes no rosto de uma mulher porque o marido dela discutiu com ele.

      Todos esses casos de violência contra a mulher não foram piadinhas. Foram sérios.

      Isso me fez lembrar de mais uma coisa: o jornalismo militante, as feminazis e os blogueiros do “bem” – esses mesmos que sempre compartilham piadas de humoristas fora do contexto convocando ao linchamento e que agora estão usando como propaganda ideológica o hediondo estupro de uma garota – ficaram completamente calados em todos esses graves casos. Me lembro até de alguns deles defendendo e justificando as atitudes dos nomes acima citados.

      Desconfie de quem se escandaliza com piadinha retirada de contexto mas se cala perante casos hediondos.

      Precisamos acabar com a indignação seletiva pois ela gera uma classe de pessoas que acham que estão acima do bem e do mal. Tenho medo que daqui a pouco basta alguém dizer que é da corrente ideológica deles para conseguir uma licença para estuprar.

      PRECISAMOS ACABAR COM A CULTURA DA INDIGNAÇÃO SELETIVA.

      No fim das contas licença para matar é o que realmente desejam. Não é a toa que sempre procuram um motivo para apedrejar qualquer pessoa discordante e fazem apologia à barbárie o tempo todo com rostos e símbolos de assassinos em seus posts e camisetas.

      PRECISAMOS ACABAR COM A CULTURA DO GENOCÍDIO”.

  2. Lula / Clara Ant….

    Em conversa grampeada entre Lula, recém-nomeado ministro da Casa Civil, e o ex-ministro Paulo Vannucchi, gravada na última terça-feira pela Polícia Federal, o ex-presidente afirma que está colocando Fátima Bezerra e Maria do Rosário, duas parlamentares do PT, para acompanhar de perto um dos procuradores que o investigam, Douglas Kirchner. No diálogo, Lula se refere às feministas do partido de forma grosseira, o que causou indignação nas redes sociais.
    “Cadê as mulheres do grelo duro do nosso partido?”, disse o novo ministro a Vannucchi. Confira a íntegra da conversa:
    Lula: Alô
    Vannucchi: Fala, chefe.
    Lula: Você ficou de me dar um retorno.
    Vannuchi: Então, eu avisei para ele agora e o que aconteceu é que liguei no contato e soube que ele estava na UTI, situação grave, porque é respiratória, não dá pra falar direito. Não é uma situação grave de risco de vida, é o tal do enfisema. Aí eu falei com o genro, que também é da área, conhece. Primeiro eu perguntei ao genro se ele tinha uma condição de diretamente falar com a pessoa e ele respondeu que não. Não tenho contato, tem que ser com ele mesmo. Amanhã eu vou visitá-lo. Na hora que vi o recado do Moraes pra eu ligar, eu liguei pra ele e ele falou que tá indo daqui a pouco, já leu nos jornais, já sabe do que se trata e vai perguntar para ele. Você acha que ele tem condição de nessas coisas, canudo no nariz, telefonar, eu vou ver lá, vou sentir.
    Lula: Tira o canudo por 30 segundos, caralho.
    Vannuchi: Então, eu vou nessa expectativa e te dou uma resposta ainda hoje.
    Lula: Sabe qual é a nossa ação.
    Vannuchi: Sei.
    Lula: Aquele filho da puta daquele procurador antes de dar a notícia da intimação na quinta-feira para o advogado deu pra Globonews. É um filho da p*** mesmo.
    Vannuchi: Ativista político, coxinha.
    Lula: O problema é o seguinte, Paulinho. Nós temos que comprar essa briga. Eu sei que é difícil, sabe. Às vezes fico pensando até se o Aragão devia cumprir um papel de homem nessa porra. O Aragão parece nosso amigo, parece, parece, parece, mas tá sempre dizendo olha… sabe.
    Vanucchi: É. O pessoal tá assustado.
    Lula: Nós vamos pegar esse de Rondônia agora e vamos botar a Fátima Bezerra e a Maria do Rosário em cima dele.
    Vannuchi: Isso mesmo.
    Lula: Sabe, porque… até a Clara Ant (…) porque fica procurando o que fazer. Faz um movimento da mulher contra esse filho da puta. Porque ele batia na mulher, levava ela pro culto, deixava ela se fuder, dava chibatada nela. Cadê as mulheres de grelo duro do nosso partido?
    Vanucchi: É isso aí. Sua fala foi muito boa.
    A divulgação da conversa provocou a reação imeadiata dos internautas:
    A indignação ganhou força, também, após a liberação de uma outra conversa de Lula, dessa vez com a presidente Dilma Rousseff. Por telefone, o ex-presidente conta que quando os cinco policiais federais foram à casa de Clara Ant, atual diretora do Instituto Lula, ela estava dormindo sozinha e se assustou com a chegada dos agentes, acreditando ser um “presente de Deus”, o que arrancou gargalhadas da presidente, mas não da internet:
    “A Clara Ant tava dormindo, chegaram 5 homens, ela achou que era um presente de Deus, era a PF”
    Dilma cai na gargalhada.
    Lula, seu pândego.

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/lula-chama-feministas-do-pt-de-mulheres-do-grelo-duro-internautas-reagem-18897069.html#ixzz49xvemqXs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *