Marcado para morrer, Paulo Roberto Costa terá proteção da Polícia Federal em casa

 Foto: Reprodução de vídeo/G1

Paulo Roberto Costa é abraçado por sua filha na chegada ao Rio

Deu no Correio Braziliense
A advogada Beatriz Catta Preta, que defende o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, disse que seu cliente terá proteção permanente da Polícia Federal (PF). Costa foi beneficiado com a delação premiada e, por isso, foi transferido na tarde de quarta-feira (1º/10) da Superintendência da PF em Curitiba, onde estava detido em prisão preventiva, para sua casa, no Rio de Janeiro.
“Ele terá proteção ostensiva da Polícia Federal nesse início. Ele ficará em casa, em prisão domiciliar, e só poderá sair de casa com autorização judicial. Se, no prazo de um ano, não houver sentença prolatada nos autos onde corre o acordo [de delação premiada], ele fica em liberdade aguardando a prolação da sentença”, disse a advogada.
Catta Preta acrescentou que, com a decretação da sentença, o juiz avaliará a colaboração de Costa e os efeitos alcançados para o processo. “Ele vai, então, aplicar a pena que, segundo o acordo, tem seu patamar máximo de dois anos em regime semiaberto”, explica.

No cumprimento da pena em prisão domiciliar, o ex-diretor usará uma tornozeleira eletrônica. Costa é investigado pela PF, por suspeita de participação em um esquema de corrupção da Petrobras, e decidiu colaborar com as investigações em troca de redução de pena.

8 thoughts on “Marcado para morrer, Paulo Roberto Costa terá proteção da Polícia Federal em casa

  1. Aproveito esse espaço para fazer um comentário sobre o debate para
    governadores do Rio de Janeiro na Globo às 22,50 horas, horário proibitivo a quem trabalha. As perguntas eram feitas de candidato para candidato, com livre escolha o que daria entre pergunta, resposta, réplica e tréplica, 4 minutos para ambos apresentarem suas propostas. Notei que o Garotinho estava sendo preterido. No último bloco de perguntas , confirmei: O Lindberg perguntava ao Crivella e vice versa;
    o Pezão peguntava ao Tarcísio e vice versa, ganhando ambos 8 minutos O garotinho, não foi perguntado por nenhum dos candidatos, teve apenas o direito de fazer uma pergunta, isto é, tendo apena 4 minutos juntamente com seu oponente.
    Não tenho admiração pelo Garotinho, mas o correto, seria todos terem o mesmo tempo,
    Se hoje, o debate para Presidente for da mesma forma, algum candidato pode ser preterido.

  2. Nélio, também não tenho admiração pelo Garotinho, porém tive a mesma impressão… Sabe qual é o meu problema, amigo? Tenho menos admiração por Pezão & Cia… O Rio de Janeiro não merecia isso…

    PS.: Lindbergh admite que combinou troca de perguntas com Crivella ( O Globo ).

  3. Carlos Newton, bom dia.
    Pergunto se há um canal direto em que se possa sugerir ou mostrar um artigo relevante que vimos em outros sites, o que ocorre com frequência.
    Só conheço este canal de Comentários, que fica interno a um artigo publicado e, necessariamente, não passa por suas mãos. Sem falar que desfoca o leitor ao tratar de um assunto como sendo comentário de outro assunto, completamente diferente.
    Isto, por exemplo e a meu ver, não deveria sair publicado neste artigo do Correio.

  4. E Corre risco de vida sim. Se ele, que era de 2.º escalão, assumiu que levou e vai devolver R$ 70, milhões, o 1.º escalão não levou nada? A Dilma não escutou o Wokshop que o PC petista teve de realizar como ajuste de conduta, no processo CVM n.º RJ 2009/3049? Ele não admitiu ter rebebido U$ 23 milhões da empreiteira da qual o Lula é Camelô?

  5. Somando-se com a delação do Youssef, quantos possíveis futuros condenados a população estará elegendo? Será que a Dilma terá a mínima condição de governabilidade com a sua base sofrendo vários processos? Perguntas para novembro…..

  6. É verdade Nelson, aqui no Rio está difícil escolher um candidato
    para o segundo turno e, o que tudo indica, ficará entre o Garotinho e o Pezão? Devo ficar com Garotinho, pelo fato do Pezão ser o candidato
    do Sérgio Cabral e ainda é do PMDB, o segundo pior Partido, só superado
    pelo PT.

  7. Sei não…
    Imagino que um dos fatores que levou o juiz Sérgio Moro e o ministro Teori, do STF a concordarem com a prisão domiciliar do Paulo Roberto Costa, foi o de que mesmo na cadeia, no Paraná, ele estava à descoberto para uma possível queima de arquivo.
    Inclusive, o ex-diretor da Petrobras, denunciou que determinado agente da PF insistia na ameaça; ele chegou a ser fotografado com carta em que descreve todo o teor da ameaça. Sobre o assunto, ficou o compromisso da PF em investigar o agente e a ameaça.
    Pelo sim, pelo não, o alerta ajudou na decisão da prisão domiciliar, com direito a tornozeleira eletrônica e agentes da Polícia Federal garantindo sua segurança 24 hs, com ele impedido de sair de casa, até segunda ordem.
    O que fica claro em todo esse cenário, é que o delator corre mesmo risco de um atentado contra sua vida ou integridade física.
    Tornou-se um alvo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *