Mandetta diz que Bolsonaro jogou política com a vida dos cidadãos : “Ele ouve, mas não ouve. Ele olha, mas não vê”

Mandetta atacou a “sabotagem completa” de Bolsonaro na Saúde

Deu no Estadão

Em entrevista ao jornal The Guardian, Mandetta acusou o presidente brasileiro de desempenhar um papel “fundamental” na condução do Brasil para uma catástrofe. “Bolsonaro jogou política com a vida dos cidadãos em um momento de crise global”, disse ele.

O Brasil hoje tem mais de 105 mil mortes relacionados a covid-19 Atrás somente dos Estados Unidos, tanto em número de casos e óbitos. Mandetta, que insinuou que vai desafiar Bolsonaro para a presidência em 2022, tornou-se um nome familiar nos estágios iniciais da pandemia deste ano. Ele arrancou elogios da esquerda e da direita por seus alertas acessíveis e baseados em ciência sobre a ameaça do coronavírus durante conferências diárias de imprensa.

DESAFIO – O médico ortopedista foi nomeado ministro da saúde em novembro de 2018, logo após a eleição de Bolsonaro. Mas ele foi demitido em meados de abril, depois de ser desafiado publicamente por Bolsonaro em relação ao distanciamento social. No dia em que Mandetta foi demitido, o número de mortos de covid-19 no Brasil era cerca de 2 mil. Quatro meses depois, subiu para mais de 105 mil. O ex-ministro é um dos muitos que culpam Bolsonaro pela escala da tragédia.

Segundo ele, a luta contra a covid-19 foi fatalmente comprometida pelo “desprezo absoluto pela ciência” de Bolsonaro – que menosprezou a doença como uma “pequena gripe” e apoiou diversas vezes tratamentos ineficazes, como a cloroquina e hidroxicloroquina. “É interessante que ele rejeite totalmente a ciência e zombe de todos aqueles que falam de ciência. No entanto, quando há qualquer perspectiva de uma vacina ele é o primeiro a vir bater na porta da ciência … como se uma vacina iria redimi-lo de sua marcha desconcertante através desta epidemia”, disse ele ao jornal britânico.

Mandetta também atacou a “sabotagem completa” de Bolsonaro no Ministério da Saúde. Depois que Mandetta e sua equipe foram despejados, outro ministro da saúde, Nelson Teich, assumiu o comando, mas durou menos de um mês depois de também entrar em conflito com o presidente sobre a covid-19. Desde maio, o ministério tem um general do exército sem experiência médica como líder interino.

ALERTA – “Quando você está em uma situação onde você se cerca de pessoas que dizem o que você quer ouvir e não a verdade … o líder acaba cegando a si mesmo para o que está acontecendo”, afirmou Mandetta. “Ele ouve, mas não ouve. Ele olha, mas não vê.” O ex-ministro ainda alertou que, sem uma mudança urgente na direção, o número médio de mortes diárias – que tem sido próximo ou superior a 1.000 por quase três meses – só poderia cair no final de setembro.

“Espero que o líder que sair vitorioso em 2022 seja capaz de reconstruir o tecido social quebrado do Brasil, dando a este país um senso de unidade… e aceitar que não é normal sair por aí dizendo que os brasileiros gostam de rolar no esgoto”, disse Mandetta.

7 thoughts on “Mandetta diz que Bolsonaro jogou política com a vida dos cidadãos : “Ele ouve, mas não ouve. Ele olha, mas não vê”

    • Diante da situação de pandemia e no cargo de presidente do Brasil, a atitude e o comportamento previsível parecia óbvio, mesmo para quem conhecia há muitos anos: prudência, bom senso, respeito as normas, ainda que não concordasse. Pelo menos, o risco de sair lesionado seria mínimo, pois ninguém poderia culpá-lo. Fez tudo ao contrário…

  1. CRÍTICA DO FILME BACURAU

    Há algo de profundamente perturbador em Bacurau, de Kleber Mendonça
    Filho e Juliano Dornelles, talvez o mais importante filme contemporâneo sobre o Brasil distópico da era Bolsonaro. Mesmo tendo sido filmado antes das eleições de 2018 e da catástrofe política em
    andamento, Bacurau é um filme visionário e violento, uma ficção científica e política que não tem nada de alegórica. Ao contrário, é explícita e brutal, de uma lucidez aterradora.

    Um filme em que os gêneros faroeste, ficção científica, filme de terror, filmes de ação hollywoodianos, rambos e exterminadores se encontram com um rural contemporâneo que explode clichês.

  2. Pela intensidade dos ataques é fácil identificar quais personagens ameaçaram mais perigosamente a farsa “Bolsonaro”.
    Alguém lembra dos ataques e críticas, ao Bivar, na época do divórcio PSL/Jair?

  3. Mandetta, fez essas declarações para “inglês escutar”, porém aqui sabemos qual era sua ciência. O infetado ia ao posto de saúde e falavam que “fosse a casa e quando voltava por falta de ar diziam que aguenta-ze um pouquinho mais”, essa era a ciência do Mandetta. Pois é certo que a ciência não tinha nenhum medicamento comprovado cientificamente para receitar contra o COVID e assim todo quem estivesse infetado praticamente era condenado a morte. A experiência de alguns médicos que recetaram hidroxicloroquina, ivermectina e dióxido de cloro ajudou a curar a alguns infetados como foi o caso do Dr Kalil e outros mais. Se os médicos utilizavam esses medicamentos “sem comprovação científica” e foram curados e estan vivos, porque o Mandetta não permitia que fossem utilizados pela população? Mandetta é muito cínico e sua gestão foi ruim para a saúde dos brasileiros. Mandetta vai enganar os gringos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *