Manoel Dias no Trabalho faz Dilma perder votos

Pedro do Coutto

 

Até o momento em que escrevo este artigo surpreendentemente Manoel Dias, depois da entrevista a O Globo, continua ministro do Trabalho. Nesta semana que está terminando ele desafiou e ameaçou a presidente da República. Incrível. Na edição de quinta-feira da Folha de São Paulo, Natuza Nery e Breno Caldas publicaram reportagem sustentando que o Planalto está aceitando manter Manoel Dias para que o PDT não deixe a coalizão de partidos que apoia o governo. Dilma Rousseff, sustentam Natuza e Breno, estaria empenhada na blindagem de Dias.

Se assim for a presidente estará caindo num equívoco. Sobretudo em relação à sucessão presidencial de 2014. Manoel Dias nada acrescenta ao governo. Ao contrário. Tira votos. Sua presença na pasta contribui para desgastar a imagem do governo, que inclusive se encontra em período de recuperação junto à opini9ão pública, como as pesquisas vêm demonstrando.

Isso de um lado. De outro, ele nada faz de positivo, esteriliza o peso político do Ministério do Trabalho. Foi sufocado por uma onda de fraudes que terminou revelada pela imprensa e acarretou a demissão de alguns de seus principais auxiliares. Só ele não viu os desvios praticados através do repasse ilegal de verbas para ONGS cujos recibos eram notas frias emitidas. O que o Ministério do Trabalho pode fazer de útil e positivo, dentro da lei, não entra em análise. Não se inclui na esfera de uma verdadeira política. E, ainda por cima, não abrange os interesses legítimos dos cem milhões de trabalhadores que formam a mão de obra ativa brasileira.

PEDIDO DE DESCULPAS?

O  líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, informou à FSP que o ainda titular do Trabalho pensou até em divulgar pela imprensa um pedido de desculpas à presidente Dilma Rousseff. Seria algo nunca visto na política do país. Um ministro de estado desculpar-se publicamente com a presidente da República. A que níveis nosso cenário político conseguiu descer. Aceita-se a permanência de um ministro inusitado apenas para que o PDT não deixe a base governamental e, nas eleições de 2014, acrescente ao Planalto o tempo que, pela lei, possui na televisão e no rádio. Não importa sua atuação concreta à frente da pasta, não importam as fraudes que não conseguiu impedir, importa o apoio do PDT. Falso apoio, por sinal. Um ministro destrambelhado tira muito mais votos do que acrescenta.

E Dilma Rousseff precisa de votos na disputa pela sua própria sucessão. Há problemas nos três principais colégios eleitorais do país. São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Em São Paulo, o candidato do PT, Eliseu Padilha, enfrenta uma luta difícil contra o governador Geraldo Alckmim. Em Minas, base maior de Aécio Neves, quem será o candidato do PT? Talvez Fernando Pimentel. NO Rio de Janeiro, a base de Dilma encontra-se dividida entre Lindbergh Farias (PT) e Luiz Fernando Pezão (PMDB) apoiado por Sérgio Cabral, que se encontra em franco declínio. Existe ainda a candidatura Marcelo Crivella, cuja votação oscila sempre em torno de 20%. E, ainda por último, Anthony Garotinho, de boa penetração nos subúrbios e no norte fluminense. Garotinho apoiará quem p ara presidente da República? Um enigma a mais para 2014.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

17 thoughts on “Manoel Dias no Trabalho faz Dilma perder votos

  1. Há muito acabou o resquício de vergonha no pt. O cara ameaça, públicamente, contar os podres se for exonerado e a presidente recua! Admissão de culpa escancarada. Brasil, a corrupção te dominou!

  2. Que mal eu pergunte: Vocês já combinaram tudo isso com o Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Política-partidária-eleitoral, o Fato Novo de Verdade ? Será que Ele nadou, nadou e nadou por mais de 15 anos a fio em mares revoltos e vai se conformar e aceitar morrer, pacificamente, na praia do velho continuismo da mesmice, golpeado pelo dito cujo outra vez ? Que pena o PDT, do Aquino e do Lupi, de rabo preso com o fisiologismo chapa-branca, pois poderia ser o fiel escudeiro partidário, natural, do Fato Novo de Verdade, e expressão legítima do povo nas ruas do Brasil. Bye bye, PDT. Quem nasceu para ser rebocado nunca chegará à condição de rebocador. Bye bye, tristeza.

  3. O problema não é tanto o Ministro Sr. MANOEL DIAS, mas o PDT. A Presidenta DILMA ROUSSEFF, depois da perda do PSB, não pode agora perder o PDT (aliás seu antigo Partido), e outros, sob pena de ficar sem BASE ALIADA para enfrentar a re-Eleição. É impossível enfrentar a re-Eleição sem BASE ALIADA. É do nosso Sistema Político – (Presidencialismo de Coalizão). Para melhorar, só mudando para melhor nosso Sistema Político. É possível. Abrs.

  4. Pedro Couto, se você fosse filiado ao PDT(nem no Armagedon isso aconteceria), eu não teria dúvida de dizer que você fora infiltrado pelo general Golbery do Couto e Silva para desestabilizar o partido, assim como infiltrou muita gente para desestabilizar Brizola. Você zeloso com a profissão lê tudo ou quase tudo. Só não leu a declaração do presidente da CGU dizendo que nada do que estava acontecendo fora no período de Manoel Dias, tudo fora antes de sua chegada há seis mêses no Ministério. Independente disso você ainda carrega grande dose de ranço ideológico que o tempo não arrefeceu, contra os trabalhistas; esquece o preceito constitucional quanto da responsabilidade jurídica: A presunção da inocência deve ser atribuida a quem se vê alvo de acusações de atos ilícitos. Teu pensamento difere da Constituição: “Primeiro prende e condena os adversários ideológicos depois faz um julgamento parcial”.

  5. A Revolução Pacífica do Leão (RPL-PNBC-ME), o Novo Caminho para o Novo Brasil de Verdade, porque evoluir é preciso, que sugere 100 anos de estabilidade, prosperidade e alegria para o sofrido povo brasileiro,que é Nova, Boa, desce redonda e subirá lúcida a rampa do Palácio do Planalto,com a qual o
    Brasil pode mais, inclusive conquistar o IDH Número 1 do Planeta, em contraponto às condidaturas do velho continismo da mesmice (darlings da midia), aposta na indignação da abstenção,nulos e brancos (50% do eleitorado).Tudo isso porque acredita no MMilagre da multiplicação dos pães, dos peixes e das oportunidades à moda brasileira, porque o Papa Francisco é Nosso, porque Deus é brasileiro, porque os excluídos e humilhados serão exaltados, porque os últimos serão os primeiros , porque é brasileira com muito orgulho, com muito amor e não desiste nunca,e,sobretudo,porque se o Bicho não pegar em 2014, nada irá mudar de Verdade neste país. Quem viver verá.

  6. Pingback: Polícia e Politica com Alcindo da Anunciação Jr. » Blog Archive » Manoel Dias no Trabalho faz Dilma perder votos

  7. Interessante que nos Estados de São Paulo e Minas Gerais, Estados Governados pelo PSDB, a Grande Mídia e inclusive esse blog BRINDA OS GOVERNADORES TUCANO e ninguém comenta nada a respeito.
    O Geraldo Alckmin não deixa prosperar qualquer CPI, nada que envolve corrupção em seu Governo é devidamente blindado pela Grande Mídia, vide caso da ALSTOM E SIEMENS ( PROPINAS NO METRO DE SÃO PAULO )caso envolve bilhões,várias reportagens da Isto é vem trazendo a tona propinas a esse Governo Tucano e esse blog só publica colunas contra a Presidente Dilma e o PT.
    Ao responsável por esse blog eu mando um recado popular que diz o seguinte: O PAU QUE DÁ EM CHICO TEM QUE DAR NO FRANCISCO.

  8. Bortolotto você é um homem inteligente e não pode inclinar-se a acreditar nessas bobagens que escrevem e a manada despolitizada acredita. PT, Lula e Dilma não precisam do PDT para nada. Acontece que Manoel está mais do que certo. Disse de maneira pouco usual que ia tomar providências se fosse demitido. Se ele for demitido agora sem culpa de nada, fica a impressão que ele saiu porque está devendo alguma coisa. Seria ridículo se fosse verdade, Dilma segurar Manoel Dias envolvido em corrupção por causa das eleições de 2014. O PT está tão forte que é grande sua chance de tornar-se um novo PRI e ficar 70 anos no governo. Uma coisa eu digo: A possibilidade do PDT lançar candidato é de 98%. O segundo turno é outra coisa.

  9. Será que estas denúncias no MTE não tem nada a ver com a flexibilização da CLT? O PDT é contra; o PT e Lula sempre foram a favor; há boatos que podem levar a esta argumentação; já provaram algum coisa em relação ao Lupi? O tal instituto que aparece nas denúncias teve verbas de mais quatro ministérios; só no Trabalho é que “ocorreu corrupção”? Mais ainda: as verbas não foram destinadas aos municípios e não foram eles que fizeram as licitações?

  10. LULA E O TRABALHISMO
    Lula, em 21 de setembro de 1977, numa entrevista à revista Isto É: Não temos compromisso com ninguém, com esquerda, direita ou centro. Só com a classe trabalhadora. No passado, a classe trabalhadora foi usada pelo Partido Trabalhista Brasileiro, e farei de tudo para evitar que seja novamente usada.
    “Eu nunca fui um esquerdista”, declarou Lula numa entrevista à Agência Reuters, em 14.07.2006.
    Alguns deputados da esquerda do MDB articularam uma visita de Brizola a Lula, lá no sindicado, no início dos anos 80.
    Segundo Cibilis Viana, que participou da visita, Lula deixou Brizola chocado e muito amargurado. Ao recebê-lo em sua sala, o presidente do Sindicato sequer levantou-se da cadeira para abraçá-lo. Aquilo já foi uma ducha de água fria.
    Lula recebeu-o secamente e, para azedar o encontro, passou a desancar o antigo sindicalismo, que era controlado por pelegos do PTB, segundo ele. A coisa ficou feia quando ele, que já devia ter tomado alguma, começou a falar mal do presidente Vargas, ensejando um bate-boca que só não foi mais inflamado devido a providencial intervenção da turma do deixa disso. Mas nessa hora, o líder trabalhista interrompeu a conversa e foi embora sem maiores formalidades.
    Lula dizia que a CLT era o AI-5 dos trabalhadores e que Getúlio Vargas os tinha ferrado.
    Dois parágrafos da Carta de Princípios do PT, de 01.05.1979, detonam o trabalhismo:
    ” Cientes disso também é que setores das classes dominantes se apressam a sair a campo com suas propostas de PTB. Mas essas propostas demagógicas já não conseguem iludir os trabalhadores, que, nem de longe, se sensibilizaram com elas. Esse fato comprova que os trabalhadores brasileiros estão cansados das velhas fórmulas políticas elaboradas para eles. Agora, chegou a vez de o trabalhador formular e construir ele próprio seu país e seu futuro. Nós, dirigentes sindicais, não pretendemos ser donos do PT, mesmo porque acreditamos sinceramente existir, entre os trabalhadores, militantes de base mais capacitados e devotados, a quem caberá a tarefa de construir e liderar nosso partido. Estamos apenas procurando usar nossa autoridade moral e política para tentar abrir um caminho próprio para o conjunto dos trabalhadores. Temos a consciência de que, nesse papel, neste momento, somos insubstituíveis, e somente em vista disso é que nós reivindicamos o papel de lançadores do PT.

    As tentativas de reviver o velho PTB de Vargas, ainda que, hoje, sejam anunciadas sem erros do passado ou de baixo para cima, não passam de propostas de arregimentação dos trabalhadores para defesa de interesses de setores do empresariado nacional. Se o empresariado nacional quer construir seu próprio partido político, apelando para sua própria clientela, nada temos a opor, porém denunciamos suas tentativas de iludir os trabalhadores brasileiros com seus rótulos e apelos demagógicos e de querer transformá-los em massa de manobra para seus objetivos. ”
    Na época Brizola ainda não tinha perdido a sigla do PTB e estava tentando reorganizá-lo.
    Numa entrevista ao jornal O Globo, 13 de fevereiro, creio, de 2004, Lula declarou, sobre as reformas trabalhista e sindical, entre outras opiniões:
    “Não é possível continuar com uma lei da década de 40. Quando eu comecei a lutar no sindicalismo, em 1972, eu já lutava contra a CLT. Tem que flexibilizar”

  11. Sergio Oliveira, lembraste bem a visita que Brizola fez a Lula no Sindicato dos Metalurgicos no ABC, quando foi convidá-lo para refundar o PTB. Lula tratou Brizola com deselegância. Suando por todos os poros gritava: Eu sempre serei sindicaslista! Sempre serei sindicalista; nunca serei político! Depois disso Lula que tinha sido preparado fazendo curso sindical na John Hopkins University em 1972/1973 para contrapor-se aos sindicalistas que voltavam do exílio, teve por Golbery do Couto e Silva seu script mudado. Passou a ser o líder do PT partido dos Trabalhadores, deixando Dirceu, Mercadante, o casal Suplicy e outros em segundo plano. Depois de algum tempo Brizola cunhou a frase: O PT é a UDN de macacão. Isso porque o PT sempre tratou o PDT com preconceito e discriminação como fizera no passado a velha, raivosa e golpista UDN.

  12. Quando Garotinho saiu do PDT, em 2000, os que o acompanharam teriam atirado as bandeiras do PDT no chão, pegando após as do PSB, para onde foram, numa espécie de rito de passagem, conforme consta no site do PDT. Continuaram sendo brizolistas no PSB? Do PSB o Garotinho foi para o PMDB. Eles foram juntos? Continuaram sendo brizolistas no PMDB? A seguir Garotinho foi para o PR, para ser dono do mesmo no Rio de Janeiro. Estão lá com ele, sendo brizolistas no PR. Brizolistas itinerantes. Eles estão surfando na onda das denúncias em relação ao Ministério do Trabalho. Valdemar Costa Neto, uma das figuras do mensalão, é do PR de São Paulo. Continua como presidente de honra do PR? Os brizolistas do PR do Rio dizem o que disto? Ou a contrariedade deles com coisas erradas é seletiva? O PR é o antigo PL.
    Valdemar Costa Neto foi filiado a Arena, PDS, PL e atualmente PR. Bem de acordo com os “esquerdistas brizolistas” (ou não são esquerdistas) do PR do Garotinho. Valdemar está entre os nove deputados que votaram a favor da PEC 37 no dia 25 de Junho de 2013, que limitaria poderes de investigação do Ministério Público (verdade?). No entanto, a PEC 37 foi derrubada com 430 votos contra e 9 a favor.

  13. Sergio Oliveira tudo isso é irrelevante. Quem saiu do partido, saiu. O destino deles não nos interessa. Mesmo porque, Garotinho foi um dos infiltrados no PDT por Golbery para desestabilizar Brizola. Outra coisa muito importante saber: Não existe “Brizolismo” o que existe é Trabalhismo. Brizola(fundador do velho PTB) não deixou um ideário. Deixou-nos uma trincheira de luta que é o PDT. Quando Getúlio morreu apareceram os saudosistas que se diziam getulistas. Quando Jango morreu apareceram os saudosistas dizendo-se janguistas, morreu Brizola aparaceram os saudosistas dizendo-se brizolistas. MAS TAMBÉM APARECERAM OS OPORTUNISTAS USANDO O NOME DE BRIZOLA, INCLUSIVE OS SEUS NETOS. Na realidade nós somos trabalhistas. Eu costumo dizer: SOU TRABALHISTA SEGUIDOR DE GETÚLIO,JANGO E BRIZOLA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *