Mais médicos ou mais confusão

Heron Guimarães

Fermento para grandes debates, o programa Mais Médicos, que muitos dizem ser um compromisso que Lula assumiu com a ditadura dos Castro e que só agora Dilma começa a cumprir, após quase três anos de sua posse, ainda vai dar pano para manga.

Na semana passada, o artigo desta página comparou o projeto liderado pelo ministro Alexandre Padilha com a decisão da equipe econômica de Fernando Collor, no início dos anos 90, responsável por trazer a marca Lada para o Brasil e pela abertura do mercado de automóveis para os importados, o que, consequentemente, culminou com a modernização dos automóveis do Brasil.

Passada uma semana da chegada dos primeiros profissionais cubanos, as notícias geradas são, até o momento, um turbilhão de dúvidas sobre o sucesso do programa e de seu impacto na popularidade da presidente.

Porém, a importação em discussão gera mais melindres. Os protestos de médicos recém-formados nos aeroportos onde os primeiros cubanos desembarcaram revelaram, além da indignação dos doutores brasileiros, um preconceito que de leniente não tem nada, como se o problema em questão fosse de quem descia do avião, e não dos que, às escuras, forjaram esse tipo de política, em que a parte mínima da remuneração, antes de chegar aos bolsos dos médicos importados, transita pelos cofres governamentais da ilha comunista.

Aos enviados de Cuba só restam manifestações de lamento pelas redes sociais e, claro, a obediência, como a de um cão escaldado, acostumado com as duras penas de um proprietário cruel. Afinal, qualquer fato que possa ser interpretado como contrariedade pelos dirigentes da ilha pode significar deportações e castigos aos familiares que em Cuba permaneceram.

Passada a saraivada de humilhações e de constrangimentos tanto para brasileiros, acusados de racismo, quanto para cubanos, alçados à condição de vítimas, os outros problemas, como as portas dos carros da Lada que não fechavam nos anos 90, já começam a se empilhar.

DEMISSÃO DOS BRASILEIROS

Com menos de sete dias da chegada dos profissionais, prefeitos de diversos rincões do Brasil já anunciaram a demissão de médicos brasileiros, que, segundo os políticos, “ganham muito”, e que absorver os profissionais do programa de Dilma é um negócio e tanto.

A justificativa, sob o ponto de vista simplista da compensação para esses administradores municipais, é cabível, afinal, o que é preferível? Pagar R$ 30 mil para um brasileiro ou receber um médico cubano sem pagar nada (os R$ 10 mil pagos aos médicos estrangeiros são totalmente desembolsados pelo Ministério da Saúde)?

Ao que tudo indica, nos lugares mais longínquos, os benefícios tardarão, pois chegará um cubano e deixará o posto um brasileiro.

Associações médicas, diante da decisão da Justiça de negar a ilegalidade do programa, pediram “juízes importados”, levando outro tipo de crise para o colo de Dilma. Os dias da presidente não estão sendo fáceis. O Mais Médicos, pelo andar da carruagem, será muito mais confusão do que solução.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

20 thoughts on “Mais médicos ou mais confusão

  1. Quanto a modernização dos automóveis do Brasil, o Brasil não tem automóveis, muito menos modernos. Todos são estrangeiros, não existe nenhuma marca 100% nacional. Segundo que, os carros vendidos aqui são tão “carroças” quantos os da década de 90. alguns nem são fabricados lá fora, de tão defasados. Mas pagamos caros por todos eles. Obrigado, direita neoliberal, por destruir o país!

  2. O pT tá no governo há mais de 10 anos com a esquerda formada por Lula, Paulo Maluf, Jader Barbalho, Collor, Sarney, Renan e agora a culpa dos carros defasados é da direita.
    E a banda-larga mais cara do mundo e mais lenta, é culpa de quem ô esquerdinha da vida?

  3. Heron, saudações
    Seu artigo é bastante revelador de todo este quadro. Não sou médico, minha área não é esta. Mas, ao longo de muitos anos, tenho estado em rincões desassistidos por completo. No norte e nordeste brasileiros, a vida de uma pessoa não vale nada. Matam ratos nas ruas e os comem. Bebem água das valas negras. A evolução de uma gripe ou resfriado acaba sendo fatal. Morre-se pelos motivos mais simples e banais. Minha tarefa é conduzir a “Saúde Primeira” – como a chamo – que é motivação e entusiasmo pela vida. O que vejo são pessoas entregues, a priori derrotadas, cientes de que não têm direito a nada e, pior, de que jamais terão. E … não alimentam desejos como matar e roubar, permanecem ali … nas vendinhas ou no meio do barro … sem dentes … com fome … mas ainda assim conseguem sorrir.
    Marcia Simão Vieira, uma enfermeira de Belém/Pará, apresentou um Estudo para as autoridades de lá (mais de 300 páginas; tive com o extraordinário trabalho em mãos), mostrando que o percentual de mulheres grávidas … que morrem sem qualquer tipo de assistência … e por total ignorância de seu estado … constitui não um absurdo, mas um crime hediondo, revoltante, repugnante. Quando penso naquela gente, naquelas pessoas que dizem “ele morreu, foi Deus quem levou”, penso em me tornar um descrente de tudo.
    Ora, são tantos os países que acolhem bem os médicos que chegam!!! Será que só o Brasil é capaz de inviabilizar tudo por causa de políticas, leis e sistemas ideológicos? E … no norte/nordeste há riquezas imensas, que são roubadas cruelmente daquelas populações!!!
    Triste mundão. Mais vale abandonar as pessoas necessitadas, que têm urgência, urgência urgentíssima para poder ao menos sobreviver, do que a piedade. Então, que venham as leis e ideologias! Que venham as cláusulas constitucionais e suas aplicações!
    Que venha, como diz o Heron, mais confusão.
    Coitados de nós. Somos muito mais necessitados de ajuda do que eles, os deserdados, excluídos e explorados.

  4. Antigamente, diziam, que o Brasil era o quintal dos Estados Unidos.Hoje,passou a ser quintal da Bolívia, da Argentina,da Venezuela de Cuba etc…Como regrediu!?

    PS:.Já não era bom ser quinta “dusamericanos”, imagine…

  5. Jamais poderemos nos tornar ditadores(…).Eu sou um homem que sabe quando é preciso ir embora.
    Fidel Castro,08 de Janeiro de 1959, primeiro discurso após a entrada em Havana.Confiem nesse homem, e tome no r…

  6. Te parabenizo com todo o meu entusiasmo, Darcy!!!
    Muito apropriado, lúcido e desapaixonado artigo!!!
    Para quem tanto necessita de fatos irrefutáveis, depoimentos, etc etc etc … o prato está cheio!!!
    Abraço!!!

  7. A mentira no governo petista é epidêmica. No dizer de Lula, o SUS estava próximo da perfeição. Talvez faltassem apenas os médicos cubanos. Quanto às condições de trabalho, fica tudo como antes ou seja ” próximo da perfeição”. Se mal não faz tê-los aqui (os médicos cubanos)vamos ver quanto bem farão para o povo. Eleitoralmente farão muito bem ao PT.

  8. Interessante… A estatística do Darcy é totalmente diferente da que foi divulgada pelo CRM…
    Conheci a primeira colocada no exame Revalida: uma venezuelana, com um português de fazer inveja à Dilma.
    Ela ficou estarrecida com o descumprimento da lei CEPE-BRAS e REVALIDA, aos quais foi submetida, para os cubanos do “Mais Médicos”.
    E garante: o REVALIDA é muito fácil!!
    Hummm…alguém está mal informado ou tendenciosamente manipulando dados.

  9. Digo CELPE-BRAS.
    A propósito, a venezuelana fez a prova no Rio de Janeiro.
    Os médicos estrangeiros com maior índice de aprovação foram os venezuelanos e não os cubanos em 2013!! E a maioria aprovada já está no Brasil estagiando e aprendendo o idioma há mais de 1 ano.
    E deu no G1:
    “A edição deste ano do Exame de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) será aplicada neste domingo (25) para 1.772 médicos formados em universidades de fora do Brasil. O número, divulgado nesta quinta-feira (22) pelo Ministério da Educação, é recorde para a prova. Em 2012, foram 884 inscritos e 77 aprovados. Em 2011, fizeram a prova 677 pessoas, e 65 conseguiram passar…”

  10. Atenção!!!
    O governo está DEMITINDO MÉDICOS por causa da chegada dos novos do Mais Médicos!!!
    O Médico Clínico Geral, Dr LUCCAS SALVADOR SALOMÃO, do município São Gabriel de Cachoeira foi demitido e dispensado de cumprir aviso prévio.
    Este governo Dilma é COVARDE !!!!
    Este governo é DESUMANO !!!!
    Então … NOSSOS médicos vão para o interior acudir os excluídos, pessoas que já não têm NADA … e são DEMITIDOS??? Afinal, estamos vivendo em que tipo de mundo??? Aceitemos os médicos de TODAS as nacionalidades, sim!!!! Sejam muito bem vindos!!!
    Mas … demitir os NOSSOS que já estão lá …
    V E R G O N H A !!!
    M O N S T R O S !!!

  11. Existem outros casos de demissão de médicos brasileiros pelo país, pois os prefeitos estão dando preferência aos cubanos por não lhes custarem nada, o governo federal pagará.
    Para aliviar as contas dos municípios, médicos contratados por diferentes prefeituras no país serão trocados por profissionais do Mais Médicos. Na prática, a medida anunciada à Folha por prefeitos e secretários de saúde pode ameaçar a principal bandeira do plano: a redução da carência de médicos nesses lugares.
    A reportagem identificou 11 cidades, de quatro Estados, que pretendem fazer demissões para receber as equipes do governo federal. Segundo as prefeituras, essa substituição significa economia, já que a bolsa de R$ 10 mil do Mais Médicos é totalmente custeada pela União.
    (…)
    As cidades que já falam em trocar suas equipes estão no Amazonas (Coari, Lábrea e Anamã), na Bahia (Sapeaçu, Jeremoabo, Nova Soure e Santa Bárbara), no Ceará (Barbalha, Cascavel, Canindé) e em Pernambuco (Camaragibe).

  12. Grande achado do Mauro Julio Vieira: “…ô esquerdinha da vida!”

    Embora o ultruísmo expresso em legados teóricos para Pensamento Brasileiro e a opção por um quixotismo até mesmo com arma-na-mão, a esquerda brasileira acabou de tanguinha e taças de champagne nos calçadões metropolitanos e outros paraísos como Ipanema…Mariposas ou borboletas em poses fotográficas, não resistem aos holofotes!

    Assim como de carros, como não investiu em pesquisas, também em Medicina o Brasil é dependente do que vem do exterior, em alguns casos, embora permeados de publicidades humanitárias, com custos exorbitantes, vez que a “caixinha” dos agentes intermediários tornou-se obrigatória e às custas do consumidor.

  13. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/127014-o-fascismo-do-pt-contra-os-medicos.shtml > ” Luiz Felipe Pondé

    O fascismo do PT contra os médicos

    Os judeus foram o bode expiatório dos nazistas. Nossos médicos são os “judeus do PT”

    O PT está usando uma tática de difamação contra os médicos brasileiros igual à usada pelos nazistas contra os judeus: colando neles a imagem de interesseiros e insensíveis ao sofrimento do povo e, com isso, fazendo com que as pessoas acreditem que a reação dos médicos brasileiros é fruto de reserva de mercado. Os médicos brasileiros viraram os “judeus do PT”.

    Uma pergunta que não quer calar é por que justamente agora o governo “descobriu” que existem áreas do Brasil que precisam de médicos? Seria porque o governo quer aproveitar a instabilidade das manifestações para criar um bode expiatório? Pura retórica fascista e comunista.

    E por que os médicos brasileiros “não querem ir”?

    A resposta é outra pergunta: por que o governo do PT não investiu numa medicina no interior do país com sustentação técnica e de pessoal necessária, à semelhança do investimento no poder jurídico (mais barato)?

    O PT não está nem aí para quem morre de dor de barriga, só quer ganhar eleição. E, para isso, quer “contrapor” os bons cidadãos médicos comunistas (como a gente do PT) que não querem dinheiro (risadas?) aos médicos brasileiros playboys. Difamação descarada de uma classe inteira.

    A população já é desinformada sobre a vida dos médicos, achando que são todos uns milionários, quando a maioria esmagadora trabalha sob forte pressão e desvalorização salarial. A ideia de que médicos ganham muito é uma mentira. A formação é cara, longa, competitiva, incerta, violenta, difícil, estressante, e a oferta de emprego descente está aquém do investimento na formação.

    Ganha-se menos do que a profissão exige em termos de responsabilidade prática e do desgaste que a formação implica, para não falar do desgaste do cotidiano. Os médicos são obrigados a ter vários empregos e a trabalhar correndo para poder pagar suas contas e as das suas famílias.

    Trabalha-se muito, sob o olhar duro da população. As pessoas pensam que os médicos são os culpados de a saúde ser um lixo.

    Assim como os judeus foram o bode expiatório dos nazistas, os médicos brasileiros estão sendo oferecidos como causa do sofrimento da população. Um escândalo.

    É um erro achar que “um médico só faz o verão”, como se uma “andorinha só fizesse o verão”. Um médico não pode curar dor de barriga quando faltam gaze, equipamento, pessoal capacitado da área médica, como enfermeiras, assistentes de enfermagem, assistentes sociais, ambulâncias, estradas, leitos, remédios.

    Só o senso comum que nada entende do cotidiano médico pode pensar que a presença de um médico no meio do nada “salva vidas”. Isso é coisa de cinema barato.

    E tem mais. Além do fato de os médicos cubanos serem mal formados, aliás, como tudo que é cubano, com exceção dos charutos, esses coitados vão pagar o pato pelo vazio técnico e procedimental em que serão jogados. Sem falar no fato de que não vão ganhar salário e estarão fora dos direitos trabalhistas. Tudo isso porque nosso governo é comunista como o de Cuba. Negócios entre “camaradas”. Trabalho escravo a céu aberto e na cara de todo mundo.

    Quando um paciente morre numa cadeira porque o médico não tem o que fazer com ele (falta tudo a sua volta para realizar o atendimento prático), a família, a mídia e o poder jurídico não vão cobrar do Ministério da Saúde a morte daquele infeliz.

    É o médico (Dr. Fulano, Dra. Sicrana) quem paga o pato. Muitas vezes a solidão do médico é enorme, e o governo nunca esteve nem aí para isso. Agora, “arregaça as mangas” e resolve “salvar o povo”.

    A difamação vai piorar quando a culpa for jogada nos órgãos profissionais da categoria, dizendo que os médicos brasileiros não querem ir para locais difíceis, mas tampouco aceitam que o governo “salvador da pátria” importe seus escravos cubanos para salvar o povo. Mais uma vez, vemos uma medida retórica tomar o lugar de um problema de infraestrutura nunca enfrentado.

    Ninguém é contra médicos estrangeiros, mas por que esses cubanos não devem passar pelas provas de validação dos diplomas como quaisquer outros? Porque vivemos sob um governo autoritário e populista. “

  14. Malandro é malandro, mané, eternamente mané, sempre beltrano, nunca o tal!

    Enquanto a plebe rude dormita em fantasias e complexos de cahorro vira-latas, minhas moedinhas investidas nas indústrias farmaco-químicas e bélicas, também em contrabando e puteiros ou spas e empresas de saúde, ganham dimensões de um conto ou complexo de Midas…assim não será agentes da CIA, Farcs, PT ou compulsivos milicianos gazeteiros,de letras miúdas e conteúdos venais à luz de holofotes dos tablados midiáticos que embaraçarão a beleza de minha imagem refletida no espelho e comprometarão meu desempenho nas alcovas e jogos de amarelinda da vida.

    Vá lá, os médicos cubanos chegam como semi-escravos…com um adendo, em terras que em dias de senzala e casa-grande, a vida de um escravo em pleno gozo de sua força de tração, como mercadoria, valia mais do que qualquer assalariado aos dias de hoje por periferias mundo a fora.

  15. Eu já tinha lido que não iam permitir isso, não. Prefeitura que demitisse, iria estar cortada do programa. É que a página onde está o link com esta informação está fora do ar. O que não vai impedir de as prefeituras agirem de outra forma, como disse uma colega, organizaremm sessões para convencer os médicos a se demitirem e se inscreverem no programa mais médicos.

  16. Tirando as crítricas da parte médica que são justas ou justificadas, uma boa parte está tendo uma postura ELITISTA E PRECONCEITUOSA, sim e ´por causa de uns, todos pagam. O PT está se servindo bem do elitismo dos médicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *