Marco Aurélio Garcia ironia atuação de Serra e critica o “golpe do tipo novo”

Garcia defende a política externa dos governos do PT

Lu Aiko Otta
Estadão

Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial para assuntos internacionais nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, rebateu o discurso de posse do ministro José Serra (Relações Exteriores), no qual o tucano afirmou que a diplomacia brasileira atenderá aos interesses de toda a sociedade, e não de um governo ou de um partido. Segundo o petista, as declarações de Serra contêm “imprecisões” e estão vinculadas ao que chamou de “aspirações” do ministro de ser candidato à Presidência, em 2018.

“Para defender o interesse nacional, é preciso saber o que é. Não é o que está na cabeça de pessoas iluminadas, mas é algo que decorre da vontade popular”, disse Garcia. Para ele, as urnas em 2014 deram a vitória ao projeto do PT, que seria representado somente por Dilma.

AMÉRICA LATINA E ÁFRICA

Garcia disse ter visto o discurso de Serra como uma “ameaça” a um preceito da política externa das gestões petistas: uma ênfase à América Latina. “Não vimos nenhuma manifestação entusiasmada com o golpe de tipo novo que teve no Brasil.”

Garcia apontou como exemplo de “imprecisões” do novo governo a decisão de dar prioridade aos acordos bilaterais e, ao mesmo tempo, ressaltar a importância do acordo entre o Mercosul e a União Europeia, que é multilateral.

Sobre as críticas à ênfase dada a países africanos, Garcia disse que “papel aguenta qualquer coisa”. Ele afirmou que, nas gestões do PT, o comércio com a África quintuplicou. “Isso não é só compaixão.”

15 thoughts on “Marco Aurélio Garcia ironia atuação de Serra e critica o “golpe do tipo novo”

  1. Garcia disputava com Dilma o campeonato de quem dizia mais asneiras.
    Melhor faria se voltasse para a sua Porto Alegre e ficasse esperando por Dilma, para continuar a disputa do besteirol em terras gaúchas.

    • Celso,
      Por que “terras gaúchas”?
      Por acaso o meu RS não pertence ao Brasil?
      Ora, a mesma estupidez, as mesmas idiotices, que Dilma e Marco Aurélio faziam em Brasília, DF, território brasileiro, farão também no Rio Grande, que é um dos Estados da Federação!
      Olha o preconceito, guri, não faz bem a quem quer que seja, principalmente a nós, gaúchos, catarinenses, paranaenses, paulistas, cariocas, mineiros, cearenses, pernambucanos, paraenses, amazonenses, baianos, sergipanos, alagoanos, … brasileiros, enfim.
      Já basta o PT!

  2. Com certeza, devo entender daquilo que o Sr. Marco Aurélio disse, que ele saiba o que seja o interesse do povo, pois seguramente tem uma cabeça iluminada…
    Que discursinho mambembe e inconsistente. Na verdade, nem sabe distinguir entre arranjos internacionais e acordos multilaterais. Não é a toa que deu no que deu…catástrofe ampla, geral e irrestrita!!! O que me assutava mais era ver o Emb. Amorim e o seu discípulo Patriota se curvarem diante de tamanha prepotência e ignorância dos princípios básicos das relações internacionais, o que levou ao completo descrédito da nossa política externa e aos absurdos de iniciativas de marketing como foi aquela de se alinhar ao Presidente Ergodan e fazer uma proposta para o programa nuclear iraniano. Vejam a “encrenca” que a Turquia se encontra hoje em dia e em particular o Sr. Ergodan. Espero que o Sr. Marco Aurélio encontre um bom emprego como consultor internacional de governos “amigos” na África ou na América Latina ou até no Oriente Médio.

  3. Na maior tragédia aérea do Brasil que ceifou a vida de quase 200 pessoas com o acidente com o Fokker 100 da TAM no Aeroporto de Congonhas em São Paulo, por causa do reverso da aeronave (aparelho que auxilia na frenagem da aeronave), o assessor especial de Lula para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, reagiu com um gesto obsceno de ‘se f…’ ao assistir no seu gabinete à reportagem do Jornal Nacional sobre o defeito no Airbus da TAM. A cena foi ao ar no Jornal da Globo, quando Marco Aurélio Garcia justificou estar “extravasando em um momento privado” contra os “setores que tentavam se apropriar politicamente do episódio”.
    O que esperar de uma figura como essa no que concerne à diplomacia brasileira.

  4. Os empresários vendiam seus produtos, o governo brasileiro pagava a exportação e depois os “iluminados petistas” perdoavam as dívidas.
    Eles chamavam a isso de “comercio exterior”, O
    que conseguiram foi quebrar o pais, sem ao menos que o favorecidos votassem na ONU, para que o Brasil conseguisse um assento no conselho de segurança, sonho de uma noite de verão do lula.
    Ficamos fora do conselho, porque a maioria dos países do mundo é séria e não iam chancelar uma aventura carnavalesca de um pais do terceiro mundo.
    Como qualquer candidato a alguma coisa e que faça sua campanha baseada no dinheiro, fomos dar com os burros n´água, Agora o “prejú” esta ai. O PT não reconhece o desastre e ainda tem a petulância de achar que pode continuar destruindo o pais. É dose para mamute.

  5. Conheço o Serra desde quando foi presidente da UNE no Estado da Guanabara em 1963. A capital tinha se tranferido para Brasília.Vi e ouvi seu discurso na Central do Brasil dia 13 de Março antes do golpe de 1° de Abril de 1964. Asilou-se na embaixada da Bolívia, Com Artur da Távola e Marcelo Cerqueira. Entrou na embaixada progressista e saiu direitista. Fez acordo com os militares brasileiros, para deixar de apoiar Jango e Brizola. Caso contrário não entraria mais no Brasil (Serra vivia sempre ao lado de Brizola e Jango recebendo luz). Chegou na Bolívia e mandou recado para Brizola no Uruguai pelo Santayana dizendo que não queria mais envolver-se com política. Voltou do exílio antes de Brizola. Brizola voltou em 1979, Serra fez-lhe uma visita em 2004 quando soube que ele estava muito doente. Três meses depois veio a falecer. Há dois anos escreve um livro se autoelogiando, imaginando talvez que todos tivessem morrido. Fala de visita a Brizola no Uruguai quando ele estava confinado em Atlântida e vigiado pela polícia uruguaia. sem que pudesse receber visitas. Serra hoje é jagunço dos EUA.

    • Caro Aquino … só recentemente consegui a íntegra do discurso de Jango na Central … Jango se coloca como executor das políticas sociais dos Papas … afirma que nem os Rosários seriam armas a favor dos favorecidos – foi uma reparação a Marcha da Família que facilitou o 31 de Março … podemos simplificar com o ‘nós’ sendo os oprimidos defendidos na Política Social da Igreja … e o ‘eles’ serem os opressores que se agarram em Maria do Rosário de Fátima? Abr.

  6. Ele fala de um resultado eleitoral que foi uma fraude, sustentado à base da mentira. O resultado real da última eleição está estampado nos jornais: um rombo de R$ 170,5 bilhões, herança maldita do PT/Dilma, contabilmente escondido da população. É claro que o povo queria o “nirvana” aunciado pela “presidenta”, mas a realidade era outra. PT nunca mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *