“Mamãe me ensinou a não ser boca suja”, diz Weintraub sobre xingamento ao STF

“Não sou de falar palavrão”, justifica-se Weintraub

Marina Barbosa
Correio Braziliense

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, negou-se a responder se xingou ou não os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na reunião ministerial cujo vídeo foi requisitado pela Suprema Corte. Questionado sobre o assunto em uma aparição relâmpago no programa de Datena, Weintraub esquivou-se: “Mamãe me ensinou a não ser boca suja”.

“Fui o ministro que bateu recorde de idas ao Congresso sobre pressão. Se me mostrar um palavrão que eu falei, na hora eu peço desculpa. Não sou de falar palavrão”, disse Weintraub, no programa do Datena transmitido na Rádio Bandeirantes nesta sexta-feira, dia 8, enquanto o Palácio do Planalto buscava uma forma de não entregar o vídeo completo da reunião ministerial do último 22 de abril ao STF.

ACUSAÇÕES – O vídeo foi solicitado pelo ministro Celso de Mello dentro do inquérito que investiga as acusações do ex-ministro Sergio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro teria tentado interferir na autonomia da Polícia Federal (PF). Nesta reunião, Bolsonaro teria cobrado acesso a relatórios de inteligência da PF e teria ameaçado demitir Moro caso ele não trocasse o superintendente da corporação no Rio de Janeiro.

Nesta mesma reunião, contudo, o ministro Abraham Weintraub também teria dito que o STF é composto por “11 filhos da puta”, como noticiou a colunista do Uol Thaís Oyama. Por conta disso, o Planalto limitou-se a enviar uma versão editada do vídeo à Suprema Corte.

NEGATIVA – Pressionado por Datena para dizer se fez ou não esse xingamento, o ministro da Educação emendou: “Não costumo xingar, nem falar palavrão. Não é do meu feitio”. O apresentador da Band ainda insistiu, dizendo que Weintraub poderia não ter falado palavrão, mas ter xingado os ministros do STF assim mesmo.

Mas, a partir daí, o ministro da Educação tentou fugir do assunto, dizendo que Datena deveria convidá-lo para o programa para que ele pudesse falar mais. Weintraub entrou de surpresa no programa de Datena quando foi ao gabinete do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para uma reunião nesta sexta-feira.

Onyx falava com Datena sobre o auxílio emergencial de R$ 600 e disse que deixaria a entrevista por conta da chegada de Weintraub. O apresentador do programa não perdeu, portanto, a oportunidade de ironizar a situação.

FRIA – “Nesse governo é ministro colocando ministro em fria. O Onyx tem que responder sobre o auxílio emergencial, aí vai embora e deixa o Weintraub. Xingou ou não, ministro? É fria em cima de fria”, brincou Datena. Antes de desligar, Onyx tentou, então, amenizar a situação do ministro da Educação. Para isso, criticou a decisão do STF de solicitar o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril.

“Alguém aí já viu o STF americano pedir o resumo das decisões do governo americano tomadas em uma reunião entre o presidente e seus ministros? Já viu isso na Alemanha, na França, na Espanha? Não, porque, nessas reuniões, tratamos de questões importantíssimas, que tratam da vida do país. Isso não tem paralelo em lugar nenhum no mundo. Acho que essa questão deve ser tratada com equilíbrio e bom senso”, afirmou Onyx, fazendo Datena mudar o tom da conversa e dizer que o pedido poderia até ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional.

8 thoughts on ““Mamãe me ensinou a não ser boca suja”, diz Weintraub sobre xingamento ao STF

  1. Em breve o STF será humilhado. Estão pedindo para serem desrespeitados. Daqui a pouco vão exigir qcJB faça exame de fezes e por aí vai. Vão impedi-lo de falar. Já não basta o cara ser Barraqueiro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *