Marcelo Odebrecht comandava pessoalmente o “Departamento de Propinas”

Charge do Renner, reprodução do Jornal Zero Hora

Bela Megale
Folha

Um dos funcionários da Odebrecht afirmou em depoimento ao juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato, que o Departamento de Operações Estruturadas do grupo baiano, apelidado de Departamento de Propinas, respondia diretamente ao diretor-presidente da empresa Marcelo Odebrecht, preso há mais de um ano. Segundo o funcionário Marcos Paula Sabiá, que atua no segmento de recursos humanos da empresa, Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, preso em março na 26ª fase da Lava Jato, era o chefe do Departamento de Operações Estruturadas e na “macroestrutura [do grupo] ficava ligado ao diretor presidente”.

O departamento é apontado pelos investigadores como a área responsável pelo pagamento de propina da companhia. Em delação premiada firmada com a força-tarefa da Lava Jato, a ex-secretária Maria Lúcia Tavares explicou como funcionava a movimentação de recursos ilícitos no setor.

NÃO SABIA DE NADA – Questionado por Moro se o diretor-presidente era Marcelo Odebrecht, o funcionário respondeu que sim. No entanto, Sabiá afirmou que não tinha conhecimento sobre as atividades realizadas pelo suposto setor que pagava propinas.

Ele foi uma das testemunhas que prestou depoimento nesta quarta (20) na ação que investiga funcionários da Odebrecht que trabalharam no Departamento de Operações Estruturadas, assim como colaboradores que prestaram serviços à área.

Procurada para se manifestar sobre o assunto, a Odebrecht afirmou que não se manifestará.

TIETAGEM DO PADRE – O padre Luis Moreira Simões de Oliveira, convocado pela defesa do investigado Hilberto Mascarenhas, aproveitou o depoimento ao juiz Sergio Moro para tietá-lo.

No fim do interrogatório, ao agradecer o padre pela colaboração, Moro ouviu como resposta: “Foi um prazer falar com o senhor. Todos brasileiros gostariam de falar”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Bem, agora dá para entender perfeitamente a resistência de Marcelo Odebrecht, que lutou muito para não fazer delação premiada. Em seus próximos depoimentos ele vai destruir a carreira de dezenas de políticos famosos, pelo menos, mas o que se diz na Lava Jato é que a lista da empreiteira contém mais de 300 nomes. (C.N.)

9 thoughts on “Marcelo Odebrecht comandava pessoalmente o “Departamento de Propinas”

  1. Responderam o que não foi perguntado. Datafolha cria inteligência artificial para a burrice natural do nosso jornalismo… kkkkkaaaasss

    ” A gerente do Datafolha Luciana Schong afirma que as perguntas foram determinadas pela Folha. Ela reconheceu que é enganoso afirmar que 3% dos brasileiros querem novas eleições já que os entrevistados não foram questionados sobre isso.

  2. Oi gente,
    Newton e todos os demais,

    FELIZ DIA DO AMIGO VIRTUAL

    Atrás de cada nome existe alguém de carne, ossos e sangue, precisamos uns dos outros.

    Olhem, passei o dia chumbada. Agora à noite saí pra ir à padaria. Ruas vazias, padaria sempre lotada, vazia. Também não costumo ir lá tão tarde. É o frio.

    Gente caminhando e algumas pessoas sem casaco, morro de inveja. Só não cobri os olhos.

    Bem, será que MO vai mesmo falar tudo? E em falando tudo ficará solto ou irá pra prisão domiciliar?

    Parece tão remota a possibilidade que custo a acreditar nela. Mais de trezentos nomes? Uma barbaridade.

    Parece que Marcelo não vai querer deixar a prisão em que se encontra. O risco aqui fora será ENORME.

    Não entendem, ou não querem entender que ele não tem alternativa. Ele até gostaria de não ser obrigado a fazer a premiada. Evitou o quanto conseguiu. Está fazendo porque não tem mais jeito.

    Não acho justo a OAS e a Odebrecht estarem disputando a premiada. Se há delação das duas empresas, ambas devem ser contempladas. Essa coisa de quem chegar primeiro parece ser apenas um jeito de apressar as delações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *