Medidas de impacto tomadas pelo governo serão a base do programa eleitoral do PT

José Carlos Werneck

Segundo reportagem de Vera Rosa, do O Estado de S. Paulo, a campanha de Dilma Rousseff à reeleição dará ênfase ao apelo popular entendido pelo Palácio do Planalto como “energia/comida/juros”. A dezoito meses da eleição, o marketing eleitoral domina a agenda presidencial e vai ser o foco principal do programa do partido, que será exibido, em rede nacional , em 9 de maio.

Cortes nos impostos, redução dos exorbitantes juros e diminuição do valor da conta de energia elétrica serão prioridades para o segundo mandato da presidente, se tudo correr como o previsto pelo Governo.

A tática é mostrar que a desoneração dos produtos da cesta básica, o corte nos juros, atualmente em 7,25% ao ano, e a redução no preço da energia elétrica integram um pacote destinado a uma distribuição de renda mais justa para fazer do Brasil um país de classe média.

A presidente Dilma crê que já possui marcas próprias para serem mostradas no programa eleitoral, além dos projetos herdados dos governos que a antecederam. Ela tem trocado idéias com Aloizio Mercadante, ministro da Educação, sobre a evolução do modelo que, segundo sua avaliação, criou um mercado de massas a partir de um “ciclo virtuoso”, com aumento dos investimentos, do emprego e do crédito.

“Esse tripé dará as condições para a consolidação da imagem de Dilma e a manutenção da vantagem dela na eleição de 2014”, declarou o secretário-geral do PT, deputado Paulo Teixeira, de São Paulo.

NOVO PACOTE

Confiando num cenário mais favorável para o próximo semestre, a equipe econômica prepara o novo pacote de desonerações para conter a inflação, alicerçado no transporte público. As medidas incluem o corte do PIS e da Cofins sobre o diesel, que, apesar de terem forte impacto municipal, estão na lista dos cortes.

A expectativa é que a redução desses tributos evite a alta das tarifas de ônibus em capitais como Rio e São Paulo . “Técnicos da Fazenda já avaliam que o reajuste da passagem de ônibus incide mais sobre a inflação do que o aumento da gasolina. Logo, o que se discute é a ideia de aumentar a gasolina e mandar o dinheiro para o transporte público, como forma de subsídio cruzado”, afirmou Jilmar Tatto, secretário dos Transportes de São Paulo .

O Governo se apressa para que a desoneração do PIS e da Cofins seja anunciada no Dia do Trabalho, quando a presidente usará o tradicional pronunciamento de 1.º de Maio para comemorar a aprovação da proposta de emenda à Constituição que amplia direitos das empregadas domésticas.

No item transporte, aposta na modernização da infraestrutura, com obras em rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, para mostrar Dilma como boa administradora.

NA TELEVISÃO

O programa nacional do PT e as inserções comerciais na TV, que serão feitas dias antes, vão representar, na prática, a largada da corrida pela reeleição no horário político.

Não foi à toa que Santana produziu o slogan “O fim da miséria é só um começo”, repetido por Dilma em fevereiro, quando ela destacou que 22 milhões de brasileiros saíram da extrema pobreza. O objetivo é mostrar, na campanha, que as principais ações da presidente alavancam o crescimento e viabilizam o ingresso do Brasil no seleto mundo das nações desenvolvidas.

“Com a economia andando bem, tchau para o gaiteiro”, destacou, o pré-candidato do PT, ao governo de Mato Grosso do Sul , senador Delcídio Amaral .

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *