Piada do Ano! Maia aguarda julgamento no STF para definir seu candidato à presidência da Câmara

Supremo pode liberar a possibilidade de uma candidatura de Maia à reeleição

Naira Trindade e Natália Portinari
O Globo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve decidir quem será o seu candidato à sucessão na presidência somente depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar o questionamento do PTB sobre a possibilidade de reeleição no comando da Câmara e do Senado. A aliados, ele garantiu que irá tomar a decisão em grupo.

Relator da ação, o ministro Gilmar Mendes marcou o começo do julgamento para 4 de dezembro, no plenário virtual. A ação do PTB interessa diretamente ao senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e ao deputado Rodrigo Maia, que atualmente estão no comando das duas casas legislativas e, a depender da decisão do plenário, poderão se candidatar novamente aos mesmos postos.

ESPERANÇA – Aliados de Rodrigo Maia mantêm esperança de que o plenário do Supremo possa permitir a reeleição nas duas casas. Hoje, o segundo mandato só é possível quando se inicia uma legislatura diferente. Foi o que ocorreu com Maia, por exemplo, em 2019. Apesar de ter comandado a casa até 2018, ele pôde se reeleger em 2019, quando teve início um novo mandato.

A ação que vai ser analisada pelo STF quer que a Corte proíba a reeleição na mesma legislatura — prática vedada expressamente pela Constituição, que não ocorre hoje — e também em legislaturas diferentes, o que foi permitido pelo Supremo em um julgamento em 1999 e já aconteceu algumas vezes.

O Globo apurou que a tendência do STF hoje é de considerar que o tema é um assunto interno da casa no julgamento no plenário virtual, mas que se houver destaque para que o tema seja levado ao plenário o assunto pode ser debatido no mérito, o que poderia reverter a expectativa.

POSTULANTES AO CARGO – Nesta terça-feira, Maia se reuniu na residência oficial em Brasília com os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Marcelo Ramos (PL-AM), Baleia Rossi (MDB-SP), Luciano Bivar (PSL-PE), Marcos Pereira (Republicanos-SP) e Elmar Nascimento (DEM-BA), postulantes a sucedê-lo caso o STF barre a hipótese de reeleição. Aos presentes, disse que eles deveriam chegar a um acordo sobre qual será o candidato, evitando ser o responsável pela escolha.

Maia reiterou aos aliados durante a noite que não é de seu interesse se candidatar de novo à presidência, mesmo com o possível aval do STF. Há desconfiança entre os presentes, porém, de que, diante da impossibilidade de chegar a um acordo entre os seis, Maia irá dizer que ele é o nome de consenso no grupo e acabar assumindo a candidatura.

No cardápio de um longo jantar, definiram o bloco de 209 deputados que devem apoiar a candidatura do sucessor de Maia: DEM, PSL, MDB, PSDB, PROS, PTB, Cidadania, PV, Podemos e Republicanos. No mesmo encontro, desenharam um pacote que deve ser trabalhado sobre a distribuição de relatorias importantes e também de presidências de comissões para os partidos que apoiarem o grupo.

MAIORIA – Se conseguirem o apoio dos partidos de oposição, o bloco irá formar a maioria de 257 votos necessária. Maia disse aos partidos de esquerda que não irá definir o sucessor sem o apoio deles, gesto visto positivamente pelas lideranças. Os líderes do PT, PSB, PDT e PC do B irão se reunir em breve para decidir em conjunto qual candidato preferem — o PSOL deve lançar um candidato próprio, segundo a líder Fernanda Melchionna (RS).

Nomes da centro-direita como Aguinaldo Ribeiro, Marcos Pereira ou Marcelo Ramos não estão descartados pela esquerda, especialmente no segundo turno. Mas o PT tem resistência a Baleia Rossi, presidente do MDB, por ser do partido que traiu Dilma Rousseff no impeachment.

EM ABERTO  – A esquerda deixa em aberto até a possibilidade de se unir em apoio a Arthur Lira (PP-AL), líder do PP e candidato de Jair Bolsonaro à presidência, embora essa possibilidade seja vista como mais remota, já que deputados petistas, entre outros, se recusam a apoiar um bolsonarista. Lira tem procurado os partidos para argumentar que é independente em relação ao governo.

Em busca de apoio na esquerda, Maia viajou para Fortaleza na semana passada para um encontro com Ciro Gomes. No avião, estava o deputado André Figueiredo (CE), líder do PDT. Figueiredo diz que vem conversando com Maia e com Lira e que o PDT ainda não tem candidato. Outro partido em disputa é o PSB. Lira se reuniu com Carlos Siqueira, presidente do partido. Mas a legenda também não definiu qual candidato irá apoiar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGMais uma Piada do Ano. O candidato de Rodrigo Maia tem nome e endereço conhecidos. Chama-se Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia e foi ele quem comandou, nos bastidores, a manobra de seu fantoche Davi Alcolumbre para ser reeleito no Senado, levando Maia de carona.  A piada realmente é boa. (C.N.)

17 thoughts on “Piada do Ano! Maia aguarda julgamento no STF para definir seu candidato à presidência da Câmara

  1. “Celso de Mello precisa desmentir Saulo Ramos e provar que não é um “juiz de merda”

    Carlos Newton em 08/06/2020

    “Será o Brasil um país de merda? Leia e conclua.”

    Celso Serra em 02/12/2014

    A censura é só pra mim ?

    • Por Vicente Limongi, no mesmo dia, sem réplica:

      Não é meu feitio opinar sobre quem já partiu. Mas, há mais de 15 anos, com o pulha vivo, escrevi, no Estadão, quem era e foi, a vida inteira, o traste Saulo Ramos. Hoje, não retiro nem vírgulas do que afirmei. Lamento não haver dito mais verdades sobre o sábio de araque. Nesse sentido, julgo completo absurdo que equivocados e desinformados valham-se de um desprezível, já no inferno, na tentativa de deslustrar a vida profissional de Celso de Mello. Não conseguirão êxito na torpeza. Apenas para acrescentar, foi Celso de Mello, que não conheço pessoalmente, que relator e deferiu, no STF, a indenização favorável a saudosa e memorável Tribuna da Imprensa. Se ainda não foi paga, não é por culpa dele. Muito pelo contrário.

  2. Sr. Newton,
    Veja o “projeto” do Pai do Botafogo para a Cidade de Brizolópolis…..

    Cesar alega erro em projeto que aumenta salário do prefeito e pede arquivamento

    O vereador Cesar Maia (DEM), autor de um projeto que aumentava o salário de prefeito do Rio, de R$ 20.534,94 para R$ 35.462,27 a partir de janeiro de 2021, pediu ao presidente da Câmara do Rio, Jorge Felippe (DEM), que desconsiderasse o texto.

    O projeto foi arquivado.

    Assim que a iniciativa foi divulgada, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) fez um vídeo criticando a proposta — e acusando o seu adversário, Eduardo Paes (DEM), de ser o beneficiário do aumento.

    A campanha de Paes, porém, também transmitiu uma nota contrária à ideia.

    “O candidato Eduardo Paes declara que vetará este projeto de lei caso seja eleito no próximo domingo. Não tem cabimento aumentar o salário do prefeito da cidade neste grave momento de crise fiscal, social e econômica pela qual passa o município”.

    Cesar argumentou que sua equipe recebeu a sugestão e, com sua assinatura eletrônica, protocolou o projeto sem a sua autorização.

    https://extra.globo.com/noticias/extra-extra/cesar-alega-erro-em-projeto-que-aumenta-salario-do-prefeito-pede-arquivamento-24769339.html

Deixe uma resposta para Paulo III Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *