Mandetta muda o tom e adverte Bolsonaro e ministros em reunião sobre a gravidade da pandemia

Mandetta ratificou a necessidade de alinhamento das ações

Eliane Cantanhêde
Estadão

Ao frisar que a pandemia de coronavírus não é uma “gripezinha”, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, apresentou cenários possíveis para a doença no Brasil e advertiu o presidente Jair Bolsonaro e outros ministros durante reunião tensa neste sábado, dia 28, que, se morrerem mil pessoas, será o correspondente à queda de quatro Boeings.

Depois, perguntou: “Estamos preparados para o pior cenário, com caminhões do Exército transportando corpos pelas ruas? Com transmissão ao vivo pela internet?”

“AMBIENTE FAVORÁVEL” – Conforme o Estado apurou, Mandetta fez um apelo para o presidente criar “um ambiente favorável” para um pacto entre União, Estados, municípios e setor privado para todos agirem em conjunto, unificar as regras e medidas e seguir sempre critérios científicos. Sugeriu, inclusive, a criação de uma central de equipamentos e pessoal, para possibilitar o remanejamento de leitos, respiradores e até médicos e enfermeiros de um Estado a outro, rapidamente, dependendo da demanda.

O ministro também pediu ao presidente para não menosprezar a gravidade da situação nas suas manifestações públicas e, por exemplo, não insistir em ir a um metrô ou um ônibus em São Paulo, como chegou a aventar em entrevista coletiva.

AMEAÇA – Mandetta deixou claro que, se o presidente fizesse isso, seria obrigado a criticá-lo. E Bolsonaro rebateu que, nesse caso, iria demiti-lo. Ainda conforme fontes informaram ao Estado, Mandetta também disse que ele e sua equipe não vão pedir demissão no meio da crise, mas estão prontos a sair depois dela se for o caso.

Ele, inclusive, se colocou à disposição para assumir a função de “bode expiatório”, em caso de fracasso, e se comprometeu a não capitalizar politicamente, em caso de sucesso. Disse que não tem ambições políticas nem reivindica nenhuma posição de destaque.

“FREIO DE ARRUMAÇÃO” – Apesar desses momentos mais tensos, ministros presentes consideraram que o resultado foi bom e que a reunião serviu como um “freio de arrumação”, até porque, de outro lado, todos, inclusive o próprio Mandetta, concordaram com a preocupação de Bolsonaro em preservar ao máximo a economia, o funcionamento dos transportes e da infraestrutura em geral.

Estavam presentes, além de Bolsonaro e Mandetta, os ministros Fernando Azevedo (Defesa), Sérgio Moro (Justiça), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria do Governo), Braga Neto (Casa Civil), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e André Mendonça (AGU) e Antonio Barra Torres (Anvisa). Um dos temas foi justamente o risco de uma enxurrada de ações na Justiça, com Estados, municípios e União questionando medidas uns dos outros. Esse, inclusive, foi tema da primeira reunião do sábado de Bolsonaro, que foi com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

MESMO DISCURSO –  Os que viram a entrevista coletiva de Mandetta com sua equipe, após a reunião com o presidente, disseram que, apesar de mais sutil, ou subliminar, ele basicamente repetiu o que disse no Palácio da Alvorada.

Em ambas, defendeu a uniformização das medidas de isolamento, disse que alguns setores realmente precisam funcionar e que o vírus não apenas mata pessoas como afeta todo o sistema de um País. Além disso, deu um freio na versão de que a hidroxicloroquina é uma “panaceia” e vai curar a doença a curto prazo.

CARREATAS – Na coletiva, o ministro criticou as carreatas pela reabertura do comércio. Os atos foram defendidos por Bolsonaro, que chegou a compartilhar vídeos nas redes sociais. “Fazer movimento assimétrico de efeito manada… Daqui a duas semanas, três semanas, os que falam ‘vamos fazer carreata’, vão ser os mesmos que ficarão em casa. Não é hora”, disse Mandetta.

 Na reunião de presidentes e primeiros-ministros do G-20 na quinta-feira, Bolsonaro falou com entusiasmo do uso do medicamento no combate ao coronavírus e dos prazos para a conclusão das pesquisas, mas Mandetta é bem mais cauteloso. “Estamos na pista, mas os estudos são muito incipientes”, disse o ministro.

Aliados de Mandetta no DEM e seus assessores na Saúde garantem que ele não será desleal, não pede demissão e sempre repete que não abandonará o barco em meio à tempestade, ou seja, quando a pandemia começa a entrar na sua fase mais crítica.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGQuem pensou que a reunião prosperou em resultados se enganou. Neste domingo, Bolsonaro tratou de mostrar que ele faz o que quer, contrariando qualquer recomendação. Se juntou a apoiadores, promovendo a quebra de protocolos e discursando a favor do fim parcial do isolamento. (Marcelo Copelli)

19 thoughts on “Mandetta muda o tom e adverte Bolsonaro e ministros em reunião sobre a gravidade da pandemia

  1. Vejam no blog
    Diário do Poder,
    de Brasília,
    um resumo de quanto recebe deputado e senador.
    Não falam em fazer nenhuma diminuição.
    São todos uns crápulas, canalhas. Ficam em casa, nem para aprovar, via internet, o que interessa à população.
    Vejam no blog que citei.
    Só fechando aquelas pocilgas.

    • “Estamos trabalhando com hospitais suíços em possíveis protocolos de tratamento para o uso clínico do medicamento, mas ainda é cedo para dizer algo definitivamente”.

      Mas o bolsotrouxa não sabe ler direito….

  2. Apesar do anonimato, nada impede que o texto seja analisado com atenção.
    Almejo para o meu país trabalho, ensino de qualidade para todos, produtividade, um mercado consumidor portentoso, segurança pública, saúde pública, infra-estrutura em todo o Brasil, que todos os domicílios sejam providos de coleta de esgoto sanitário e abastecimento de água potável, pois esses são requisitos essenciais para a força de uma nação.

    “Difícil administrar um reino onde uma parte tem medo da morte, outra tem medo da fome… e a terceira quer atear fogo no castelo.
    Só espero que, ao final de toda esta crise, os que estão com medo da morte e os que estão com medo da fome se unam contra os que querem atear fogo no castelo.”

    Autor desconhecido.

  3. Sinceramente, eu não esperava que uma crise de saúde pública mundial redundasse em comentários idiotas e imbecis – e não vou usar eufemismos!

    Quanta ignorância e estultice.

    Discutir sobre o vírus, se a pessoa fica em casa, conforme apregoam os médicos do mundo inteiro ou que vão trabalhar, e qualificar o primeiro caso como de esquerda e, a outra parte, de direita, pois séria e honesta, é o quadro da dor sem moldura!

    Quero ver como será dentro de 30 dias.

        • Hummm kkk KKK kkk

          O rei Davi, após vencer todas as guerras, exercia domínio desde a fronteira com o Egito até a margem ocidental do Eufrates; sendo que Jebus foi a última conquista na Terra Prometida … tendo Davi mudado a capital para a recém conquistada Jerusalém.

          Até que houve um dia em que Satã levou Davi a implantar 5G, IA, internet das coisas, trans-humanismo etc por um censo que desagradou Papá … e com a peste morreram 70.000 em Jerusalém … … … até que Davi negociou com o jebuseu e dele comprou a terra onde ofertou e Papá aceitou.

          Recebi resposta do César Maia de que teria repassado à Presidência da Câmara dos Deputados o pedido feito pelos Palestinos no sentido do então visitante Eduardo Cunha ser mediador kkk KKK kkk Não soube de resposta do EC nem do atual Rodrigo Maia … … … você soube??? ??? ???

          Sds.

  4. “-O coronavírus é uma doença séria ou uma gripezinha?
    -Ele [o vírus] é sério. O presidente, quando fala de gripezinha, é o linguajar dele. Busca passar certo grau de confiança para a população. Aí a turma fica com raiva e quer pular na jugular dele.”

    Pergunta capciosa! É a imprensa lixo querendo jogar o vice contra o presidente.

  5. Bolsonaro não tem culhão para demitir Mandetta, sabe que os militares não vão permitir e vai ter que engolir em seco. Agora, continuar com sua postura diante da pandemia e apoiado por seus fanáticos é natural. Afinal a esquerda acredita que Lula seja a alma mais honesta que já existiu no planeta. Acredito que após o fechamento quanto ao entendimento sobre o avanço da doença, o Brasil deverá adotar o enfrentamento praticado no Japão e Coréia do Sul. A tempo, votei em Bolsonaro.

  6. SOBRE MINHAS SUSPEITAS DE QUE ANIMAIS TAMBÉM PODEM CONTAMINAR HUMANOS COM O CORONAVIRUS E UM DIA DEPOIS ENCONTREI UM COMUNICADO DO LABORATÓRIO SÉRGIO FRANCO, DO RIO DE JANEIRO DIZENDO QUE ANIMAIS PODEM CONTAMINAR HUMANOS. AMBOS OS ARTIGOS ESTÃO PRESENTES NOS DOIS LINKS ABAIXO :

    1. MEU COMENTÁRIO INICIAL EM 29/03/2020 :

    http://tribunadainternet.com.br/bolsonaro-sai-as-ruas-de-brasilia-e-grava-videos-quebrando-as-regras-de-isolamento/#comment-720392

    2. A IFORMAÇÃO DO LABORATÓRIO SÉRGIO FRANCO QUE ENCONTREI NO DIA 30/03/2020 CONFIRMANDO QUE ANIMAIS PODEM CONTAMINAR HUMANOS

    https://sergiofranco.com.br/coronavirus-o-que-voce-precisa-saber

    A MEU VER, É UM FATO AINDA NÃO COMENTADO, E PRECISAMOS ESTAR ALERTA SOBRE ISSO (Observação : a expressão precisamos estar alerta é a forma correta de escrever. A palavra alerta não se flexiona, como muitos fazem inadvertidamente) Estaria errado se eu escrevesse “Precisamos estar alertas sobre isso” Só para constar da informação escrita corretamente.

  7. A ESQUERDA e MÍDIA PORCA são duas desgraças, digo situações que desafiam o país. Um material orgânico em avançado estado de decomposição.

    Não existe atualmente NINGUÉM no país mais qualificado para enfrentá-los. Cordialidade, educação esmerada, polidez, tratos refinados são atributos que a esquerda brasileira nunca teve, mas é rápida e cínica em cobrar dos outros.

    Apenas o presidente fala o que o ronco das ruas murmura a todos instante. Estamos juntos presidente de todos os brasileiros Jair Messias Bolsonaro.

  8. Mandetta sobre a impren$a:
    1. Desliga a televisão.
    2. Ela é tóxica.
    3. Produz matérias sórdidas.
    4. Só fala de morte.
    5. Converse com a sua família e discuta valores.

    Mandetta sobre Bolsonaro:
    O presidente esta 100% correto.

    A impren$a esta ofendida. Imperdoável a palavra do ministro. Quem ele pensa que é?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *